Mortes
MEAK
A12

Mortes ler resumo

Angely senta em uma cadeira, olhando para Kat. Derik está perto da cama, abaixou.
Kat, acorda... Por que não acorda??? (Derik)
Derik se levanta e olha para Edmont.
Melhor a gente encontrar a pessoa. (Edmont)
Como, se Kat não acordar?! (Derik)
Sabemos quem é. (Angely)
Então vão logo atrás dessa pessoa, pra Kat acordar... (Derik)
Mas a gente precisa saber onde está. (Edmont)
Eu fico, vocês vão procurar, se Kat fizer mais alguma coisa, eu ligo pra vocês. (Derik)
Derik se senta ao lado da cama. Passa a mão na cabeça de Kat. Edmont e Angely saem. Kat dorme. Um ambiente inteiramente vazio. Apenas Kat e Mel.
Que estamos fazendo aqui? (Kat)
Não sei. (Mel)
Sabe onde você está? (Kat)
Não adianta, você tá dormindo. (Mel)
Talvez eu consiga falar. (Kat)
Isso só quando acordar. E lembre-se de ser a primeira coisa que você vai falar. (Mel)
Tudo bem. (Kat)
É estranho nos encontrarmos num sonho. (Mel)
Pior é isso tudo branco. Tô me sentindo dentro de um ovo! (Kat)
Será que estão me procurando? (Mel)
Não sei. (Kat)
Não devia ter saído de casa. (Mel)
A culpa não é sua. (Kat)
Se não me encontrarem, Andrews vai continuar com isso. (Mel)
Por que tá te torturando? (Kat)
Quis atingir a gente. Sabe que você também sentiria. (Mel)
Eu tô com medo. (Kat)
Mel abraça Kat.
Não fique... (Mel)
E se te deixar com algum problema, ou até... (Kat)
Não vai fazer isso. Assim que me encontrarem, me soltam e vamos vencer Andrews, nós três. (Mel)
Mel afasta Kat. Baixa a cabeça.
Mas, se acontecer alguma coisa... (Mel)
Não diz isso! (Kat)
Mel olha para Kat. Segura Kat pelos braços.
Não, Kat, escuta. Qualquer coisa que aconteça e que eu não vá direto pra casa, pegue um CD que tá na primeira gaveta do lado direito da mesa que tem o símbolo. A caixa é azul, promete que pega? (Mel)
Pra que tá dizendo isso? (Kat)
Tem uma coisa muito importante lá, você lê e fala com Angely e Edmont. (Mel)
Tá, eu prometo. (Kat)
Os primeiros raios do sol nascem. Derik dormiu ao lado da cama, segurando a mão de Kat. Acorda quando Kat lhe aperta a mão. Sai correndo. Angely e Edmont estão dentro de um prédio.
Bom, aqui não está. (Edmont)
Toca o telefone. Edmont atende.
É a Kat! (Derik)
Calma, o que foi?? (Edmont)
Tá acontecendo de novo! (Derik)
Derik, presta atenção no que... Derik?! (Edmont)
Edmont desliga o celular.
Caiu. (Edmont)
Melhor a gente voltar. (Angely)
Não. (Edmont)
Não?! (Angely)
De que vai adiantar? (Edmont)
Angely baixa a cabeça.
Quanto mais tempo passamos sem fazer nada, mais tempo de seja lá o que está acontecendo. (Edmont)
Vamos. (Angely)
Aonde? (Kassandra)
Eu conheço você? (Edmont)
Era você quem tava na frente do hotel, no dia que minha moto falhou. (Angely)
É. Parece que você quem tem melhor memória dos dois. (Kassandra)
Tá, então diz de onde me conhece. (Edmont)
Melhor educação também. (Kassandra)
Do que está falando? (Edmont)
Me deixou falando sozinha outro dia. (Kassandra)
Precisamos ir, Angely. (Edmont)
Edmont passa reto por Kassandra.
Continua mal-educado. (Kassandra)
E você continua inconveniente. (Edmont)
Desculpa, é que temos um problema sério, temos mesmo que ir. (Angely)
Tudo bem. (Kassandra)
Angely e Edmont saem. Do lado de fora, sobem nas motos.
Não precisava da grosseria. (Angely)
Tenho mais o que fazer do que ser legal. (Edmont)
Arrancam com as motos. Kassandra fica dentro do prédio.
Quanta diferença. (Kassandra)
Subterrâneo. Tarde.
Temos que prender ele de novo. (Argo)
Ele não está mais tentando nos pegar. (Dilan)
A questão é que não temos a menor idéia do que vai acontecer conosco se ele morrer. (Argo)
Quando aparecer alguém capaz de matar Andrews, a gente já era, mesmo que continuemos assim. (Rust)
Até que enfim deu o ar da sua graça. (Dilan)
É. Se eu caçasse, vocês já eram. Estou aqui há mais de dez minutos. (Rust)
Por que acha que estaremos mortos? (Argo)
Alguém capaz de acabar com Andrews nos mataria na metade do tempo. (Rust)
Ainda acho que devemos prendê-lo. (Argo)
Acho que sabe de algo que não sabemos. (Rust)
Ele deu a nós o sangue dele. (Argo)
Isso mesmo. Deu, não emprestou e não roubamos. Não devemos nada, não temos nenhuma ligação. (Rust)
Então como ele sabe onde estamos??? (Dilan)
Não deviam se preocupar tanto. (Rust)
Você tentou matá-lo. (Argo)
Rust levanta a mão enfaixada. Argo ri.
Se enterrarmos ele de novo, vai estar longe de Virgine. (Argo)
Não quero embaixo da terra, quero em cinzas. E dane-se se eu virar uma geleia dançante depois disso. (Rust)
Rust sai por um corredor. Anda alguns metros.
Não vai conseguir matá-lo. (Kassandra)
Quer apostar? (Rust)
Virgine já sabe disso? (Kassandra)
Você tem ciúmes. (Rust)
Kassandra ri.
Não tem perigo eu perder ninguém pra ela, esqueceu? (Kassandra)
Rust encara Kassandra.
Não tenho culpa se tanto o Andrews quanto tudo que ele criou me quer. (Kassandra)
Rust olha para outro lado. Kassandra de aproxima de Rust. Vira o rosto de Rust pra si.
Não tem problema. Também quero todos vocês. Por isso funciona bem. Por isso que com a Virgine não funciona. (Kassandra)
Rust se afasta. Kassandra encosta Rust na parede. Beija.
Kat está na cama. Trava braços e pernas de tempos em tempos. Grita. Derik anda de um lado a outro. Balança a cabeça para os lados. Se transforma em pássaro e sai voando pela janela. Chega a uma igreja. Corre na direção do púlpito.
Padre!!! (Derik)
Respira, menino! Por que está tão aflito? (Gabriel)
Deve saber que não existem só humanos, não é? (Derik)
Gabriel ri.
Andou assistindo filmes demais. (Gabriel)
Estou falando sério, eu já vi! (Derik)
Gabriel desfaz o sorriso.
Pare de brincadeiras e volte pra casa, garoto! (Gabriel)
Por favor, não tô mentindo! Alguém tá com problemas... (Derik)
Gabriel se vira e vai andando.
Eu tenho mais o que fazer do que ficar... (Gabriel)
Posso provar. (Derik)
Gabriel olha pra Derik. Derik então na parte de trás da igreja. Há um sofá. Derik vai pra trás do sofá. Volta como cachorro. Fica em pé. Gabriel dá dois passos para trás, com os olhos arregalados. Derik vai de volta para trás do sofá. Volta a forma humana. Ajeita a roupa.
Acredita em mim agora? (Derik)
Saia de perto de mim! (Gabriel)
Ah, não... (Derik)
Derik senta no sofá.
Não se aproxime! (Gabriel)
Gabriel sai.
Bela ideia. Agora volta com tochas. (Derik)
Gabriel volta com Jonas.
Olha, se não se importa, tenho mais o que fazer. (Derik)
Derik se levanta, mas Jonas estende o braço com uma cruz. Derik recua.
Não vai sair deste quarto com este corpo! (Gabriel)
E espera que pegue o seu emprestado? Não, obrigado! (Derik)
Sai desse corpo que não te pertence! (Jonas)
Chama alguém pra nos ajudar! (Gabriel)
Minha namorada tá com problemas e eu não vou ficar aqui agüentando essa palhaçada! (Derik)
Jonas sai, Gabriel fecha a porta.
Mel está em correntes, que vão até o teto. Andrews puxa uma faca. Mel grita. Kat também.
Qual o problema? Não é durona? Tudo bem. (Andrews)
Andrews levanta o rosto de Mel, pelo queixo.
Vou te deixar descansar um pouco. Não quero que você morra. (Andrews)
Andrews beija Mel.
Não antes que seus irmãos me achem. Daí eu vou matar eles... Aquela sua irmãzinha chata também... (Andrews)
Andrews passa a mão no rosto de Mel.
Depois eu vou ver o que faço com você. É uma pena ter que bater em você. Mas alguém tem que te dar uma lição. (Andrews)
Andrews pousa a faca em uma mesa, que tem outros itens. Olha para Mel.
Se bem que acho que seria mais divertido de não aprendesse. (Andrews)
Andrews sai. Mel acompanha com os olhos.
Acho que estou no esgoto. É bem aberto aqui. Estou em correntes no teto. Não sei quanto tempo vou aguentar. Andrews já percebeu que não sou um ser humano. Não sei o que pode fazer. (Mel)
Kat repete. Não há ninguém no quarto. Noite. Brad, Roger (delegado) e dois policiais vão até a cela de Stephany.
Chegou o helicóptero. Vocês duas vão pra ilha. (Brad)
Droga... (Dalila)
Que ilha? (Stephany)
Brad respira fundo.
Prisão perpétua. (Brad)
Isso é o que eu tô pensando? (Stephany)
Quer dizer que nunca mais vamos sair de lá. (Dalila)
Leva as duas. (Roger)
Os policiais entram na cela.
Eu só roubei! (Dalila)
Andou roubando demais e as pessoas erradas. Roger se aproxima de Dalila Mas posso te livrar disso. (Roger)
Roger coloca a mão na cintura de Dalila. Dalila soca Roger. Um dos policiais bate em Dalila. Brad segura o policial. Stephany vai na direção, o outro policial encosta Stephany na grade.
Leva essas cadelas daqui. (Roger)
Roger se levanta. Olha para Brad.
E você, não banca o engraçadinho que eu sei que precisa do emprego. (Roger)
Brad olha para Stephany. Sai dali. Entra em uma sala. Pega o telefone. Disca. Olha para fora.
Eu não tenho tempo pra falar, a Stephany foi transferida... (Brad)
Roger tira o telefone da mão de Brad.
Acho que vai ter que prestar contas, Andrews. (delegado)
Lanchonete. Angely guarda o telefone.
Desligou... (Angely)
E o que era? (Edmont)
Brad disse que transferiram Stephany. (Angely)
Só isso? (Edmont)
Só. Vou ligar pra casa, ver se Derik descobriu algo. (Angely)
Angely disca. Coloca o telefone no ouvido. Espera. Franze a testa. Desliga.
Não sei o que tá acontecendo, será que Derik dormiu? (Angely)
Talvez tenham saído. (Edmont)
Pode ser. Melhor voltarmos pra casa. (Angely)
Heliponto, terraço da delegacia. Marisa está fumando um cigarro. Olha para o Helicóptero. Apaga o cigarro. Vira para o helicóptero. Franze a testa. Vira de volta metade do que tinha virado.
Ei, o que está fazendo aqui? (Marisa)
Olhando o céu. (Andrews)
Aqui não é lugar de olhar o céu. (Marisa)
Não sabia. (Andrews)
Então vai olhar em outro lugar. (Marisa)
Prefiro ficar aqui. (Andrews)
Melhor sair daqui... Aliás, como chegou aqui??? (Marisa)
Andrews se levanta e vai até Marisa.
Escalando. (Andrews)
Estamos no décimo quinto andar. (Marisa)
E daí? (Andrews)
Helicóptero.
Tá bem preso aí? (Acácia)
Suficiente pra me matar asfixiada. (Dalila)
Eu não tenho culpa do que andou aprontando. (Acácia)
Eu pareço ser ladra pra você? (Dalila)
A outra também não parece assassina. (Acácia)
Tenho nome. (Stephany)
Isso não me informaram. (Acácia)
Sou Dalila. (Dalila)
Dalila aperta a mão de Acácia.
Nome da mulher de Sansão. (Acácia)
Quanto tempo demora? (Dalila)
Bom, vamos sair daqui... (Acácia)
Puxam Acácia bruscamente para fora. Dalila e Stephany se encolhem. Dalila tira uma faca do pulso e corta o cinto. Corta de Stephany também.
Que tá acontecendo??? (Stephany)
Não sei. Ninguém que eu conheça seria tão rápido. (Dalila)
Dalila sai. Abre mais os olhos. Stephany sai. Dá dois passos para trás. Acácia está no chão, sem vida. Marisa mais para frente, do mesmo jeito.
Se foi ajuda da sua parte, pode me falar... (Dalila)
Não fui eu! (Stephany)
Tudo bem, então quem foi? (Dalila)
Desculpe, fazer isso aqui mesmo, é que ir nadando até a ilha não ia dar. Não que a distância seja muita... (Andrews)
Stephany arregala os olhos.
Não conheço ele, tá falando com você... (Dalila)
A gente tem que sair daqui! (Stephany)
Stephie, não precisa fingir, ela pode vir com a gente. (Andrews)
Ele derrubou esse povo, tá tentando te ajudar... (Dalila)
Ele que matou minhas amigas! (Stephany)
É verdade, eu tava devendo isso... Fiz o serviço errado. (Andrews)
Andrews dá um passo a frente, Stephany dá mais dois passos atrás.
Eu só quero te ajudar, não vou fazer nada de mal. (Andrews)
Dalila... (Stephany)
Andrews segura o braço de Dalila.
Por que não quer vir comigo, Stephie? (Andrews)
Solta ela! (Stephany)
Não. (Andrews)
Andrews toma um tiro. Grita. Joga Dalila no chão. Vira.
Que acha que tá fazendo? (Andrews)
Foi você... (Brad)
Descobriu sozinho ou precisou de ajuda? (Andrews)
Vai embora! (Stephany)
Andrews olha para Stephany. Stephany está apontando uma arma para Andrews. Andrews sorri.
Tiros não adiantam. (Andrews)
Ah, não? (Stephany)
Stephany aponta a arma pra própria cabeça. Andrews desmancha o sorriso.
Não vai fazer isso. (Andrews)
Duvida? (Stephany)
Stephany engatilha a arma. Andrews anda até a beira. Pula. Brad se aproxima de Stephany. Estende a mão. Stephany balança a cabeça para os lados. Brad vai até a beirada.
Já foi. (Brad)
Stephany estende a arma para Brad. Brad se aproxima e pega a arma. Olha para Marisa e Acácia.
Iam casar. Semana que vem. Só eu sabia. Tinham medo da reação das pessoas. (Brad)
Brad vira de volta para Stephany.
Cadê a outra? (Brad)
Dalila? (Stephany)
Acho que é. (Brad)
Não sei. (Stephany)
Aproveitou para fugir. (Brad)
Stephany senta no chão.
Vai embora. (Brad)
Não posso. (Stephany)
Vão chegar aqui logo, melhor você ir. (Brad)
Se eu for, ele me pega. (Stephany)
Se ficar, vai pegar também. (Brad)
Melhor ficar aqui. Ganho tempo. (Stephany)
Você é que pensa. É fácil ele entrar e te pegar lá. (Brad)
Brad dá a mão para Stephany. Stephany olha.
Vem, eu te ajudo. (Brad)
Mas você vai se ferrar se fizer isso. (Stephany)
Me pegaram ligando, pra avisar que você estava sendo transferida. (Brad)
Por que está fazendo isso? (Stephany)
Vambora. Eles vão chegar logo. (Brad)
Madrugada. Rua vazia. Dalila está andando.
Falta na Stephany a sua esperteza. (Andrews)
Dalila para.
Quer dizer desonestidade. (Dalila)
Andrews se aproxima. Dalila se afasta.
Não vou te machucar. (Andrews)
Por que tenho a impressão que disse isso pras amigas dela? (Dalila)
Não disse. (Andrews)
Não creio que assassinos sejam muito honestos. (Dalila)
Ladras também não. (Andrews)
Dalila levanta as mãos, com as palmas para cima, encolhe os ombros.
É o que eu sei fazer. (Dalila)
Dalila baixa as mãos.
Gosta de dinheiro. (Andrews)
Gosto de mim mesma. Dinheiro é com o que alimento meu ego. (Dalila)
Tenho algo melhor que dinheiro pra alimentar seu ego. (Andrews)
E o que poderia ser? (Dalila)
Eterna juventude. (Andrews)
Dalila ri.
Feiticeiro ou louco? (Dalila)
Assassino. (Andrews)
Dalila desmancha o sorriso.
Louco. (Dalila)
Dalila vira. Andrews segura o braço de Dalila.
Não quer nem tentar? (Andrews)
Que vou ter que fazer? (Dalila)
Andrews ri. Solta o braço.
Nasci na rua e tenho idade suficiente pra saber que tudo tem um preço. Stephany? É isso que quer? (Dalila)
Também. (Andrews)
E o que eu vou ter que fazer? (Dalila)
Casa de Brad.
Que você fez??? Tão ligando pra cá direto! (Talita)
E o que você disse? (Brad)
Que você tinha passado aqui, pego umas coisas e saído, é claro! (Talita)
Que bom, não virão aqui. (Brad)
Oi. (Stephany)
Ela não tava presa? (Talita)
Tava, disse bem. (Brad)
Foi libertada? (Talita)
Andrews apareceu. (Stephany)
Não precisa chamar tão formalmente. (Talita)
Ah? (Stephany)
Stephany, tá confundindo alguma coisa. (Brad)
Eu? (Stephany)
Deixa pra lá. (Brad)
Andrews é o nome do cara que tá atrás de mim. (Stephany)
Brad franze a testa.
Sério? (Brad)
É que é o nosso sobrenome. (Talita)
O delegado falou. (Stephany)
Por isso fez aquela cara. Realmente nunca vou esquecer o nome desse cara. (Brad)
MEAK. Quarto de Mel. Kat está na cama, respiração normal.
Talvez Andrews não tenha feito mais nada. (Angely)
Mas ainda não libertou. E Derik?! (Edmont)
Igreja. Derik tá com correntes.
Minha paciência tá enchendo... (Derik)
Talvez seja melhor chamar o papa. (Gabriel)
E se eu fingisse que aconteceu alguma coisa? Bom, Deus, me ajude, sozinho eu não saio daqui. Sabe que estou perdendo tempo aqui. Sei que mentira é pecado, mas, neste caso, acho que o Senhor perdoa, né? (Derik)
É, talvez... (Jonas)
Jonas sai da sala. Derik grita. Um vento entra pela janela e fecha a porta. Gabriel se assusta.
Não vou sair! (Derik)
Ah, meu Deus! (Gabriel)
Não pode me tirar daqui! (Derik)
Gabriel joga a água benta em Derik. Derik grita. Fecha os olhos, e deixa a cabeça cair. Gabriel se aproxima de Derik. Encosta em Derik, Derik levanta a cabeça e abre os olhos.
Onde eu tô? (Derik)
Viva! Está livre! (Gabriel)
Gabriel sai. Volta com Jonas.
Não posso nem acreditar... Você lembra onde estava? (Jonas)
Tava andando por aí... (Derik)
Gabriel e Jonas tiram as correntes de Derik. Derik se levanta e vai na direção da porta. Gabriel segura o braço de Derik.
Já é tarde. (Gabriel)
Eu tenho que voltar pra casa, minha família deve estar preocupada. Aliás, que dia é hoje? (Derik)
Vinte e nove de novembro. (Gabriel)
De 2021? (Derik)
2022. (padre)
Nossa... Devem estar loucos atrás de mim! O que eu tava fazendo aqui??? (Derik)
Estava possuído. (padre)
Melhor eu voltar pra casa. (Derik)
Derik olha o relógio. Sai correndo. Gabriel e Jonas vão atrás. Saem da igreja. Olham ao redor. Se entreolham. Voltam para dentro.
Manhã. MEAK.
Onde tava??? (Edmont)
Fui pedir ajuda pra uns padres, mas não deu certo. (Derik)
Deixou Kat aqui sem ninguém! E se falou alguma coisa??? (Edmont)
Eu tava congelando de medo, tá??? Vocês também não iam gostar de ver alguém que amam se revirando e se debatendo daquele jeito!!! (Derik)
A gente também se importa com Kat! (Edmont)
Edmont... (Angely)
É, mais não ficaram aqui olhando o que acontecia! (Derik)
Estávamos procurando alguma coisa! (Edmont)
Ah, é??? E o que encontraram??? (Derik)
Edmont olha para Angely. Depois para Derik de volta.
Tá vendo?! Ficam me culpando... Eu poderia encontrar alguma coisa muito mais fácil que vocês!!! Eu posso voar, esqueceram??? (Derik)
Angely olha para a porta. Uma carta embaixo. Vai até a porta. Abre. Ninguém. Pega a carta do chão. Abre a carta.
Que isso? (Angely)
Talvez tenha sido o vampiro. (Derik)
Deve ter usado realmente muito protetor solar! (Edmont)
Pode ter mandado alguém. (Angely)
Toca o telefone. Angely atende.
Alô? ### Ah, é você... Ontem você ligou, mas não terminou de... (Angely)
Angely franze a testa.
Stephany fugiu? (Angely)
Edmont pega o telefone de Angely.
Que houve?! ### Como assim, foi buscar?! ### Tá, nós vamos até aí. ### Não sei, mas acho que podemos dar um jeito. ### Tá. (Edmont)
Edmont desliga o telefone.
Andrews tentou pegar Stephany ontem. Brad ajudou a fugir. Estão na casa de Brad. (Edmont)
Melhor irmos pra lá. (Angely)
Deixa que eu vou. (Derik)
Que?! (Edmont)
É, eu vou. É mais fácil vocês saírem daqui pra procurar Andrews se Kat der uma pista do que eu. Não sei usar nem estilingue. (Derik)
Derik sai. Edmont pega o papel em cima da mesa.
Quem de nós vai verificar isso? (Angely)
Eu vou. (Edmont)
Então vou ficar lá com Kat... (Angely)
Kat grita. Angely olha para cima. Olha para Edmont.
Melhor subir logo. Boa sorte. (Edmont)
Pra nós. (Angely)
Angely sobe a escada. Entra no quarto de Mel. Chega perto da cama. Kat sua. Angely agacha. Coloca a mão na testa de Kat. Coloca a mão na boca. Sai do quarto. Desce a escada. Vai até a cozinha. Pega um pano. Sobe. Molha o pano na pia do banheiro. Coloca o pano sobre a testa de Kat.
Kat, acorda... Eu prometi que te protegeria. (Angely)
Casa de Brad.
Vim buscar Stephany. (Derik)
Brad foi pro serviço, pra não estranharem. (Talita)
Não sabem que ajudou a fugir? (Derik)
Não, estavam ligando pra cá, mas era pra avisar ele que ela tinha fugido. (Talita)
E cadê Stephany? (Derik)
Tá aqui no quarto, vem. (Talita)
Talita vai até um quarto. Derik segue. Talita abaixa a maçaneta. Empurra. Nada.
Stephany, que tá fazendo aí? Stephany? Stephany! (Talita)
Derik baixa e olha por debaixo da porta. Talita sai. Volta com uma chave. Abre a porta. Stephany está no chão. Os pulsos estão cortados. Talita dá passos para trás.
Já vi isso demais... Droga... (Talita)
Derik abaixa perto de Stephany. Coloca a mão sobre o rosto.
Ainda tá respirando. (Derik)
Talita sai. Volta com panos. Derik enrola em um pulso, Talita em outro. Pegam Stephany pelos braços e pernas e levam até a sala.
Precisamos ir pra um hospital (Derik)
Como vamos fazer isso?! (Talita)
Eu vi um carro estacionado aí na frente. (Derik)
É do Brad, ele pegou carona com um amigo... Peraí, não tá pensando em... (Talita)
Cadê a chave? (Derik)
Ele não deixou... (Talita)
Droga... Sabe dirigir? (Derik)
Sei fazer ligação direta e dirijo mais ou menos. (Talita)
Derik franze a testa.
Brad me ensinou. E você? (Talita)
Nem mais nem menos. (Derik)
Edmont está em um prédio abandonado. Há um alçapão. Edmont desce. Correntes no teto. Sangue no chão.
Desgraça. (Edmont)
Tarde. Derik liga para Angely.
Por que Stephany fez isso? (Angely)
Não sei, Talita disse que tava normal. (Derik)
Eu não posso ir pra aí, Kat tá dormindo ainda. (Angely)
Isso é bom e ruim. Sinal de que Edmont não encontrou nada e Mel continua viva. (Derik)
É. Se Edmont voltar, vou eu ou Edmont. (Angely)
Tá. Tchau. Ah, a Kat tá bem? (Derik)
Angely olha pra Kat. Kat tem a pele pálida e sua muito.
Está dormindo. (Angely)
Eu vou desligar, ver se tem alguma notícia. (Derik)
Tá, tchau. (Angely)
Angely desliga o telefone. Passa a mão na cabeça de Kat.
Conseguiu fazer você e Mel sofrerem. Como pode existir alguém tão ruim? Espero que Mel se recupere disso... E você também. (Angely)
Noite. Hospital. Stephany acorda. Derik está na cadeira ao lado da cama.
Acho que andou aprontando. (Derik)
Eu não quero mais ter que fugir. (Stephany)
Nós vamos te proteger. Não fica assim. (Derik)
Fala isso por que não tá no meu lugar. (Stephany)
Stephany... (Derik)
Mas é verdade. Ele tá atrás de mim, a polícia também, não tenho mais casa, nem família ou amigos... (Stephany)
Somos seus amigos. (Derik)
Não, apenas estão me protegendo por pena. (Stephany)
Com licença. (Alexander)
Sim? (Stephany)
Eu tô procurando uma garota chamada Stephany, é você? (Alexander)
Derik franze a testa.
Não, não é. (Derik)
Não se registrou com esse nome aqui. Não sou da polícia. Aliás, acho que, a essa hora, já descobriu que a polícia não vai ajudar. (Alexander)
Quem garante que você não é do Andrews? (Derik)
Alexander tira uma estaca na cintura da calça e coloca sobre a cama.
Achei que fosse o Dilan. Parece coisa dele. Não conheço esse, mas deve ser cria. Estamos no rastro de Dilan faz algum tempo. (Alexander)
Porque tá procurando Stephany? (Derik)
Pode me deixar falar com ela? (Alexander)
Claro. (Derik)
Sozinho. (Alexander)
Derik olha para Stephany. Stephany faz um movimento curto de baixar a cabeça e voltar. Derik sai.
MEAK. Quarto de Mel. Angely está em uma cadeira, Edmont na porta, no batente. Derik entra. Senta-se ao lado da cama.
É bom ver em paz. (Angely)
Será? (Edmont)
Se Mel tivesse morrido, Kat acordava. (Angely)
Que conseguiu? (Derik)
Absolutamente nada. (Edmont)
Endereço errado? (Angely)
Não, já tinha ido embora. E Stephany? (Edmont)
Cortou os pulsos. Levei pro hospital. (Derik)
E... (Angely)
Um cara apareceu e pediu pra falar a sós. (Derik)
Por que deixou??? (Edmont)
Stephany pediu. Tinha uma estaca. Falou de um tal de Dilan. Acho que já ouvi o nome. (Derik)
Kat não disse nada. baixa a cabeça Ao menos não inteligível. (Angely)
Deu uma curiosidade agora. (Edmont)
Sim? (Angely)
Quem será que deixou aquela carta na porta? (Edmont)
Casa de Dara. Dara está saindo.
Quem é você? (Dara)
Sei que está ajudando anonimamente as pessoas que ajudam Stephany. (Rust)
Do que... (Dara)
Mandou o endereço de onde estava Andrews. (Rust)
Como sabe disso? (Dara)
Fui em quem te mandou. (Rust)
Por que veio atrás de mim a essa hora? (Dara)
Só tô ajudando por que não gosto de Andrews. (Rust)
Sei... (Dara)
Devia ter ligado e falado, o endereço chegou tarde. Andrews já tinha descoberto. (Rust)
E o que pretende fazer agora? (Dara)
Ir atrás. (Rust)
Precisa de mim pra isso? (Dara)
Andrews tem muito poder. (Rust)
E por que acha que eu teria força pra enfrentar o cara se você sozinho não consegue? (Dara)
Talvez a gente consiga. (Rust)
Sabe onde ele está? (Dara)
É fácil pra mim achar. Infelizmente. (Rust)
Hospital.
Acha mesmo que vou ficar segura? (Stephany)
É claro. (Alexander)
Com licença... (Dalila)
Você tá viva! (Stephany)
Stephany abraça Dalila. Dalila franze a testa. Stephany afasta.
É, escapei do seu amigo esquisito. (Dalila)
Ela está falando do... (Alexander)
É. (Stephany)
Nossa, eu não sabia que odiava tanto ele a ponto disso. Bom, graças a você, não estou numa ilha abandonada agora. (Dalila)
Não fui eu quem... (Stephany)
Mesmo assim, indiretamente, é graças a você. Fiquei sabendo que não tem onde ficar. (Dalila)
Agora tem. (Alexander)
Namorado novo? (Dalila)
É só um amigo. (Stephany)
Não disse que não tinha mais ninguém? (Dalila)
E não tinha. (Stephany)
Conheceu ele hoje e vai ficar na casa dele? (Dalila)
Melhor que acompanhada de uma fugitiva. (Alexander)
Contou pra ele?! (Dalila)
Não! (Stephany)
Acabou de dizer que graças a ela não está na ilha. Qualquer um sabe o que isso significa. Ao menos no meu meio. (Alexander)
Pelo menos ela sabe o que eu sou, você nem isso. (Dalila)
Olha... (Alexander)
Ei, acho que eu tenho que decidir isso! (Stephany)
Vai preferir confiar nela??? (Alexander)
E se eu preferir??? (Stephany)
Psique entra.
Bom, você não perdeu assim tanto sangue, mocinha. Já pode voltar pra casa. Mas alguém vai ter que assinar isso. (Psique)
Psique coloca uma prancheta em cima da cama.
Assina, já que ela confia tanto assim em você. (Alexander)
Alexander sai. Dalila pega a prancheta e assina. Psique olha.
Muito bem, senhorita Jessica, assim que eu conferir isto você pode levar sua amiga. (Psique)
Psique sai.
Não disse que seu nome era Dalila??? (Stephany)
Fala baixo, quer que escutem? (Dalila)
Dara para a moto. Rust desce da garupa.
Mas isso é relativamente perto da casa de Edmont... (Dara)
Exatamente, por isso não procurariam aqui. (Rust)
Rust... (Andrews)
Por que não me deixou trazer armas??? (Dara)
Só o sol mata essa desgraça. (Rust)
Que isso? Teu jantar? (Andrews)
Por que viemos de noite??? (Dara)
Por que o sol também me mata. (Rust)
Ah??? (Dara)
Onde tá a pessoa? (Rust)
Quer fazer uma troca? (Andrews)
Dara olha pra Rust. Vai para a moto. Olha para a ignição. Olha para Rust.
Não adianta tentar convencer Handhara que estou com você. (Rust)
Não me parece. (Andrews)
Dara pega uma faca atrás da cintura. Rust para o braço de Dara, pega a faca e atira em Andrews. Acerta na perna. Andrews grita e cai.
Consegue distrair Andrews? (Rust)
Eu??? (Dara)
Tá treinando mas não consegue levantar uma pessoa ainda! (Rust)
Vai, eu vou tentar. (Dara)
Vai demorar. (Rust)
Rust sai. Andrews se levanta. Olha pra Dara.
Parece que ele te abandonou... (Andrews)
Andrews ri.
E então, o que pretende fazer? Parece que está desarmada... (Andrews)
Andrews atira a faca longe. Dara olha para os lados.
Achou mesmo que ele iria te ajudar? Deve estar bem longe agora. (Andrews)
Andrews se aproxima de Dara. Andrews rodeia Dara.
Por que não tem medo de mim? (Andrews)
Talvez eu não tenha medo de morrer. (Dara)
Andrews para atrás de Dara. Abraça pela cintura. Rust procura em quartos. Encontra Mel. Andrews prendera por correntes em uma cama. Rust segura o bracelete. Pega as correntes. Puxa o bracelete alguns milímetros do braço e quebra as correntes, soltando o bracelete de volta.
MEAK. Kat acorda. Derik abraça Kat. Angely e Edmont entram no quarto. Olham para Kat.
Salvaram Mel! Ouvi a voz de Dara! (Kat)
Kat, calma, fala direito. (Edmont)
Angely pega um copo na cabeceira, vai até o banheiro, enche de água e entrega a Kat. Kat bebe o copo todo de uma vez. Engasga. Derik pega o copo. Kat respira fundo.
Quanto tempo eu dormi? (Kat)
Dois dias. (Derik)
Tudo isso? (Kat)
Que aconteceu? (Edmont)
Onde vocês estavam quando eu falei onde Mel tava??? (Kat)
Edmont e Derik se entreolham.
Esquece. (Kat)
Onde tá Mel? (Angely)
Não sei, Rust pegou. (Kat)
Como assim?! (Edmont)
É, foi com Dara pro esconderijo de Andrews, pra pegar Mel... (Kat)
Quem era? (Edmont)
Alguém que Andrews transformou. (Kat)
Ótimo, vampir! (Edmont)
Mas não gosta de Andrews. (Kat)
E daí?! Mata assim mesmo! (Edmont)
Angely senta no chão.
Podem ter morrido agora. (Angely)
Talvez eu devesse voltar a... (Kat)
Não, de jeito nenhum, dessa vez você fica acordada!!! (Derik)
Derik tem razão. É mais seguro. (Angely)
Mais seguro por que? Aconteceu alguma coisa comigo? (Kat)
Kat olha para Derik. Levanta. O corpo falha. Derik segura Kat. Kat se senta na cama.
Que aconteceu, Angely? (Derik)
Ficou com febre muito alta. A pele tava pálida. Qual o nome da pessoa? (Angely)
Rust. (Kat)
Bom, deve estar com Dara e Mel agora... Se Kat acordou... (Edmont)
Não, Rust levou Mel, mas Dara ficou pra distrair Andrews. (Kat)
Angely sai. Toca o telefone. Edmont sai.
Você notou uma coisa? (Kat)
Angely? (Derik)
É. (Kat)
Também acha que ele... (Derik)
Talvez. (Kat)
Na sala, Edmont atende.
Alô? ### Sim, é daqui. ### Mel??? ### Eu tô indo praí. (Edmont)
Edmont sobe a escada. Entra no quarto.
Deixaram Mel no hospital, tá muito mal. (Edmont)
Angely entra no quarto de volta. Enxuga o rosto.
Onde? (Angely)
Hospital.
Ela tá muito mal. Quem quer que seja que tenha feito isso com ela, não tá de brincadeira. (Psique)
Podemos ver? (Angely)
Podem voltar pra casa. (Psique)
Olha, a gente só... (Kat)
Estão atrapalhando o andamento do hospital. Quando eu tiver notícias, ligo pra vocês. (Psique)
Dalila atende a porta.
Não precisa de mais reféns, ela tá aí. (Dalila)
Amarra essa. (Andrews)
Pensei que fosse me torturar. (Dara)
Insistir num erro é burrice. Te torturo, a menina dorme e te encontra? Não. (Andrews)
Andrews entra, trazendo Dara pelo braço. Senta Dara em uma cadeira. Dalila pega cordas. Dara encara Dalila. Dalila cruza os braços. Dara olha para Andrews. Coloca os braços atrás da cadeira. Dalila amarra. Andrews vai para o quarto.
E aí, que ele te ofereceu? (Dara)
A vida eterna. (Dalila)
Dara ri.
Acha que acreditei? Tá escrito otária na minha testa? O cara é pirado, mas não viu o que ele fez no telhado, pra tirar Stephany. Não me interesse se ele acha que é o batman, desde que eu consiga fugir, tá ótimo. (Dalila)
Dalila senta no sofá.
Que tédio. Qual seu nome? (Dalila)
Handhara. (Dara)
Dalila. (Dalila)
Amarrou Stephany também? (Dara)
Não, dei sonífero. (Dalila)
Por que tá realmente ajudando ele? (Dara)
Até matou por causa dela. Nunca um cara moveu uma palha por mim. (Dalila)
Acha que matar é um grande esforço pra ele? Acorda, é um vampiro. (Dara)
Dalila arregala os olhos.
Deu risada quando eu falei e repete isso agora??? (Dalila)
Achei que tinha acreditado na promessa. (Dara)
Fala sério, acredita mesmo nisso? (Dalila)
Dara tira uma faca da manga da blusa. Começa a cortar a corda.
Acredito. Você não? (Dara)
Cara, desde que a Stephany entrou naquela cela eu só conheci louco... (Dalila)
Cela? (Dara)
Ela tava presa, não sabia? (Dalila)
Disso eu sabia. Mas não sabia que esteve junto com ela. (Dara)
É. Caí. (Dalila)
Pode me buscar um copo d’água? (Dara)
Bom, ele não disse que tinha que te matar de sede. (Dalila)
Dalila se levanta. Vai até a cozinha. Dalila volta para a sala. Toma com um vaso na cabeça.
Desculpe, mas eu não tinha escolha. (Dara)
Dara amarra Dalila na cadeira. Pega o telefone. A porta é derrubada. Alexander aponta uma arma para Dara.
Larga o telefone. (Alexander)
Quem é você? Mais um do Andrews? (Dara)
Não fui eu quem amarrou a amiga da Stephany. (Alexander)
Dara revira os olhos e bota o telefone no gancho.
Tá com Andrews. (Dara)
Ah, é? Não foi ela que eu vi chegar com ele aqui. (Alexander)
Dara cruza os braços.
Podia estar seguindo a mais tempo, pra ver o quanto tentei fugir. (Dara)
Não parecia, nem segurava seus braços. (Alexander)
Bom, uma hora cansa correr e o Houdini aparecer na minha frente de novo! (Dara)
Essa moça estava ajudando Stephany, que tava fugindo da polícia. (Alexander)
Alexander vira para trás. Toma um chute no braço. A besta voa. Tira uma estaca. Rust desvia. Dara pega a arma. Aponta para Rust e Alexander.
Parem os dois! (Dara)
Sabia que estava do lado de Andrews... (Alexander)
Atira logo. (Rust)
Por que??? (Dara)
É o que costumo fazer quando alguém tenta te matar! Ou vai dizer que estavam dançando?! (Rust)
Tá atrás do Andrews também. (Dara)
Também?! (Alexander)
É, eu tentei te dizer, mas acho que você não acreditou muito. (Dara)
Prendeu a amiga de Stephany e está recebendo ajuda de um vampiro, por que acreditaria? (Alexander)
Odeio Andrews. (Rust)
Dalila abre os olhos.
Que aconteceu? Quem são eles??? (Dalila)
Você está bem? (Alexander)
Dalila sorri.
Ah, eu conheço você, o carinha do hospital... (Dalila)
Notou que tá amarrada?! (Alexander)
Já estive pior. Já amarrei pessoa também. Mas aí foi consentido. (Dalila)
Cadê Andrews? (Rust)
Tá no quarto. Pode me soltar? (Dalila)
Rust solta os ombros.
Não está, não. (Rust)
Rust vai até o quarto. Enfia o pé na porta, levando abaixo.
Não sabem pra que serve uma maçaneta??? É temporário, mas é meu canto!!! (Dalila)
Alexander vai até o quarto. Dara segue, ainda apontando a arma.
Levou Stephany. (Dara)
Pode abaixar isso? (Alexander)
Dara devolve a arma a Alexander. Alexander encara Dara. Volta para a sala. Olha para Dalila. Coloca a besta nas costas.
Agora podem me desamarrar? (Dalila)
Você entregou Stephany a Andrews? (Alexander)
Vai querer uma confissão formal?! Que horas são? (Rust)
Três da manhã. (Dara)
Bem notei. Amanhã, dez horas, eu te encontro. (Rust)
Rust sai. Alexander tira a besta das costas e aponta a arma pra Rust. Dara pousa a mão na arma. Alexander encara Dara. Baixa a arma.
Dara fecha a porta.
Acho que temos mais o que fazer. (Dara)
Por que tá protegendo ele? (Alexander)
Não gosta de Andrews e vai nos ajudar a encontrar. (Dara)
Eu ainda tô aqui! (Dalila)
E vai continuar aí se depender de mim. (Alexander)
Ei! (Dalila)
Dara vai até a estante e pega o telefone novamente. Disca.
Pra quem vai ligar? (Alexander)
Alô? ### Oi, Derik. ### É, eu tô viva. (Dara)
MEAK.
Dá isso! (Edmont)
Edmont arranca o telefone das mãos de Derik. Angely desce a escada.
Então você tá bem... (Edmont)
Tô. (Dara)
Onde você tá? (Edmont)
Tá com papel e caneta aí? (Dara)
6h. Hotel. Stephany dorme na cama.
Isso não vai dar certo. (Dilan)
Por que não? (Andrews)
Não me parece do tipo que vai querer ficar com você. (Dilan)
Desde quando você tem alguma vocação pra adivinho? (Andrews)
Tudo bem, vou sair antes que me atire pela janela. (Dilan)
Dilan sai. Andrews se aproxima da cama. Passa a mão no rosto de Stephany.
Exageraram no sonífero. (Andrews)
Apartamento de Alexander.
Um vidro inteiro??? (Alexander)
Foi. (Dalila)
Não acredito... Ela pode ter morrido, sabia??? (Alexander)
Se tivesse acontecido, Andrews viria atrás de mim. (Dalila)
É, isso é. (Alexander)
Bom, então ela tá viva. (Dalila)
Alexander sai da sala.
Ei, eu tô com fome! (Dalila)
Não posso fazer nada! (Alexander)
Nem uma maçã??? Mão de vaca! (Dalila)
Silêncio. Alexander volta. Pega uma maçã da fruteira e estende a Dalila.
Minhas mãos estão amarradas! (Dalila)
Alexander bufa, solta os ombros. Desamarra Dalila.
Assim tá melhor... (Dalila)
Dalila pega a maçã. Senta no sofá e morde. Alexander se vira para a porta. Toma uma pancada na cabeça com um vaso. Cai.
Desculpa aí. morde a maça Mas eu não vou ficar aqui. (Dalila)
7h. Casa de Brad. Brad anda pela sala. Levanta uma almofada. Pega a carteira.
Vai sair? (Talita)
Vou pro serviço. (Brad)
Vai resolver o caso de Stephany. (Talita)
Tomara. (Brad)
Não é um desejo, é um pressentimento. (Talita)
Brad ri. Casa de Kat.
Vocês não dormiram enquanto eu dormia, né? Devem estar morrendo de sono. Eu acho que não vou conseguir dormir durante uma semana. Também, dois dias inteiros isso deixa qualquer pessoa sem querer ver uma cama por... Derik? Derik! (Kat)
Kat olha para Derik. Derik está dormindo na cadeira, com os braços e cabeça sobre a mesa.
Prédio abandonado. Edmont está no chão, dormindo. Beatrice se aproxima. Pega a besta que estava ao lado. Joga pela janela. Senta-se ao lado de Edmont. Edmont acorda. Levanta bruscamente.
Você... (Edmont)
Qual o problema? (Beatrice)
Edmont olha ao redor.
Tá lá embaixo. Não ia me arriscar. (Beatrice)
Que tá fazendo aqui de novo? (Edmont)
Desculpa, eu não sabia que a cidade era sua. (Beatrice)
Não adianta ter me desarmado, eu... (Edmont)
Não vim aqui te matar. (Beatrice)
Não? (Edmont)
Não... (Beatrice)
Beatrice se levanta. Aproxima-se de Edmont.
Você gosta de mim? (Beatrice)
Que?! (Edmont)
Me acha bonita? (Beatrice)
Por que tá perguntando isso?! (Edmont)
Beatrice beija Edmont. Edmont retribui. Depois empurra Beatrice.
Não caio nisso. (Edmont)
Edmont sai.
Cai sim. Só não sabe ainda. (Beatrice)
10h. MEAK. Toca o telefone. Kat atende.
Sim, é daqui. ### O que?... (Kat)
Kat baixa a cabeça.
Tudo bem, a gente vai. (Kat)
Kat coloca o telefone no lugar. Senta no sofá, olhando para o chão.
Que foi? (Edmont)
Tá em coma. (Kat)
Edmont se senta ao lado de Kat. Kat abraça Edmont. Angely vem da cozinha.
Melhor nós irmos no hospital. (Edmont)
Mel? (Angely)
Coma. (Edmont)
Tarde. Casa de Dara.
Acho que nós vamos ter que resolver isso. (Dara)
Não sabia que também estava nisso. (Derik)
Mel falou comigo. Se eu me saísse bem, ajudaria vocês daqui pra frente. (Dara)
Então, como pretende encontrar Stephany? (Derik)
Tem alguém que vai me ajudar. (Dara)
Quem? (Derik)
Um vampiro. (Dara)
Que??? (Derik)
Não gosta de Andrews e quer ajuda pra pegar. (Dara)
E daí??? Vai te matar assim que terminar! (Derik)
Não vai, não. (Dara)
E como pode ter certeza? (Derik)
Eu só sei. (Dara)
Então precisamos de um plano. (Derik)
A campainha toca. Dara abre a porta.
Que está fazendo aqui??? E Dalila??? (Dara)
Fugiu. (Alexander)
Como??? (Dara)
Com as pernas. (Alexander)
Alexander entra.
Peraí, eu te vi... (Alexander)
No hospital. (Derik)
Já se conhecem? (Dara)
Ficou lá com Stephany. Aliás, por que deixou sair com Dalila?! (Derik)
Desculpe por não acorrentar ela e levar ela pra minha casa! (Alexander)
Agora tá com Andrews! (Derik)
Está insinuando que a culpa é minha??? (Alexander)
Não, insinuando não, eu tô dizendo! (Derik)
Eu e Derik vamos ao hospital. Você procura a Dalila. (Dara)
Desculpe, "Eu e Derik"? (Derik)
"procura"?? (Alexander)
É, isso são ordens. É o que se faz com criança que tá brigando. (Dara)
Se calam. Dara sai.
Se invocou... (Alexander)
Fazer o que? (Derik)
É pra hoje, porra. (Dara)
Hospital.
E aí? (Derik)
Mel tá mal. (Kat)
Alguma coisa sobre Stephany? (Edmont)
Tem uns caçadores de aves raras na cidade. Não rola procurar. (Derik)
Angely entra no quarto de Mel. Dara olha, do lado de fora.
Que tá fazendo aqui??? (Psique)
Veio ver a irmã. (Dara)
Vocês dois, não podem entrar nessa área! (Psique)
Quem trouxe Mel pra cá? (Dara)
Um cara, deu o telefone de vocês e foi embora. Agora podem sair daqui? (Psique)
Tá. Vem, Angely. (Dara)
Por que fez isso com Mel? (Angely)
Não fica assim, vai ficar tudo bem. (Dara)
Dara pega a mão de Angely. Saem. Chegam até o resto do pessoal. Angely senta em um sofá. Dara vai falar com Edmont, que está perto de uma máquina de lanches.
Eu percebi que você é quem tá menos abalado. (Dara)
Por que tá dizendo isso? (Edmont)
Eu sei de tudo, Mel falou comigo. (Dara)
Acha que pode ajudar? (Edmont)
E por que não? Por que sou uma garota? (Dara)
Por que não é como a gente. E sabe disso. (Edmont)
Não precisa se preocupar comigo. Melhor nós três deixarmos os dois aí e irmos tentar resolver alguma coisa. (Dara)
Sabe alguma coisa sobre quem deixou Mel aqui? (Edmont)
Não vamos falar disso aqui. (Dara)
15h. Dara, Edmont e Derik estão no escritório.
Então vai passar na sua casa de noite? (Derik)
Temos que encontrar Andrews de madrugada. (Edmont)
Por que? (Derik)
Se quem que tá nos ajudando é vampir, não pode ser de dia. Só Rust pode encontrar Andrews em pouco tempo. Mas Andrews só morre pela luz do sol, logo teremos que encontrar, encurralar num prédio, enrolar até o dia nascer e atirar pela janela. (Edmont)
Parece um bom plano pra mim. (Dara)
Já deve ter transformado Stephany. (Derik)
Mas impediremos que continue com isso. (Edmont)
Podemos tentar fazer Stephany passar a ajudar, não me parece uma pessoa ruim. (Dara)
A campainha toca. Derik desce pela escada do escritório pra fora da casa.
Oi. (Derik)
Mas... (Alexander)
Tem uma porta por aqui, o escritório fica lá em cima. (Derik)
Derik sobe. Alexander segue.
Conheço você de algum lugar. (Alexander)
Nada que importe agora. (Edmont)
Nós temos um plano pra pegar Andrews. (Derik)
É? (Alexander)
Como só a luz mata Andrews mas mata Rust também, vamos achar Andrews de madrugada, enrolar até o sol nascer e jogar pela janela pra pegar um bronzeado. (Dara)
Não vai funcionar. (Alexander)
Por que não? (Edmont)
Quem vai ter força suficiente pra atirar ele no sol? (Alexander)
Todo mundo se cala.
Talvez Rust. Quer que Andrews vá pro inferno de qualquer jeito. (Dara)
Se querem seguir isso, tudo bem. (Alexander)
Por que essa pessoa veio, mesmo? (Edmont)
Angely entra no escritório.
Kat? (Derik)
Em casa, dormindo. Agatha ficou cuidando. (Angely)
E Mel? (Edmont)
Nem piora, nem melhora. (Angely)
Melhor pegarmos Andrews logo. E tem que ser esta noite. (Alexander)
Pode entrar. (Dara)
Todo mundo olha pra Dara. Brad entra no escritório, pela porta de fora da casa.
Me seguiu? (Angely)
Não preciso, eu sei o endereço. (Brad)
Quem é esse? (Alexander)
Polícia. (Brad)
E cadê o distintivo? (Alexander)
Fui suspenso. E você, quem é? (Brad)
Caça-vampiros. (Alexander)
Não acreditava nisso. baixa a cabeça Até pouco tempo. (Brad)
Até ver Andrews, provavelmente. (Derik)
Brad olha para as pessoas.
Alguém que leva tiro e ri provavelmente não é humano... (Brad)
Bom, você perguntou quem vai jogar Andrews no sol. Temos sete pra empurrar. Se não conseguirem, é melhor cuspir no chão e sair nadando. (Dara)
Sete? (Derik)
Eu, você, Angely, Edmont, Brad, Alexander e Rust. (Dara)
E onde tá esse tal de Rust? (Brad)
Não sei. Vai na minha casa a noite. Vou com ele encontrar Andrews e chamo vocês. (Dara)
Edmont encara Dara. Alexander e Brad também.
Se alguém aí achar que é melhor que eu pelo que nasceu no meio das pernas, posso cortar fora. (Dara)
Brad e Alexander se entreolham.
Ótimo. Vou pra minha casa e espero que atendam quando eu chamar. (Dara)
Eu te levo em casa. (Edmont)
Edmont sai com Dara.
Eu vou seguir ela quando sair com Rust. (Derik)
Como? (Alexander/Brad)
Dá última vez que mostrei pra um estranho, quiseram me exorcizar. (Derik)
Brad e Alexander se entreolham novamente.
14h. Casa de Dara. Edmont deitou no sofá com a cabeça no colo de Dara.
Acha que o plano vai funcionar? (Edmont)
Vai sim. Tem que funcionar... Deu pena do Angely. (Dara)
É bem mais sentimental que eu. Se abala mais fácil. (Edmont)
Por que ele ainda não arranjou namorada? (Dara)
Edmont se levanta e vira para Dara.
Acho que ainda pensa em Meg. (Edmont)
Você ainda gosta de Agatha? (Dara)
Quer mesmo saber? (Edmont)
Dara olha para baixo. Edmont levanta o queixo de Dara e beija.
Não. (Edmont)
Edmont! (Denise)
Que? (Edmont)
Eu fiquei sabendo do que aconteceu. (Denise)
Tenho certeza que Mel vai sair dessa. (Edmont)
Como está Angely? (Denise)
Edmont franze a testa.
Triste. (Edmont)
Tá em casa? (Denise)
Acho que sim. (Edmont)
Eu acho que eu vou falar com ele. (Denise)
Denise sai.
Denise! (Edmont)
Denise volta.
Dá um tempo, não é hora pra isso. (Edmont)
Denise baixa a cabeça. Atravessa a sala. Sai por outra porta.
Por que será que eu tenho a leve impressão de que Helene, Agatha e Annie devem ter tido a mesma idéia? (Dara)
Vou ligar e falar pra desligar o celular. (Edmont)
19h. Hotel. Stephany dorme.
Fiquei sabendo que você é o primeiro. (Beatrice)
Quem é você? (Andrews)
Beatrice? (Dilan)
Andrews ri.
A que engana todo mundo. (Andrews)
Eu vou embora hoje. (Dilan)
Tchau. (Andrews)
Dilan encara Andrews.
Cê já foi mais simpático. (Dilan)
Dilan sai.
Não engano. Apenas quero aprender. (Beatrice)
E um só professor não basta? (Andrews)
Não. Exceto se for realmente bom. Isso eu não encontrei até agora. (Beatrice)
Quem ensinei está viva até hoje. (Andrews)
Beatrice aponta para Stephany com o queixo.
Quem é? (Beatrice)
Deram sedativo em excesso pra ela. (Andrews)
Olha, eu sei que você é meio louco, mas estando num hotel desses daqui, não é pobre. Então, se não se importa, achei quem você queria, poderia me dar algum? Pelo menos pra eu sair da cidade? (Dalila)
Fundos do Hotel.
Se tá aqui, Andrews também está. (Rust)
Dilan olha para Rust. Vai na direção.
Ainda tentando pegar Andrews? (Dilan)
Quem sabe se dessa vez eu não consigo? (Rust)
Ele pegou outra. Ainda quer encontrar alguém que se parece com a tal que morreu antes dele se transformar. (Dilan)
Só não ligou ainda que alguém que seja boa gente não quer se transformar no que a gente é. (Rust)
É, ele é estranho. Pensa diferente, age diferente... Mas que fazer? É o primeiro. (Dilan)
Por que está de mudança? (Rust)
Beatrice veio atrás de Andrews. (Dilan)
E pra onde vai? (Rust)
Pra bem longe daqui. (Dilan)
Que tal pro inferno? (Rust)
Dilan sorri. Rust crava uma estaca em Dilan. Dilan desfaz o sorriso. E se desfaz.
Já tava de saco cheio de você. (Rust)
22h. Andrews sai do hotel. Rust olha de longe. Há alguém junto. Não é Stephany.
Casa de Dara. Dara atende a porta.
Encontrei Andrews. (Rust)
Dara abre a boca e dá um passo com a perna esquerda pra trás. Rust levanta a mão.
Não. (Rust)
Por que? (Dara)
Só não me deixa entrar. (Rust)
Edmont levanta do sofá.
Edmont. A gente namora. (Dara)
Oi. (Edmont)
Temos que ir logo. Já sabe o que vai fazer? (Rust)
Eu vou com vocês. (Edmont)
Melhor não ir muita gente. (Rust)
Ele tem razão, Edmont. (Dara)
Mas... (Edmont)
Por favor. (Dara)
Dara sai. Fecha a porta.
Hotel.
Se hospedou aqui, mas saiu pra se alimentar. Vamos subir e tirar a pessoa de lá. (Rust)
Espera. (Dara)
Dara pega o telefone.
Pra quem vai ligar? (Rust)
Pra alguém que pode levar pra um lugar seguro. (Dara)
Meia hora depois. Brad e Alexander estão perto do elevador. Dara e Rust falam com Carla, na recepção. Dara olha para o lado. Vê Aurium. Segue. Chegam a um beco.
Tá, eu vou dizer o número do andar e você dá um sinal quando acertar. (Dara)
Um?... (Dara)
Silêncio.
Sete?... (Dara)
Silêncio.
Quatro?... (Dara)
Silêncio.
Décimo terceiro??? (Dara)
Aurium late.
Tudo bem, agora... (Dara)
Você tá falando com um cachorro. Não é um cachorro, é? (Rust)
Confia em mim? (Dara)
Tá. Mas é melhor usar busca binária pra adivinhar o apartamento. (Rust)
Por que eu não pensei nisso? (Dara)
Apartamento. Stephany abre os olhos. Está com braços amarrados e com mordaça. Aurium pousa na janela. Dara olha para Rust e ri. Volta para dentro do hotel. Entra. Vai até o elevador. Aperta o botão. Carla, na recepção, franze a testa. O elevador chega. Dara entra. Alexander e Brad entram atrás. Sobem. Chegam ao décimo terceiro.
Cadê o Rust? (Brad)
Uma porta acerta a parede, bruscamente. Alexander aponta a arma. Rust sai, com Stephany no colo.
Ainda tá com fraqueza. (Rust)
Elevador é uma invenção ultrapassada, porque não escalar o prédio por fora? (Dara)
Vamos levar ela daqui. (Alexander)
Melhor ir pra minha casa. (Brad)
Não, vamos levar pro último andar, é abandonado. (Rust)
Que??? (Brad)
Deixa um recado pra Andrews. Jogamos lá de cima e não terá como sobreviver. (Rust)
Não vou deixar você arriscar mais ainda a vida dela! Isso pode dar errado, e se ele desiste dela??? Pode matar ela e depois nos matar! (Brad)
São dez horas da noite ainda, e se ele chega cedo??? (Alexander)
Sei como vampir pensa e infelizmente convivi algum tempo com Andrews. Vamos. (Rust)
Dalila passa correndo por todo mundo. Sai do quarto, entra no elevador. Fecha a porta correndo.
Ei! (Brad)
Deixa, já assustei suficiente. (Rust)
Angely e Edmont chegam no hotel. Dalila vem correndo. Edmont segura o braço de Dalila.
Onde vai com tanta pressa? (Edmont)
Vampiros... (Dalila)
Vem comigo, eu te protejo. Onde tá? (Angely)
No último andar... Falou que ia pro último andar... (Dalila)
Eu vou subir, fica aqui. (Edmont)
Stephany num canto, sentou no chão. Dara aponta a besta para a entrada. Edmont aparece e levanta as mãos. Dara baixa a arma.
Então era de você que Dalila tava falando? (Edmont)
Assustei pra aprender que tem coisas com as quais não se brinca. (Rust)
Cadê Angely? (Dara)
Tá lá em baixo, com Dalila. (Edmont)
Ele disse que não me quer mais. (Stephany)
Que? (Alexander)
Ele disse que ia me transformar em vampira assim que eu acordasse, mas que eu sou um troféu... Que queria atrair vocês pra cá, matar todos e depois, se eu ainda estivesse viva, ia me transformar... (Stephany)
Adora parecer a melhor criatura do mundo. Mas não presta. Bem típico de Andrews. (Rust)
Bem típico de qualquer vampiro. (Alexander)
Brad se aproxima de Stephany. Abraça.
Eu não vou deixar isso acontecer. (Brad)
Aurium chega na janela.
De... Aurium, fique de guarda pra ver quando Andrews chega. (Edmont)
Aurium bate as asas. Vira para fora.
Você fala com um pássaro? (Alexander)
Handhara também. (Rust)
Alexandre franze a testa.
0h. Andrews e Beatrice entram no saguão do hotel. Angely olha para Beatrice. Beatrice olha de volta. Andrews vê e vai na direção de Dalila e Angely.
Achei que tava do meu lado. (Andrews)
Dalila se segura em Angely.
Qual o problema? Agora acredita? Quem te fez acreditar? (Andrews)
Dalila esconde o rosto no braço de Angely.
Tudo bem. Eu descubro. E não vai viver muito depois que eu descobrir. (Andrews)
Angely abraça Dalila e lhe dá um beijo na testa. Andrews ri. Barulho do elevador. Beatrice entra. Andrews entra atrás de Beatrice.
Agora podemos ir. (Angely)
Tem certeza? (Dalila)
Sim. Não está mais na rua. Agora vão resolver. Não gosto disso, mas a outra opção é pior. (Angely)
Andrews chega no quarto. Pega um papel. Beatrice se senta na cama.
Parece que roubaram seu troféu. (Beatrice)
Eu vou pegar de volta. (Andrews)
Vai para a porta. Beatrice franze a testa. Corre até Andrews e segura-lhe o braço.
Não... (Beatrice)
Que foi? (Andrews)
Andrews passa a mão no rosto de Beatrice.
Quando você falou, eu senti uma aflição, um aperto... (Beatrice)
Algumas horas conversando e já está apaixonada? (Andrews)
Deixa eu ir com você. (Beatrice)
Não, você fica aqui e me espera. (Andrews)
Também tá com medo. (Beatrice)
Não tenho medo deles me matarem. (Andrews)
Entende o que eu tô sentindo por que tá também. (Beatrice)
Vamos deixar esperarando mais um pouco então. Até eu te acalmar. (Andrews)
Andrews pega Beatrice no colo. Deita na cama.
3h. Último andar. Rust olha para o horizonte. Dara e Edmont estão em um canto. Dormem. Alexander ronca, no chão. Brad olha para Stephany, que dorme com a cabeça em seu colo.
Você gosta de Stephany. (Rust)
Tá falando comigo? (Brad)
Sim. (Rust)
Eu... (Brad)
Não precisa dizer nada. (Rust)
Rust olha para Dara.
É mais inteligente que eu. (Rust)
6h. Andrews chega.
Tudo isso só pra mim? Devo ficar lisonjeado? (Andrews)
Edmont levanta e puxa Dara para trás de si. Dara dá um tapa em Edmont. Stephany se levanta e encosta na parede. Brad levanta também, coloca a mão na arma que traz na cintura. Alexander senta e aponta uma besta.
Dessa vez você não escapa. (Rust)
Alexander atira com a besta em Andrews. Andrews dá dois passos para trás. Ri.
Isso é que é instinto de caça-vampiros. Mira perfeita. Pena que não valha merda nenhuma. (Andrews)
Andrews arranca a estaca. Atira contra Alexander. Brad consegue impedir que atinja, colocando um pedaço de madeira na frente.
Tem que se decidir, ou Stephany, ou ele. Ou vão acabar te largando por ciúmes. (Andrews)
Brad corre na direção de Andrews. Andrews joga Brad no chão. Stephany corre para Brad. Dara vai até Stephany, com uma arma na mão, olhando para Andrews. Andrews olha para Dara.
Não vai ter o que quer! (Dara)
É mesmo? (Andrews)
Andrews vai na direção de Dara. Edmont passa uma rasteira e derruba Andrews. Andrews se apoia nas mãos e olha para Edmont. Mostra os dentes.
Sai daqui! (Edmont)
Eu vim pra ajudar também! (Dara)
Leva Stephany! (Brad)
Você leva! Já encarei mais coisa que você! (Dara)
Alexander vai até Rust. Brad pega a mão de Stephany e saem.
Que tal parar de brincar e encarar alguém do seu tamanho? (Rust)
Andrews olha para Rust.
Agora sim, o que eu tava esperando. (Andrews)
Andrews vai na direção de Rust. Rust desvia no soco. Derruba Andrews com um chute. Andrews levanta. Rust vai andando de costas, em direção a um canto. Andrews tenta outro soco. Rust desvia e invertem posições. Andrews ri. Desfaz o sorriso. Olha para trás. Quando olha para frente, Rust pula em sua direção. Caem pela janela. Alexandre segura uma corda que estica. Olha para Dara. Dara vem correndo e ajuda a puxar a corda. Puxam para dentro Rust, que está no final da corda. Dara tira seu casaco e coloca sobre Rust. Beatrice abre os olhos no quarto. Senta-se na cama. Olha para baixo. Olha para a frente. Joga o lençol para o lado e se levanta. Rust olha pra Dara. Dara vai até Edmont. Abraça Edmont. Se beijam. Rust sai.
Na MEAK, o telefone toca.
Alô? (Angely)
Cuidado com Edmont. (voz no telefone)
Fez algo errado? (Angely)
Não, mas pode fazer. (voz no telefone)
Do que está falando? (Angely)
Age mais como quem mata do que como quem salva. (voz no telefone)
Desliga.
Como... Alô? Alô? (Angely)
Quem era? (Dalila)
Ninguém. (Angely)
Tarde. MEAK.
Sinto muito, mas você é uma prisioneira. (Brad)
Angely, por favor... (Dalila)
Angely baixa a cabeça.
Eu não posso. (Angely)
Vamos? (Brad)
Dalila olha para Angely. Angely não levanta a cabeça. Dalila respira fundo. Olha para Brad.
Tá. (Dalila)
Brad e Dalila saem. Dalila volta. Dá um beijo em Angely. Angely corresponde. Dalila afasta. Angely passa a mão no rosto de Dalila.
Casa de Brad.
Então, Alexander arrumou documentação falsa? (Brad)
Você sabe, eu nunca me livraria da polícia, por causa da morte das minhas amigas. (Stephany)
E pra onde você vai? (Brad)
Europa. Aqui eu corro o perigo de alguém me reconhecer. (Stephany)
Então isso é um adeus? (Brad)
É. (Stephany)
Stephany baixa a cabeça. Vai na direção da porta. Brad vai até Stephany e segura-lhe o braço.
Só mais uma coisa. (Brad)
Que coisa? (Stephany)
Brad suspira. Olha para baixo. Olha para Stephany. Solta o braço.
Vê se se cuida. (Brad)
Eu prometo. (Stephany)
Stephany sai.
Algum tempo, algum lugar
Pô, achei que ia demorar tanto quanto Elian! (Xien)
Nã. Tiveram ajuda. Inclusive de Dara. (Uehfo)
Dara. Gosto de Dara. (Xien)
Angely e Edmont também. (Uehfo)
Não rola uma pistazinha? (Xien)
Eu tô te dando um monte delas. Seu problema é que quer a resposta de uma vez. E isso eu não posso te dar. (Uehfo)
Uehfo desaparece.

Resumo do Capítulo

Kat não acorda após o sonho. Angely e Edmont saem para procurar algo, Derik fica, caso Kat dê mais sinais. Kat fala com Mel em sonho. Mel fala que Andrews queria atingir Kat também. Procurando, Angely e Edmont passam por Kassandra. Argo fala com Dilan sobre prender Andrews de novo. Rust também quer. Discutem sobre. Rust sai. Encontra Kassandra. Kassandra diz que Rust não conseguirá matar Andrews. Kat, ainda dormindo, vive junto com Mel toda a tortura. Derik se desespera e vai até uma igreja. Padres deduzem que é possessão. Andrews diz a Mel que irá matar Edmont, Angely, Kat e transformar Mel. Quando Andrews sai, Mel descreve o lugar, Kat repete, mas não há ninguém no quarto. Na delegacia, avisam Stephany que irá para prisão perpétua. Brad tenta avisar a MEAK, mas o delegado pega. Angely e Edmont resolvem voltar para casa, após receberem parte da notícia sobre Stephany e não conseguirem falar com Derik. Andrews mata as pilotos do helicóptero que levaria Stephany. Dalila foge. Stephany ameaça se matar e Andrews vai embora. Brad ajuda Stephany a fugir. Andrews encontra Dalila e Dalila concorda em ajudar. Angely e Edmont chegam em casa, encontram Kat em serenidade na cama. Derik está em uma cadeira, padres tentam exorcismo. Derik finge que foi bem sucedido para fugir. Chegando na MEAK, Derik e Edmont brigam. Recebem uma carta, com um endereço. Brad liga. Derik vai até Brad, Edmont vai procurar o endereço. Stephany tenta se matar. Derik e Talita levam Stephany até o hospital. Alexander, caça-vampiros, aparece no hospital. Stephany diz a Derik que vá e deixe Alexander. Rust vai falar com Dara. Diz que dera a pista que Dara entregara na MEAK. Diz que vai ajudar. No hospital, Alexander discute com Dalila e depois com Stephany, por Stephany querer ir embora com Dalila. Rust leva Dara para distrair Andrews e conseguir resgatar Mel. Kat acorda. Conta sobre Rust e Dara. Rust deixa Mel no hospital. Mel está em coma. Andrews leva Dara para a casa de Dalila. Dalila prende Dara. Quando Andrews vai para o quarto, Dara se solta. Derruba Dalila. Alexander aparece. Acha que Dara estava com Andrews. Rust chega e luta com Alexander. Dara pega a besta a aponta, mandando pararem. Dara convence Alexander que Dalila quem entregou Stephany. Rust vai embora. Dilan diz a Andrews que não vai conseguir convencer Stephany. Stephany ainda dorme, sob o efeito do sonífero. Dalila foge de Alexander. Beatrice tenta seduzir Edmont. Dara faz um plano para matar Andrews. Beatrice encontra Andrews. Dilan vai embora. Dalila chega. Rust vigia o hotel. Mata Dilan. Dara, Rust, Alexander e Brad vão até o hotel. Rust resolve usar Stephany de isca. Stephany concorda. Dalila foge, com medo. Angely encontra no meio do caminho e fica com Dalila no saguão. Edmont sobe para ajudar. Andrews chega com Beatrice. Angely vai para a MEAK com Dalila. Beatrice pede que Andrews não enfrente os outros. Andrews fica algum tempo com Beatrice, mas Beatrice dorme e Andrews vai ao último andar. Luta com todos. Rust cerca. Pula em cima de Andrews e caem pela janela. Alexander puxa Rust de volta. Alguém avisa Angely, por telefone, para que tenha cuidado com Edmont, que age mais como vampiro do que como çacador de.

Dara Keon