Origens
MEAK
B09

Origens ler resumo

Tarde. Apartamento. Janaína está na cama. Etos sai do banheiro, de toalha.
Tem certeza que quer viver aqui? (Etos)
Tenho. Assim você fica em cima do cara, pra ver ele se vai pagar. (Janaína)
Estou perguntando de você. (Etos)
Se ele não pagar, me dá a Ilha de presente? (Janaína)
Mas só falta uma semana pro seu aniversário... Prometi até o fim do ano para pagar... (Etos)
Meu melhor presente de aniversário foi te conhecer. Não tem como superar. Dá de presente de Natal. (Janaína)
Vou fazer melhor. Eu vou até lá... (Etos)
Etos sobe em cima de Janaína.
...dizer o que nós já sabemos: que não vai conseguir pagar. (Etos)
Etos desabotoa a camisa de Janaína.
Assim pode entregar a Ilha. Daí eu te dou. (Etos)
Etos beija Janaína.
Jura? (Janaína)
Noite. Alan está em seu quarto.
Mel, eu sei que eu devia arranjar emprego, mas não tem nenhum que sirva pra mim. Fui recusado pra tudo. Eu só sirvo pra caçar vampiros mesmo... (Alan)
Alan baixa a cabeça.
Não, isso não vai funcionar. (Alan)
Volta a olhar para o espelho.
Minha vocação é essa. Eu juro que vou fazer tudo o que puder para... Também não. (Alan)
Que tal, vou me mudar? (Zenon)
Isso. Zoa mesmo. Já... (Alan)
Bom, essa foi a única que consegui pensar. (Zenon)
Alan olha para Zenon.
Peraí, você disse que já tinha emprego! (Alan)
Claro, eu chego e dô de cara com ela, foi a única coisa que consegui dizer! Mas não consegui nada. (Zenon)
Cara, será que ela vai expulsar a gente? (Alan)
Sei lá. (Zenon)
Como não? Você convive com ela há quanto tempo?! Tem ao menos dois anos pelo que disseram! (Alan)
As "crianças" arranjaram emprego. (Zenon)
Derik não arranjou. (Alan)
Derik cozinha, Derik lava, Derik costura, Derik limpa, Derik conserta... (Zenon)
Tá, tá, não precisa ficar enumerando. (Alan)
Alan franze a sobrancelha.
Pera, conserta?! (Alan)
Lembra do cano que Mel mandou eu consertar outro dia? (Zenon)
Cara, não dá pra bater o Derik. Eu desisto. (Alan)
Se eles arranjaram emprego e nós não, seria mais digno nós sairmos antes que ela expulse. (Zenon)
E pra onde vamos? (Alan)
Cuidamos disso depois. (Zenon)
Claro, assim que estivermos debaixo da ponte! Ah, não, as pontes daqui tem só água embaixo! (Alan)
Você é um homem ou um rato??? (Zenon)
Vamos ter que virar ratos. Pra viver no esgoto. (Alan)
Vai fazer isso ou não? (Zenon)
Recepção. Mel e Beatrice estão no balcão, Mel do lado de fora. Zenon e Alan descem a escada.
Estamos atrapalhando? (Zenon)
Não se for pra falar de emprego. Alan não, mas você não devia estar procurando agora? (Mel)
É disso que viemos falar. (Alan)
Falo eu, ou...? (Zenon)
Não conseguimos nada. (Alan)
E não achamos justo ficarmos aqui. (Zenon)
Mel encolhe e volta os ombros.
Tá. (Mel)
Só isso? (Zenon)
Mel cruza os braços.
Se Alan esperasse algo diferente, que eu pedisse para ficarem, eu até entenderia. (Mel)
Podia ter demonstrado um pouco mais de... (Alan)
Se decidiram sair daqui, é porque algum motivo tiveram. (Mel)
Não conseguimos emprego. (Zenon)
Mel solta os braços.
Se um dia quiserem voltar, as portas estarão abertas. (Mel)
Quando conseguirmos algo, talvez. (Alan)
Por que não tentam mais uma noite? (Mel)
Zenon e Alan se entreolham. Saem.
Não querem ir embora. (Mel)
Nem deu tempo de apostar quanto tempo levavam para voltar. (Bea)
Diz uma coisa, Derik está ficando cada vez com mais folga ou é só impressão? (Mel)
Não, é que cismou que os quartos tinham ficado com um cheiro estranho. (Bea)
Kat deve ter ficado uma fera. (Mel)
Tá ajudando. (Bea)
Alan e Zenon estão andando.
Ok. Aceitamos a idéia dela. Por quê? (Alan)
Para provar que não desistimos assim tão fácil. (Zenon)
E vamos aonde? (Alan)
Sei lá. Cemitério? (Zenon)
Ares.
Não sabia que vampiro ficava bêbado... (Alan)
Você bebeu vinho, eu bebi vodka, você não agüentaria um décimo do que bebi sem entrar num coma alcoólico! (Zenon)
Tá, agora voltamos lá assim e ela vai nos expulsar mesmo... (Alan)
Zenon e Alan dão risada. Zenon senta-se no chão. Alan senta a sua frente.
E se eu virar garoto de programa, acha que consigo alguma coisa? (Alan)
Quieto. (Zenon)
Por que me trata tão mal?! Deveríamos ser amigos, fomos os dois desprezados por ela... Podíamos falar mal dela, que acha? (Alan)
Tô ouvindo alguma coisa, fica quieto. (Zenon)
Tá mais bêbado que eu... (Alan)
Gritos.
Ou não. (Alan)
Perfeito, não podia ter sido antes de ficarmos bêbados?! (Zenon)
Ou podíamos não ter ficado bêbados. (Alan)
Vamos lá. Nem que se distraiam batendo na gente e consigam fugir. (Zenon)
Tem certeza? (Alan)
Zenon levanta. Dá a mão a Alan, que levanta, quase caindo em seguida, Zenon segura. Seguem até chegar a uma parte.
Ei! (Zenon)
Emanuel, Diogo, Augusto, Michele, Tatiane e Alice olham para Zenon e Alan.
Estão aqui para salvar elas? (Emanuel)
É isso mesmo! (Zenon)
Alan cai no chão. Zenon olha para Alan. Olha de novo para o grupo.
Ou pelo menos eu estou. (Zenon)
Acha que caímos nessa de bêbado? (Diogo)
Bêbado? Ele é que tava bêbado, eu tava levando ele pra casa... (Zenon)
Ih, cara, ele tá mesmo bêbado... (Emanuel)
Ele é vampiro... Deve ser o tal que trocou de lado... (Augusto)
Provavelmente nos dois sentidos... (Diogo)
Emanuel, Diogo e Augusto riem. Zenon franze a testa.
Tô na dúvida se não achei graça por ser homofobia ou se sou homofóbico e tô bravo porque é comigo... (Zenon)
Podemos matar ele, agora que tá bêbado, e acabar com uma dor de cabeça. (Augusto)
Emanuel, Diogo e Augusto largam Michele, Tatiane e Alice e vão na direção de Zenon. Tatiane e Alice correm. Augusto chuta Zenon, Zenon, do chão, passa a perna em Augusto. Zenon levanta, segura um soco de Emanuel, puxa pelo braço e joga contra a parede. Diogo segura Zenon com o braço pelo pescoço, por trás. Zenon joga Diogo por cima de si e crava uma estaca em Diogo, que desfaz. Zenon levanta e toma um soco de Emanuel. Augusto segura Zenon. Emanuel olha ao redor.
Procurando isso? (Michele)
Emanuel se vira e Michele enfia a estaca em Emanuel. Emanuel desfaz. Augusto e Zenon franzem a testa. Alan acorda. Augusto vai na direção de Michele. Zenon continua olhando. Augusto pega o pulso de Michele, Michele troca a estaca de mão e crava com a esquerda no peito de Augusto.
Mas... (Augusto)
Augusto desfaz em pó.
Tá, eu devo ter caído e tô tendo alucinações... (Zenon)
Ela derrubou todos eles??? (Alan)
Não, eu matei um! (Zenon)
Por que gritou então?! (Alan)
Não fui eu quem gritei. (Michele)
É, pela voz, não foi mesmo. (Zenon)
Também não acho que eu quem fiz isso... (Michele)
Ah, mas isso foi! Isso eu vi! (Zenon)
Então isso existe... (Michele)
Peraí, qual seu nome? (Alan)
Michele. (Michele)
Michele olha para a mão.
Ah, droga! (Michele)
Que foi? Se machucou? (Alan)
Quebrei minha unha! (Michele)
Só isso?! (Zenon)
"Só isso"?! Sabe quanto tempo demora pra crescer??? Você gosta que caia qualquer coisa na sua cabeça quando acabou de lavar o cabelo??? (Michele)
Eu não gosto. (Alan)
Por que perguntou meu nome? (Michele)
Alguém veio falar com você sobre um papo de vampiros e você ser a reencarnação de... (Zenon)
Lish? É, vieram, decorei a estória toda... (Michele)
Não é estória, é história! (Alan)
Até mandei os seguranças da casa não deixarem eles entrarem, mas não adiantou... (Michele)
CVs são muito bem treinados! (Alan)
Michele olha para Alan, depois Zenon.
Tô vendo... (Michele)
Alan levanta.
Eu não sou CV, e ele é ex CV. (Zenon)
Bebendo pela demissão? Já sei, ele foi demitido por causa do namoro... (Michele)
Namoro?... (Alan)
Alan olha para Zenon, depois para Michele.
Peraí, não tá achando que... (Alan)
Fomos desprezados pela mesma mulher, mas daí a virar gay... (Zenon)
Ela tava indecisa entre vocês dois? (Michele)
Não! Bom, ele foi expulso porque estava com ela, mas eu não estou mais com ela. (Zenon)
Estamos falando da Clítia ou da Mel?... Peraí, por quê acha que ela escolheria você, senhor "eu sou o melhor"? (Alan)
Quer mesmo saber? (Zenon)
Eu ficaria indecisa. Apesar das roupas de baixo valor. (Michele)
Será que foi isso? (Alan)
Acorda, ela nos deu um pé porque não quer nada com ninguém! (Zenon)
Então ela quem deu o pé? É por isso a bebedeira? (Michele)
A que fez ele ser expulso e tava comigo antes é uma vampira. Estamos falando de outra mulher agora! (Zenon)
É. Ela nem tentou, dispensou sem nem tentar... (Alan)
Ela é lésbica? (Michele)
Não, mas consegue quem ela quiser. (Alan)
Acha que não consigo? (Michele)
Tem o que? Dezenove? (Zenon)
Vou voltar pra casa, meus pais vão ficar preocupados. (Michele)
Michele segue andando.
Zenon e Alan chegam a uma casa. Zenon bate a porta. Angely abre. Franze a testa.
Algum problema? (Ang)
Queremos saber se dá aula para uma garota. (Alan)
Dou aula pra um monte de gente. (Ang)
Na verdade é uma determinada garota. (Zenon)
Foi o que eu pensei. Vão ficar na porta? (Ang)
Angely dá passagem e Zenon e Alan entram.
Peraí, ele não te convidou! (Alan)
Convite indireto. Se você disser simplesmente "quer conhecer minha casa?" ou até "pode consertar meu encanamento?", eu já posso entrar. (Zenon)
Que merda... (Alan)
Zenon cruza os braços.
Não por você, sabe, pelos outros... (Alan)
Sei. (Zenon)
Qual a idade da pessoa que procuram? (Ang)
Uns 18, 19. O nome é Michele. (Alan)
Isso é do período da noite. Dou aula de tarde, aliás, voltarei para o período da manhã amanhã, quem tinham arranjado resolveu virar alpinista. Mas a noite... (Ang)
E não tem jeito de falar com um professor? (Zenon)
Se tiverem alguma informação menos vazia. (Ang)
As amigas dela... Uma tem uma tatuagem no braço... Uma flor e uma borboleta... É loira falsa, da altura da Kat, olhos meio puxados... (Zenon)
Reparou tanto assim nela? Tem certeza que estava bêbado? (Alan)
Pera, tão procurando alguém que viram depois de beber? (Ang)
Mais ou menos. Mas quanto à garota, temos quase certeza que é Lish reencarnada, sabe, a primeira vampira. Ela está destinada a reencarnar até a extinção completa dos vampiros. (Alan)
Isso foi quando? (Ang)
Hoje. Mas eu mergulhei no lago e depois joguei esse aí, pra ficarmos sóbrios... (Zenon)
Esse aí não! (Alan)
Tem certeza da idade da pessoa? Porque a outra pessoa, a que Zenon descreveu, acho que já a vi, no período da manhã. Sabem o nome? (Ang)
Não. Ela saiu correndo antes de sabermos. (Zenon)
Saiu correndo? (Ang)
Nós fomos salvar elas, ouvimos os gritos... (Alan)
Quando tinham bebido? (Ang)
Sim. Bom, encontramos elas, derrotamos os vampiros... (Alan)
Zenon encara Alan.
Eu desmaiei, Zenon derrubou um vampiro e a tal Michele derrubou dois. (Alan)
Entendi porque a desconfiança. Tem uma pessoa de nome Michele líder do time de ginástica, então vou perguntar mais uma vez, têm certeza da idade? (Ang)
Zenon chutou. (Alan)
Mas ela não negou! (Zenon)
Angely suspira.
Amanhã Alan vai até a porta da escola e eu falo com Michele. Depois me diz se é. (Ang)
É... Eu não vi muito bem a garota... Não seria mais seguro o Zenon? (Alan)
Só se for mais seguro para você, não existe protetor solar cinco mil! (Zenon)
Zenon vai com uma capa e Alan fica por perto pra ter certeza que ninguém vai puxar. (Ang)
Manhã. Fundo de uma sala de aula. Michele virou-se para trás na carteira. Tatiane e Alice estão atrás. Ninguém olha para a frente.
19?! Sério que ele te deu 19?! (Tatiane)
Não pode dizer pra ele nossas idades! (Alice)
Aliás, porque ontem saíram correndo? (Michele)
Você também não saiu? (Tatiane)
Não me viram? (Michele)
Vai dizer que ficou esperando aqueles bêbados fazerem alguma coisa? (Alice)
Eles fizeram... (Michele)
Uma coisa que eu lembrei, vamos testar se Michele continua a mais sóbria entre nós... (Tatiane)
Tatiane olha para Alice. Olha para Michele.
Viu algo de diferente nos dentes deles? (Tatiane)
Michele olha para Alice. Então de volta a Tatiane.
Não. (Michele)
Passa a grana. (Tatiane)
Alice abre a bolsa, tira uma nota de cem.
Nós quase morremos ontem e vocês apostando?! (Michele)
Alice volta a nota de cem para si.
Acho que ela viu sim. (Alice)
Eles nos encostaram na parede, com as caras que estavam, acham que iam nos deixar vivas? (Michele)
Será que iam nos matar?! (Tatiane)
Se entreolham.
Se enfeitarmos um pouco, fica melhor que o seqüestro da Juliana. (Alice)
Fala aí, eles eram assim tão... (Tatiane)
Nossa... Só não passam do professor de matemática do começo do ano... (Michele)
Michele endireita o corpo e desvira. Tatiane e Alice olham para a frente também. Mel está de braços cruzados na frente de Michele.
Me disseram que haviam certas pessoas na escola que, só porque têm dinheiro, acham que podem tudo. (Mel)
Meu pai é dono da... (Alice)
Não tá escrito no estatuto da escola que cria de gente com empresa é imune a punições. Vão ficar na diretoria depois da aula, até a entrada do outro pessoal. Se continuarem atrapalhando, vou ter que tomar medidas mais drásticas. Daí terão que mudar de Ilha, porque essa é a única escola por aqui. Ou simplesmente largam tudo e ficam vivendo de shopping até a falência. Que preferem? (Mel)
Sol a pino. Diretoria.
Isso não vai ficar assim. (Alice)
Ela acha que pode alguma coisa?? (Tatiane)
Gente, não precisamos ficar reclamando aqui. Chegamos em casa e falamos com nossos pais. Falarão com Sandro, ele coloca pra fora essazinha. (Michele)
Sandro entra no quarto de Alete.
Oi... (Sandro)
Alete olha para Sandro.
Olha, eu não consigo mais esconder isso... Você é muito linda... (Sandro)
Sandro vai em direção a cama. Alete se levanta.
Eu cuidei de você... Não entende? Desde de que eu te vi... (Sandro)
Alete sai correndo do quarto. Sandro vai atrás. Alcança Alete. Rasga a blusa de Alete. Voa contra a outra parede.
Eu tava só esperando um motivo pra te matar. (Etos)
Sandro levanta e corre. Etos aparece em sua frente, Sandro cai.
Que foi? Não é tão divertido quando é com você? (Etos)
Etos levanta Sandro.
Devia fazer com você o que você ia fazer, mas acho que a pessoa precisa que eu volte lá e acalme. (Etos)
Etos tampa a boca de Sandro e morde. Sandro grita abafado. Etos continua bebendo. Sandro fecha os olhos. O corpo amolece. Etos continua ainda um pouco. Solta o corpo. Pega o celular no bolso. Disca. Coloca no ouvido e aguarda.
Pode vir, meu amor. ### Tentou agarrar uma pessoa. Meu tipo de refeição preferido. ### É, é sua. Vai ser meio difícil colocar o laço, mas... ### Tá, até. (Etos)
Etos desliga o telefone. Volta até Alete.
Não precisa ter medo, eu... (Etos)
Alete levanta, olhando no olhos de Etos. Etos para. A respiração de Alete fica mais lenta.
Anoitecer. Janaína chega a casa. Entra. Olha ao redor. Sorri. Vai em direção a escada, entram três pessoas. Paletós e gravatas.
Sim? (Janaína)
Deve ser alguma das "amigas" do Sandro... (Miguel)
Ele não tava querendo insistir na garota estranha? (Tadeu)
Estão se referindo ao antigo dono do lugar? (Janaína)
Antigo porque? Ele se mudou? (Aldo)
Sim. Pro inferno. As ilhas agora são minhas. (Janaína)
Matou ele? (Tadeu)
Não, meu namorado quem fez isso. Quando ele tentou agarrar uma garota... Será que é a garota estranha que vocês falaram? (Janaína)
E porque acha que as Ilhas são suas agora? (Miguel)
Não sei se você saiu da idade média, mas há mais burocracia hoje em dia que isso... (Aldo)
Eu apenas sei. O que vieram falar com ele? (Janaína)
Sobre a diretora nova da escola. Andou se metendo com quem não devia e tem que ser cortada. (Tadeu)
Tem? (Janaína)
Sim. Se você é a nova dona das Ilhas, deve entender que somos muito influentes. Existe uma hierarquia vigente aqui, como em todo lugar civilizado. (Miguel)
Quer dizer, suas filhas não sabem se comportar como gente e agora querem tirar a diretora de lá por isso? (Janaína)
A senhorita não está entendendo... (Aldo)
Não, vocês que não estão. Se vamos falar de justiça, depois eu falo com a diretora e vejo se isso foi justo. Se vamos falar de poder, é melhor não falarem mais. Vocês conhecem um cara muito rico chamado Etos? (Janaína)
E-e-etos? (Tadeu)
Já vi que sim. Ele é meu namorado. Então saiam daqui. Se quiserem sair das Ilhas, eu não me importo. Mas essas Ilhas, Etos quem me deu e ele pode manter isso aqui sem vocês. Ou talvez com o dinheiro que um de vocês está devendo, não me importa. Mas eu aconselharia a não me ameaçarem mais, pra eu não ter que falar com ele. (Janaína)
Casa de Michele.
Como assim?! (Michele)
A garota pode tomar tudo o que temos! Se eu for fazer algo, teremos que tirar ela de lá primeiro. Vai ter que aturar isso por algum tempo. (Miguel)
Alan e Zenon estão no quarto, pegando suas coisas.
Ok. Tem um albergue na... (Alan)
Vai ter que ir sozinho. Não aceitam vampiros. (Zenon)
Já foi lá? (Alan)
Já fui em cada canto desse lugar. Pior que nem sei como vou manter minha fonte... (Zenon)
Fonte? Do que? (Alan)
Acha que me alimento de ar? Porque fotossíntese ia ser meio difícil... (Zenon)
Vamos conseguir um lugar. (Alan)
Por que não vai pra um abrigo? Não é vampiro... (Zenon)
Não vou te deixar sozinho. (Alan)
Angely entra no quarto.
Esqueceu da Michele. (Alan)
Não, Mel prendeu na diretoria. (Ang)
Ela não é tão boa garota assim? (Zenon)
Bom, reclamam que ficam Michele, Tatiane e Alice conversando, não prestam muita atenção nas aulas. Acho que devem gostar de matemática, porque não notei isso. (Ang)
Se for a nossa Michele, então parece que ela não tem 19 anos. (Alan)
Tá, eu não tenho culpa de ter achado ela mais velha! (Zenon)
Tem dezesseis. (Ang)
Cara, eu cheguei a olhar pra ela... Tem a idade da Estela! (Alan)
Angely baixa a cabeça.
Que é?! (Alan)
Eu não tava em mim, eu... (Ang)
A gente já sabe disso. E sabemos que parou também, que foi só um beijo. (Zenon)
Ang suspira. Olha para Zenon e Alan novamente.
Amanhã vocês vão lá na escola. Daí a gente vê se estamos falando da mesma pessoa. Já arranjaram um lugar? (Ang)
Ah, bom... (Zenon)
Noite. Mel chega em casa.
Mandou eles embora? (Estela)
Não, foram por que quiseram. Nem fiz menção a isso. (Mel)
Então por quê foram? (Kat)
Acham que não é justo ficarem aqui, sem trabalho, se até vocês estão trabalhando. Quando arranjarem emprego, voltam. (Mel)
Zenon e Alan estão andando em Ares.
Malas? (Michele)
Droga, bem que o Angely podia estar aqui com a gente! (Alan)
Angely? O professor da escola? (Michele)
Então conhece ele? (Zenon)
Bom... Eu... (Michele)
Por que não me corrigiu quando eu disse dezenove? (Zenon)
É bom não acharem que sou criança de vez em quando... Peraí, vocês moram na casa da diretora da escola? (Michele)
Morávamos. (Alan)
Como assim? (Michele)
Precisamos arranjar emprego para voltar. (Zenon)
Ela é a que desprezou vocês? (Michele)
Precisa ficar lembrando? (Alan)
Agora têm emprego. Vampiros existem, e se sou mesmo a reencarnação da tal Lish, melhor eu começar a treinar. (Michele)
Zenon sorri. Alan solta os ombros.
Que foi? (Michele)
Só pode ser praga da Soraia. (Alan)
Manhã. Pátio da escola.
Mas é claro que tenho! Por que mais ela ia ficar cozinhando os dois? (Michele)
Sei lá, ela não me parece do tipo que iria querer os dois pra ela... (Alice)
Será que a Tati não chega? (Michele)
Não ficou sabendo? Os pais dela vão se mudar da Ilha. (Alice)
Quê?! (Michele)
É, medo da namorada do tal agiota. (Alice)
Então precisamos arranjar alguém pra colocar no lugar dela, o campeonato tá chegando. E temos que dar um jeito de nos vingarmos de Melody. (Michele)
Melhor a gente entrar agora, antes de tomar bronca de novo. (Alice)
Sol a pino. Sala de docentes.
Com licença... (Michele)
Alguma reclamação do corpo discente? (Mel)
Não é mais fácil falar "dos alunos"? (Michele)
Mel encara Michele.
Na verdade vim aqui falar com o Angely. Se fosse com você, iria à diretoria. (Michele)
Mas viria até aqui se não me encontrasse lá... Ou pelo menos eu acho que você pensa. (Mel)
Michele se vira para Angely.
Vim dizer que não precisa se preocupar com seus amigos, eles estão na minha casa. Se quiser visitar... Apareça quando quiser. (Michele)
Mel encara Michele. Michele sai.
Acha que tô ligando pra isso. (Mel)
Acha que veio aqui te provocar? (Ang)
Tava na cara, nem fez questão de esconder. (Mel)
Bom, eu não sei de nada. (Ang)
Mel se vira para uma janela. Suspira.
Sabe o que é mais engraçado? Michele achar que levando Zenon e Alan pra casa vai causar alguma coisa. É só eu estralar os dedos e voltam, nossa amizade, ao menos com Zenon garanto, vale mais que isso. Essa criança arrogante, não vão agüentar muito tempo... (Mel)
Mel vira de volta. A sala está vazia.
Michele chega em casa. Zenon e Alan estão na sala.
Estávamos discutindo algumas coisas... (Alan)
Você tem um diário? (Zenon)
Sim. (Michele)
Não disse? Toda garota tem. (Alan)
Zenon revira os olhos.
Pode trazer? (Zenon)
Michele sobe as escadas e desce com três cadernos. Alan está perto da lareira acesa. Michele entrega os diários a Zenon.
Tudo aqui? (Zenon)
Sim. (Michele)
Zenon vai até Alan. Joga os diários no fogo.
Mas que raios está fazendo??? (Michele)
Michele vai na direção da lareira. Alan tenta segurar, toma um soco e cai no chão. Zenon segura Michele por trás.
Jogamos no fogo as maiores chances de alguém conhecer tudo que se passa na sua cabeça e acabo de perceber que você é fácil demais de se segurar, então é melhor começar a treinar antes que os vampiros descubram o que os CV já sabem. (Zenon)
Zenon solta Michele. Ajuda Alan a levantar. Michele fica olhando para a lareira.
Eu contratei vocês pra me treinarem, não pra me dizerem o que fazer. Tenho seguranças aqui, nenhum vampiro... (Michele)
Eu posso bater em todos os seus seguranças, se não sozinho, talvez com um grupo. E sabe por quê? Eles não estão treinados pra enfrentar isso, nem devem saber que isso existe. Passei por eles e nem olharam. Você trouxe dois estranhos pra casa, nem você nem eles quiseram investigar. Então, não venha me dizer que um vampiro não pode entrar aqui. Está viva até hoje por sorte. (Zenon)
Mas vocês não são vampiros... (Michele)
Michele olha para Zenon.
Você não me pareceu normal, mas... (Michele)
Não te pareceu normal por causa da roupa? (Alan)
Bom, essas roupas de vocês... (Michele)
Zenon cruza os braços.
Não, não foi isso. (Michele)
Beleza, pelo menos alguma coisa... (Zenon)
Por que tá dizendo isso? (Michele)
Isso que você sentiu... Bom, eu realmente não sou normal. (Zenon)
Vampiro? (Michele)
Sim. Não sentiu tão forte porque sou de 2a linhagem e... (Zenon)
Parte teórica depois, agora a parte prática. (Alan)
Etos está de cabeça baixa.
Você entende porque saímos correndo, não é? (Etos)
Alete acena para baixo com a cabeça.
Eu não devia ter feito isso. Tô me sentindo muito mal... (Etos)
Alete passa a mão no rosto de Etos. Etos segura a mão de Alete.
Não. Não tem perdão. (Etos)
Alete pega a mão de Etos e começa a desenhar letras com o dedo.
F... E... N... Tá, fênix, eu sei disso. Mas eu não tinha o direito, do mesmo jeito... (Etos)
Etos olha nos olhos de Alete.
Desde de que encontrei Janaína, quando tinha sete anos, não tenho outra pessoa... Não que eu tenha feito algo com uma criança, não me interprete mal! Achei que ia adotar, mas quando tinha 15 anos me fez mudar de idéia. Literalmente fez. Foi até meu quarto e... Não devia ter traído a confiança de Janaína. Não devia prometer algo que não ia cumprir. (Etos)
Alete deita Etos em seu colo. Olha para o teto. Franze a testa. Desfranze. Sorri de canto de boca.
Domingo. Michele vira para o lado em sua cama. Pega o relógio. Arregala os olhos e levanta. Olha ao redor. Sai do quarto. Vai até outro quarto. Entra. Duas camas vazias. Melody, na MEAK, entra nos quartos. Ninguém. Chega a sala. As pessoas estão em pé, há um bolo na mesa. Mel olha pra Zenon e Alan.
Vieram sem Michele saber de novo? (Mel)
Só isso que sabe dizer? (Alan)
Mel dá meia risada.
Bom, feliz aniversário! (Zenon)
Tem uma coisa... Sei que o de Alan foi dia 19, o de Estela 31 de outubro, o seu que veio com a gente eu não sei. (Mel)
Qual dos dois quer? (Zenon)
Dois? Está se referindo ao dia que se transformou? Por que isso não pretendo comemorar. (Mel)
De certa forma foi bom. Não estaria aqui se não fosse por isso. (Zenon)
Oi. (Michele)
Todo mundo olha para a porta.
Michele. (Mel)
Sabe, eu acho que não tem sentido a gente ficar brigando. (Michele)
Eu também. Agora é só você parar. (Mel)
E como prova de que venho em paz, soube do seu aniversário e trouxe até um presente. (Michele)
Michele entrega um embrulho para Mel. Mel abre. Uma blusa de moleton rosa. Mel guarda de volta na embalagem.
Valeu. (Mel)
Gostou? (Michele)
Mel cruza os braços.
É um presente. Não se julga presentes. (Mel)
Michele engole seco. Angely sai da sala. Estela franze a sobrancelha. Vai atrás.
Que foi, cê tá bem? (Estela)
Só um pouco de tontura. (Ang)
Bom, com aquela falsidade rolando solta, eu que não sou sensível já não gostei... (Estela)
Mel não fez de falsidade, mas acho que ficou com raiva quando percebeu que era para ser alguma espécie de piada. Quando vão se entender? (Ang)
Numa previsão bem otimista? Nunca. Vai ter que sair de perto quando essas duas estiverem juntas. (Estela)
Michele é um entojo... (Bea)
Ou melhor, três. (Estela)
Você vai a casa de uma pessoa no aniversário da pessoa pra tentar zombar da pessoa?! (Bea)
Ela se acha, acha que pode com a Mel... Vai se arrepender um dia. (Estela)
Angely respira fundo. Sai.
Será que ele gosta dela? (Estela)
Angely gosta de qualquer coisa. (Bea)
Bom, ninguém aqui gostava de você, mas você pode ter certeza que depois de conhecer a Michele... (Estela)
Posso levar isso como um elogio? (Bea)
Ai, desculpa, não era pra ofender... (Estela)
Tudo bem. Já ouvi coisas piores de Kat. Com a diferença que foi intencional. (Bea)
Desculpe se eu ofender de novo, mas se dormisse com o meu namorado eu também não ia gostar muito. (Estela)
Não foi exatamente... (Bea)
Beatrice respira fundo.
Bom, um dia cê vai entender. (Bea)
Eu não tenho namorado, ao menos disso tô a salvo. (Estela)
Depende. (Bea)
Do que? (Estela)
Eu sei que pra Zenon você não liga, mas sei de Alan. Me diz uma coisa, você conviveu mais tempo, como consegue gostar? (Bea)
Talvez estejam certos aqueles que dizem que o amor é cego. Mas o Alan não é meu namorado. (Estela)
Ah, que bom. Então quer que não vai se importar com o que fizemos. (Bea)
Quê??? (Estela)
Beatrice ri.
Desculpa. Não, não fizemos nada. Se quer esconder, vai ter que aprender a disfarçar melhor. (Bea)
Alguém podia levar a coisa pra passear? (Mel)
Beatrice e Estela olham para Mel.
Sabem de quem estou falando. Hoje é meu aniversário, dei graças de cair num domingo e o único ser que eu não queria ver vem na minha casa... (Mel)
Eu não posso, sol faz mal pra minha pele. (Bea)
A Kat! (Estela)
Que tem Kat? (Mel)
Bom, às vezes ela conversa com a Michele. (Estela)
Isso não é bom. (Mel)
Por quê? Kat não é tão influenciável... (Estela)
Não quero que Kat passe a achar que é superior aos outros e que dinheiro resolve tudo. Antigamente Kat teria o mesmo nojo que tenho de Michele. (Mel)
Quer que eu faça alguma coisa? (Bea)
Não está sugerindo o que... (Mel)
Só um susto, não ia ser nada demais. (Bea)
Bom, um susto... (Mel)
Ela está sendo treinada pelos dois. (Estela)
E daí? Eu luto melhor que Zenon e Alan juntos. (Bea)
Mas se ela é mesmo a reencarnação da tal Lish... (Estela)
Melhor não se arriscar, Beatrice. (Mel)
Mel sai. Beatrice sorri.
Ela, preocupada com você? (Estela)
Beatrice desfaz o sorriso.
Fazia isso quando lutamos por dois anos. Angely fala a verdade quando diz que Mel gosta de tomar conta de todo mundo. (Bea)
Estela sai. Beatrice sorri novamente.
Lado de fora da MEAK.
Sério?! (Kat)
É claro. (Michele)
Mas e Mel? Aliás, precisava provocar? (Kat)
Achei que ela fosse gostar. (Michele)
Mentira. E deu pra ver que se desapontou com a reação. Para com isso, por favor. (Kat)
Está se referindo à mulher que prefere ficar te protegendo que te treinar? (Michele)
Mel se preocupa comigo. (Kat)
Tudo bem, não vamos discutir. Quer sair comigo e com a Alice amanhã? Vamos ao shopping. (Michele)
Sabe que eu trabalho. (Kat)
Posso te arranjar trabalho de atriz. Daí quem sabe você fica rica e não precisa ficar trabalhando. (Michele)
Como se atriz não trabalhasse... (Kat)
E trabalha? (Michele)
Só gente que nasce em família rica não trabalha. (Kat)
Se quiser, pode vir morar comigo. (Michele)
Derik chega e abraça Kat.
Não, Kat tá bem aqui. (Derik)
Michele franze a sobrancelha. Desfranze.
Não é esse tipo de proposta que estou fazendo. Bom, tenho que ir. (Michele)
Michele sai.
Michele não gosta de mim. (Derik)
Não acho que queira algo comigo. (Kat)
Não, não gosta de mim porque eu não sou elite. (Derik)
Eu também não. (Kat)
Mas foi e parece elite. Se reparar, só fala com você e saí quando chego eu ou Estela. (Derik)
Acho que é coisa da sua cabeça. (Kat)
Casa de Alice.
E aí? (Alice)
Tá um pouco difícil. Temos que arranjar outros pontos. (Michele)
Acha mesmo que tirar a Kat de lá... (Alice)
Pensei em algo agora. E se o Derik largasse a Kat e ficasse com a Estela? (Michele)
Mel colocaria os dois pra fora. (Alice)
Não, Mel não é desse tipo. (Michele)
Kat sairia dali. (Alice)
Aceitaria meu convite. (Michele)
Exatamente. (Alice)
Atingiríamos Mel. Quem sabe ela não vai brigar com a gente e Zenon e Alan desencantam dela? (Michele)
Nossa, mas a última vez que eles ficaram bêbados só falaram dela! (Alice)
Se ainda fizessem alguma coisa... (Michele)
Bem que podíamos drogar eles. (Alice)
Eu vou pra casa dormir, você tá dizendo muita besteira pro meu gosto... Homem drogado é um saco! (Michele)
Alice abre a porta e Michele sai.
Como se já tivesse feito alguma coisa... Bom, nem eu fiz também. (Alice)
Michele está em sua cama. Fecha os olhos aos poucos. Abre. Está na frente de uma penteadeira. Olha seu reflexo. Está diferente. Alguém joga na cama e sobe em cima.
Suas crias estão longe desta vez? (pessoa)
Acha que coloco dentro do móvel para verem como se faz?! (Lish)
Seria bom. Você ensinaria bem. (pessoa)
Lish empurra a pessoa de cima.
Não devia ter visto. Se ainda fosse a outra criança, que é mais doce... Mas tinha que ser quem não gosta de mim! (Lish)
Impressão. É sua cria. (pessoa)
A pessoa sobe novamente em cima de Lish.
Te ama. Te amaria mesmo que não quisesse. (pessoa)
Começam a se beijar. Lish cheira o pescoço da pessoa. A pessoa beija Lish novamente. Lish volta a cheirar o pescoço. Inverte, ficando em cima. A pessoa olha nos olhos de Lish: estão brancos, sem íris ou pupila. Lish morde a pessoa. A pessoa tenta afastar, mas Lish coloca seus pulsos contra a cama. Bebe todo o sangue. Afasta. Seus olhos estão normais. Arregala os olhos e poe a mão na boca. Afasta a mão e olha. Vai a penteadeira. Pega uma tesoura. Corta o pulso. Coloca na boca da pessoa, abrindo a boca. Passa a mão no rosto da pessoa. Chacoalha a pessoa. Levanta da cama. Balança a cabeça para os lados. Sai do quarto. Corre. Passa por pessoas, as pessoas olham. Sai da cidade. Corre pela floresta. Para de correr. Olha ao redor. Senta-se no chão. Adormece. Alguém toca-lhe o ombro. A pessoa que mordera. Michele abre os olhos. Zenon está ao lado de sua cama, em uma cadeira.
Que foi? (Michele)
Tem um detalhe que os CVs não sabem. Um vampiro não é capaz de sentir o cheiro e saber quem você é enquanto o sonho não termina. Mas depois... Você tem que estar treinada. Todos vão saber. (Zenon)
Zenon sai do quarto.
Dia seguinte. Michele chega à escola. Alice se aproxima.
Tive uma idéia brilhante! (Alice)
Alice entrega um papel a Michele.
Uma festa? (Michele)
Sim. Embebedamos Derik e Estela e colocamos eles na mesma cama. Depois é só a Kat procurar. (Alice)
Kat. (Michele)
Chele, cê tá bem? (Alice)
Estou. Kat vai começar a treinar nos fins de semana comigo. (Michele)
E quanto a mim?! (Alice)
Claro. Já falei com eles sobre você. Aceitaram. (Michele)
Parece desanimada. (Alice)
Estou um pouco mal. Devem ser os treinos. (Michele)
E quanto à minha idéia? (Alice)
Claro. Ótima. Vamos separar ela dele. Depois eu duvido que ele não acabe ficando com a Estela mesmo. (Michele)
Convenhamos, ela tá mais pro nível dele! (Alice)
Vai distribuir para todos? (Michele)
É claro. É uma festa para a escola. (Alice)
Melhor que seja distribuído na saída, pra não ter encrenca. Colocou para sábado, né? Kat e Estela trabalham em dia de semana. (Michele)
Claro! (Alice)
Sexta, tarde. Janaína entra na diretoria.
Em que posso ajudar? (Mel)
Você é a diretora? (Janaína)
Sim. (Mel)
Então está explicado porque a encrenca delas com você. Se fossem homens, com certeza não estavam reclamando. (Janaína)
Reclamando...? (Mel)
Você colocou três garotas pra ficar pós-aula aqui, há coisa de uma quinzena. Elas falaram com seus pais e estes foram até a casa do dono das Ilhas. (Janaína)
Veio trazer algum recado de Sandro? (Mel)
Não. Sou a namorada do cara pra quem ele estava devendo, quando ainda era vivo. Como haviam promissórias, cobramos e Etos me deu as Ilhas. Só queria te avisar que, qualquer um que abusar, não importa o bolso, pode punir. (Janaína)
Mel franze a sobrancelha.
Do que Sandro morreu? (Mel)
Etos matou ele, estava fazendo algo errado. Ele falou para eu vir e sumiu. Aliás, eu tenho um desenho... (Janaína)
Janaína tira um papel da bolsa e entrega a Mel.
Se o vir, diga que eu estou procurando ele, por favor. (Janaína)
Janaína vai em direção a porta.
E você seria... (Mel)
Nossa, desculpe! Janaína. E seu nome? (Janaína)
Melody. Vai deixar o desenho? (Mel)
Tenho bastantes desenhos dele. (Janaína)
Deve estar cuidando dos papéis para passar a Ilha para o seu nome. (Mel)
Ele nunca se importou muito com isso. Bom, de qualquer forma, obrigado. (Janaína)
Janaína sai.
Casa de Michele. Michele joga Alan no chão. Alan levanta.
Tá, acho que vou chamar o Zenon agora. (Alan)
Ué, mas nem me derrubou ainda... (Michele)
Pegou o espírito da coisa! (Alan)
Alan sai do pátio. Entra em um quarto. Sai.
Zenon? (Alan)
Zenon acorda. Tem alguém ao seu lado.
Acho que Michele não vai gostar disso. (Alan)
Zenon sai do quarto.
Se eu disser que não sei nem o nome dela, vai acreditar? (Zenon)
Encheu a cara de novo? (Alan)
Não, é que foi uma reação natural, ou sei lá o que... (Zenon)
Estou falando de você não ter percebido que é a Alete. (Alan)
Peraí, a fênix que tentou matar o Beleno?! A que tava na casa do tal dono da Ilha?! (Zenon)
Sim. (Alan)
E o que tá fazendo aqui?! (Zenon)
Alan entra no quarto. Sai.
Dormindo. (Alan)
Zenon encara Alan.
Você quem tinha que saber, não é na minha cama que ela tá! (Alan)
Ela deve ter fugido por algum motivo. Sabe o que isso quer dizer? (Zenon)
Vamos ter que ir à casa do dono da Ilha? (Alan)
Claro. (Zenon)
Eu vou. Você fica treinando ela. (Alan)
Alguma roupa dela rasgou sem querer de novo? (Zenon)
Duas vezes. Mas o problema é que eu já tô cansado de apanhar. Você é vampiro, é mais forte. (Alan)
Casa de Sandro. Alan bate palmas. Olha ao redor. Franze a testa. Abre o portão, que estava encostado. Entra. Segue pela entrada, vai até a porta. Abre, também não estava trancada. Sai. Dá a volta. Chega a piscina. Janaína sai da piscina de calcinha e sutiã. Alan se vira. Janaína se enrola na toalha.
Desculpa, eu chamei, não tinha seguranças, tava tudo aberto... (Alan)
Meu namorado me protege, não preciso de seguranças. (Janaína)
Ele não parecia tão forte. (Alan)
De quem está falando? (Janaína)
Do dono das... (Alan)
Do defunto. Eu devia ter presumido. (Janaína)
Você me lembra alguém. (Alan)
Isso foi uma tentativa de cantada? (Janaína)
Não, é sério. Lembra uma menina que conheci, um ano mais nova que eu. (Alan)
Quantos anos faz que não a vê? (Janaína)
Doze. (Alan)
Bom, então há grandes chances de estar confundindo. (Janaína)
Deve ser isso. O dono das Ilhas, morreu de quê? (Alan)
Não sei. (Janaína)
Tinha uma garota aqui com ele. (Alan)
Não sei dela também. (Janaína)
Mas eu sei. Por isso vim até aqui. (Alan)
Ela está bem? (Janaína)
Alan vira de novo para Janaína.
Me pareceu normal. (Alan)
Sala da MEAK. Derik está no sofá.
Então, resolveram ir? (Mel)
Não, Kat resolveu que iríamos. (Derik)
Você e Estela não têm personalidade? (Mel)
Ia sem a gente. (Derik)
Vocês poderiam ficar aqui jogando. Kat iria só. (Mel)
Kat não vai a uma festa desde a outra Realidade. Sabe como gosta disso. Aguentava até Denise, qual o problema com Michele? (Derik)
Denise aturava. Michele é amizade. Ang fala que Agatha não era daquele jeito, acho que inclusive conheci um pouco de Agatha antes de Denise. Se bem que, depois do que houve, acho que preferia que Agatha tivesse continuado a pessoa que eu não gostava. Mas não quero que Kat fique assim. (Mel)
Não acho que Kat se transformaria assim. (Derik)
Kat não iria ter o que conversar com Michele antigamente. (Mel)
Acho que está assim porque Michele encrencou com você. (Derik)
Agatha e Meg sempre encrencaram comigo. (Mel)
Kat não vai se deixar levar. Quem sabe não coloca mais juízo na cabeça de Michele? (Derik)
Até as roupas parece estar usando diferente. (Mel)
Vaidade. Que pessoa não tem um pouco? (Derik)
Estela e Kat descem.
Tenho mesmo que ir? (Estela)
Precisa se socializar e conhecer alguém além de Alan. (Kat)
Está falando em algo como Rob? (Estela)
Acho que Rob vai estar lá. Quem sabe vocês não... (Kat)
E essa roupa? Não gosto disso. (Estela)
Ficou ótima em você. (Kat)
Me mostra demais! (Estela)
Sua teoria sobre vaidade acabou de cair. (Mel)
Que teoria? (Kat)
De que toda pessoa tem vaidade. (Mel)
Estela não conta. (Derik)
Por que não?! Não sou uma pessoa?! (Estela)
Eu sei lá, você gosta de Alan! Não pode ser normal! (Derik)
Grande coisa, a Kat gosta de você. (Estela)
Ei! (Derik)
Vão logo que, quanto mais rápido forem, mais rápido voltam. (Mel)
Eu disse que eu ia... (Kat)
Dormir na casa de Michele. Esqueci. (Mel)
Dormir lá?! (Derik)
Calma, não vou te fazer ficar lá, sei que não curte. (Kat)
Kat sai. Derik solta os ombros. Estela respira fundo e sai. Derik segue.
Se acha que vai ganhar Kat, melhor sentar pra esperar, ou vai cansar. (Mel)
Mel vai para a cozinha. Zenon e Alan entram.
A Estela tá diferente... (Alan)
Tá arrumada, normal pra uma garota na idade dela. Dezesseis anos. (Zenon)
Tá bem bonita. (Alan)
Eu disse dezesseis anos. (Zenon)
Parece até mais velha. (Alan)
Será que eu vou ter que te botar na cadeia por pedofilia? (Zenon)
Pedofilia é com criança. Ela não é criança. (Alan)
Foi um modo de falar. E não pense que não posso te colocar na cadeia, porque posso, ainda sim seria sedução de menor. (Zenon)
Você nem tem registro aqui. (Alan)
Eu tenho. (Mel)
Alan se assusta.
Mel, você tá aí... (Alan)
Não, é um robô com frases gravadas. (Mel)
Mel vai até Alan.
Estava falando de Estela, não estava? (Mel)
Tava botando pilha no Zenon. Ela tem quatro anos a menos que eu! (Alan)
Acontece que o problema não é a diferença de idade. É a idade de Estela. Daqui a dez anos ainda terá quatro anos a mais que Estela, mas aí já vai ter idade e, se rolar algo, não vou ser contra. (Mel)
Você ainda cuida até do Angely! (Alan)
Angely sai com quem quiser. (Mel)
E ele lá sai com alguém? (Alan)
Mel encara Alan.
Aliás, falando em sair, conta pra ela a besteira que você fez, Zenon. (Alan)
Isso, é assim que se tira o seu da reta, colocando o dos outros! (Zenon)
Zenon? (Mel)
Eu... Fui pra cama com uma fênix. (Zenon)
Matou? (Mel)
Não. (Zenon)
Então não tenho nada com isso. Quanto a você, Alan... Vê se não brinca com os sentimentos dos outros. (Mel)
Mel sobe.
Do que ela tava falando? (Alan)
De você pensar em seduzir uma menor de idade. (Zenon)
Zenon sobe.
Ei, mas eu já disse que só tava botando pilha! E você não disse com que fênix você dormiu! (Alan)
Domingo. Anoitecer. MEAK.
Derik! Derik! (Kat)
Que foi, se desencontraram? (Mel)
Esqueceu? Eu dormi lá, Derik e Estela voltaram... (Kat)
Por que já chegou gritando? (Mel)
Nós brigamos. (Kat)
Não vi chegarem aqui. (Mel)
Como não? (Kat)
Melhor procurarmos. Derik fica muito mal quando rola briga. (Mel)
Ares. Mel e Kat estão andando. Vêem Ang olhando para o mar. Vão até Ang.
Ainda bem que resolveu sair da toca, porque estamos precisando de ajuda. (Mel)
Sai porque não tava conseguindo olhar nos olhos de Beatrice. Edmont aprontou de novo. (Ang)
Que Edmont fez com Beatrice? (Kat)
Não fez nada com Beatrice. Fez com pessoa. Eu fiz com Beatrice. (Ang)
Desde quando você é fantoche de Edmont??? Por que eu não vi isso em nenhum sonho??? (Kat)
Desculpa, não estou fazendo pouco caso do seu problema, mas melhor esquecer isso agora. Derik sumiu. (Mel)
Ang vira para Mel e Kat.
Por quê isso é tão preocupante? (Ang)
Kat brigou com Derik. (Mel)
Não briguei com Derik, nós brigamos. (Kat)
Porque Mel brigou com Derik? (Ang)
Não, eu quis dizer... (Kat)
Sabemos como são as brigas de vocês, você sempre sai com raiva e Derik de cabeça baixa. (Mel)
Melhor procurarmos logo. (Ang)
Estela também sumiu. (Mel)
Vou a casa de Michele, ver se sabe de algo. (Kat)
Por quê? (Mel)
Da última vez que vi foi lá, e Michele afinal não é um ser humano comum, pode me ajudar a procurar. (Kat)
Kat sai.
Por isso tá criando amizade com Michele então... (Mel)
Mel, prefere acreditar que Kat seja oportunista do que pensar que esteja criando amizade com Michele? (Ang)
Tem razão, não faria isso. Bom, vamos procurar. (Mel)
Casa de Michele. Kat entra em um salão. Pessoas no chão, comida sobre a mesa, pessoas sobre a mesa, comida no chão... Michele chega.
Sorte que temos este salão a parte da casa. (Michele)
Sabe onde está Derik? (Kat)
Acho que ele dormiu pela casa. Sabe, eu deixo as pessoas que estão bêbadas dormir lá dentro. Bom, pelo menos as que não dormem por aqui mesmo. Posso procurar para você. (Michele)
Tá. (Kat)
Michele sai. Kat olha ao redor. Segue Michele. Michele entra em um quarto e sai. Vê Kat.
Melhor não entrar aí. (Michele)
Derik? (Kat)
Claro que não... (Michele)
Se não fosse, você não estaria assim. (Kat)
Kat entra. Encontra Derik e Estela. Estão dormindo na mesma cama, embaixo de um cobertor. Kat bate a porta. Estela acorda.
Kat? (Estela)
Estela levanta a coberta, jogando sobre Derik.
Ai, minha cabeça... (Estela)
Bebeu demais e acabou fazendo besteira? (Kat)
Estela olha para o lado. Olha para Kat.
Quem foi? (Estela)
Os olhos de Kat marejam.
Está fingindo que não lembra... Por que não olha você por si só? (Kat)
Você tá chorando?! (Estela)
Estela descobre. Arregala os olhos. Olha para Kat.
Eu jamais faria isso! (Estela)
Ah, claro! Quem sabe Derik não te embebedou para se vingar da briga de ontem! (Kat)
Olha aqui, mesmo que tivesse acontecido algo, ele também teria culpa, ou acha que abusaria do "coitadinho"??? (Estela)
Isso mesmo. Você e Derik têm culpa. Vou ligar pra Mel, pra não se preocupar mais. Pode ficar aí, com seu novo namoro. (Kat)
Kat olha para o teto.
Do que eu tô falando, não sei quanto tempo tem isso, como posso dizer novo?! (Kat)
Kat sai do quarto. Pega seu celular.
Alô? ### Encontrei. ### Não precisa se preocupar, está muito bem. Muito melhor que eu. ### Explico quando chegar em casa. ### Não, não vou fazer nada. ### Não precisa vir me buscar eu tô... (Kat)
Kat, tem algo errado com o Derik! (Estela)
Michele arregala os olhos. Kat solta o celular e entra correndo no quarto. Michele segue. Kat coloca a mão na cabeça de Derik. Derik está suando.
Tava tentando acordar ele, pra ver se me explicava isso! (Estela)
Derik! (Kat)
Derik abre os olhos e olha para Kat. Sorri.
Katerine... (Derik)
Derik fecha os olhos.
Michele! Chama a ambulância! (Kat)
Não tem automóveis nessa Ilha... (Michele)
Então chama alguém, droga, não fica sem fazer nada!!! (Kat)
Noite, quase madrugada. Casa de Michele. Kat está no sofá, deitou-se no colo de Angely. Levanta.
Vou tomar um ar. (Kat)
Kat sai. Olha pro céu.
Posso te ajudar. (Bea)
Transformar em monstro que nem você? (Kat)
Não sou monstro. Não sou mais. Se se alterar no começo, prendemos até voltar ao normal. (Bea)
E qual seu interesse nisso? (Kat)
Nenhum. Bom, tem sim. Se você sofre, Mel sofre o dobro. Angely então... (Bea)
Beatrice baixa a cabeça. Volta a olhar Kat.
Não quero ver todo mundo assim. (Bea)
E Edmont? (Kat)
Edmont fica feliz. Sempre fica feliz com a desgraça alheia. (Bea)
Kat! (Ang)
Kat entra correndo. Beatrice dá um passo na direção da porta. Baixa a cabeça. Vira. Mel sai.
Vem também. (Mel)
Bea olha para Mel. Entram.
Fala logo! (Kat)
Ele podia ter morrido com o sedativo que tomou. Parece ter alergia a algum dos componentes. (Bruno)
Eu falei pra chamar o nosso antigo médico, esse aí não tem experiência nenhuma! (Michele)
Bruno franze a testa e olha para Michele.
Será que Derik tentou... (Kat)
Não, Derik não tomou nenhum sedativo, eu tava com ele quando... (Estela)
Estela franze a sobrancelha.
Desmaiamos... (Estela)
Desmaiaram? (Ang)
Alguém sedou vocês. (Mel)
Talvez alguém esteja querendo algo de Kat. (Zenon)
Tem razão, atingiram as duas pessoas mais próximas de Kat que eram mais frágeis. (Alan)
Posso ajudar a proteger ela! (Michele)
Pode ficar no seu canto e tentar sair das fraudas. Angely, pega Derik. Estela, Kat, venham comigo. Vamos pra casa. (Mel)
Mel sai. Beatrice e Estela saem também.
Mel está com raiva. (Ang)
Angely entra no quarto, pega Derik no colo e volta a sala.
Podemos levar pra casa? (Ang)
Sim. Vai se recuperar com a injeção que dei. (Bruno)
Quanto devemos? (Ang)
Eu pago. Ao menos isso, ele ficou doente aqui. (Michele)
Valeu. Até. (Ang)
Ang sai com Derik no colo, Kat ao seu lado. Michele pega um cheque.
Quanto? (Michele)
Dois mil. (Bruno)
Michele preenche o cheque. Entrega para Bruno. Bruno pega e sai. Alice chega.
Vi todo mundo saindo... (Alice)
Primeiro, foi um plano imbecil. É claro que Mel expulsaria os dois, traíram a confiança de Kat, não seriam confiáveis. E era bem capaz de Alan pedir para trazer Estela para cá. Tem que ser mais gradativo. (Michele)
Você aprovou a idéia! (Alice)
Estou com problemas pessoais. Segundo, Derik é alérgico ao remédio que você arranjou. Quase matamos ele. (Michele)
Não vamos contar isso a ninguém, vamos? (Alice)
Não. Talvez não seja necessário, burrice não é um dos defeitos da Melody. (Michele)
Acha que ela sabe? (Alice)
Se eu acho? (Michele)
Michele ri.
Não, eu tenho certeza. Só não tem como provar. (Michele)
Então não temos que nos preocupar. (Alice)
Ela não tem cara de quem acha que precisa justificar pros outros o que faz. (Michele)
Pode ser. Se fosse sozinha. Mas ela tem que dar exemplo pras crias dela e Angely não vai deixar ela nos matar. (Alice)
Michele arregala os olhos.
Matar, acha que ela pensou em algo tão agressivo? (Michele)
Acho que sim. Se ela acha que tentamos matar Derik de propósito. (Alice)
Nossa. Mas eu não... Não chegaria a tanto... (Michele)
Michele senta no sofá.
Até que enfim o treinamento pode servir pra alguma coisa. (Michele)
MEAK. Zenon e Alan chegam. Mel e Ang estão na sala.
Que foi, aconteceu mais alguma coisa com Derik? (Zenon)
Mel acha que Michele armou isso. (Ang)
Que isso, Michele pode ser meio atirada e invejosa, mas tentar matar o Derik??? Ela não é tão... (Alan)
Não, o plano era separar Derik de Kat. Jogar em cima de Estela. Foi um sedativo, não um veneno. Não pensaram no que estavam fazendo. (Mel)
Pensaram quem? (Alan)
Acha mesmo que Alice não tá junto? (Mel)
Mel, você tá fazendo acusações sem provas. (Zenon)
Também posso me vingar sem deixar provas, a falta de provas não é problema pra mim. (Mel)
Não vai tentar fazer nada com Michele e Alice, vai? (Ang)
Não, Ang. Não ainda. Vou mandar um aviso. Se não pararem, aí vou ter que impedir de machucarem alguém aqui dentro. (Mel)
Mel sai. Angely se senta.
Bom, você dá aula na escola com ela. Se ela for fazer algo, pode tentar impedir. (Alan)
Não sei se tenho mais medo do que Mel pode fazer ou de que caminho pode tomar depois. (Ang)
Manhã. Diretoria. Mel está em pé, em frente a mesa, de costas para a porta. Michele entra.
Mandou me chamar? (Michele)
Alice também. (Mel)
Alice não veio pra escola hoje. (Michele)
Foi dar um cala boca a pessoa que contou sobre o sedativo? (Mel)
Por que acha que ela faria isso? (Michele)
De repente porque aconteceu na sua casa, pode sujar a sua reputação. Pensou o que? (Mel)
Nada. No que pensaria? (Michele)
Imagino que nada. Mas sabe, eu acho que a pessoa que fez isso, ou as pessoas, seja lá quem for, está arriscando demais. Está arriscando talvez a vida, a sanidade mental, física. Se isso continuar, se houver mais uma ameaça, não me importo com meu emprego, não me importo com o que pensarão de mim, não me importo com a minha liberdade, não me importo nem com a minha vida. Mas é melhor não tocarem na minha família de novo. (Mel)
E pra que veio dizer tudo isso pra mim? (Michele)
Mel dá a volta na mesa e sentasse na cadeira. Olha para Michele.
Você conhece bastante gente. É a representante do corpo discente. É a pessoa que pode fazer meu aviso chegar a quem fez isso. (Mel)
Devia cuidar melhor da sua filha do que de ficar espalhando avisos. Tem pessoas que não gostam de ouvir. (Michele)
Michele sai. Mel encosta para trás na cadeira. Sorri.
Tarde. Estela e Kat chegam em casa.
Que foi? (Derik)
Fomos despedidas por causa das faltas. (Estela)
Então, viemos em casa tomar um banho pra procurar outro emprego. (Kat)
Não almoçaram. Podem comer agora. (Derik)
Mel comeu? (Estela)
Não veio almoçar em casa hoje de novo. (Derik)
Michele. (Estela)
Por que tem que ter a ver com Michele? (Kat)
Mesmo que ela fosse uma boa garota, estou me referindo a raiva que sua mãe está dela. Tira o apetite de qualquer um. (Estela)
Ainda acho que foi Michele quem fez isso. (Derik)
Já disse que... Peraí, o que você tá fazendo na recepção? (Kat)
Desculpa, fui me alimentar. (Bea)
Kat e Estela olham para Beatrice.
Agora podem subir. (Bea)
Vão tomar banho e se arrumar para arranjar empregos novos. Tomaram demissão por causa das faltas. E eu vou esquentar o almoço. (Derik)
Estela e Kat sobem. Derik vai para a cozinha. Beatrice vai para trás da recepção. Mel entra.
Que foi? (Bea)
Vim buscar algo que esqueci. (Mel)
Se quiser que eu faça algo... (Bea)
Não, Michele ainda não fez nada. Se tentar algo de novo, eu farei algo. (Mel)
Mel, eu posso fugir, não tenho ficha para sujar. (Bea)
Conseguiu ganhar confiança a muito custo. É mais fácil me perdoarem que a você. (Mel)
Mel sobe.
Anoitecer. Recepção da MEAK.
Mel que não chega... (Bea)
Pode ir, eu fico. (Estela)
Fica aqui mesmo??? (Bea)
Fico. (Estela)
Valeu!!! Acho que alguém vai fazer uma besteira e tenho que impedir! Coloquei etiquetas nos telefones, não vai ter problemas! (Bea)
Beatrice pega o celular e sai.
Lanchonete. Mel entra.
Veio atrás do emprego? (Douglas)
Não, vim comprar. (Mel)
Chato. Eu tinha esperança de te ver todo dia. (Douglas)
Vim comprar uma arma. (Mel)
Não fale tão alto, não sabe que isso é ilegal??? (Douglas)
Sim. Mas com todas essas mesas, não achei que se importasse. (Mel)
Isso é uma lanchonete. Mas não dá pro gasto. Então, resolvi usar meus conhecimentos para... (Douglas)
Conhecimentos? (Mel)
Em armas. Meu pai era CV. Um vampiro pegou ele. (Douglas)
Sinto muito. (Mel)
Douglas baixa a cabeça.
Todos terminam assim. Eles nunca se conformam em ficar quietos e, quando já não podem lutar, não são mais capacitados, acabam morrendo. Alguns morrem até antes. Morrem como heróis. Irônico, heróis que deixam todo mundo sozinho. Acho que fui mais em enterros quando era criança do que aniversários. (Douglas)
Douglas volta a olhar para Mel.
Bom, mas você veio aqui atrás de algo que não é a minha história. Vem comigo. (Douglas)
Douglas abre uma porta atrás do balcão e entra. Mel segue, fechando a porta atrás de si. Descem uma escada. Um grande galpão, com as paredes cobertas dos mais diversos tipos de objeto.
O espaço é maior do que parece de fora. (Mel)
Tenho as mais diversas armas... Até armas que não parecem armas. (Douglas)
Tem algum interesse em comprar algumas coisas? Andamos matando algumas coisas. (Mel)
Claro. Mas você disse que queria uma arma. (Douglas)
De preferência algo que não tenha sido usado. (Mel)
Se quiser, posso mandar fazer. (Douglas)
Prefiro. (Mel)
E quem vai matar? Algo que nunca tenha sido usado, deve ser alguém muito... (Douglas)
Não, é coisa minha mesmo. Sabe se uma espada mata Lish? (Mel)
Lish?! (Douglas)
Douglas empalidece, dá um passo para trás.
Mas falou que matava demônios! (Douglas)
É que essa encarnação teve problemas muito grandes. Melhor mandar pra outra, pra ver se criam direito. Sabe, corre o risco até mudar de lado. (Mel)
Ah, sim... Você é CV? (Douglas)
Não. Melhor que não saibam do que vou fazer, sabe... (Mel)
Mel se aproxima de Douglas.
Não iam querer que eu fizesse isso. (Mel)
Mel continua se aproximando. Douglas encosta na parede.
Me entende? (Mel)
Entendo. Não tenho nada a ver com isso. Nem com você, nem com eles. (Douglas)
Mel se afasta e sobe a escada. Douglas suspira.
Uma mulher dessas nunca vai olhar pra mim... Do que eu tô falando, essa pessoa acabou de ameaçar me matar! Só eu mesmo... (Douglas)
Jardim da casa de Michele. Beatrice olha de longe. Michele está treinando com Alan. Alan sai. Beatrice se aproxima.
Não é a amiga vampira deles? (Michele)
Que você tá querendo com Katerine? (Bea)
Olha só, outra cismada. Me deu impressão que não gostava de mim também. (Michele)
Edmont provavelmente gosta, com toda essa falsidade. Ah, não, Edmont gosta de inteligência. (Bea)
Alice quem cuidou do seu amiguinho. Ah, agora lembrei o porquê seu problema comigo. Já saiu com ele. Me espanta Mel te abrigar... (Michele)
Eu errei. Me desculpei. (Bea)
Só você, queridinha, porque ninguém te desculpou. Só estão fazendo isso por causa do Ang, que... (Michele)
Quem te deu intimidade pra chamar Angely assim? (Bea)
É seu namorado agora? (Michele)
Isso não é da sua conta. Mas eu duvido bastante que tenha neurônios o suficiente dentro da sua cabeça pra entender uma relação que não seja dentro dos padrões. (Bea)
Veio aqui me... (Michele)
Michele se aproxima de Beatrice.
"Avisar"? (Michele)
Não, eu vim ameaçar mesmo. Não sou sua amizade. E você ter feito Derik tomar remédios sem autorização e quase ter matado, pode dar processo, sabia? (Bea)
Me processe. Quero ver você provar. (Michele)
Posso provar. Você fez. (Bea)
É, fiz. Mas está vivo e meu serviço foi limpo. (Michele)
Beatrice sai.
MEAK. Beatrice chega. Zenon e Alan estão na sala.
Cadê a Mel? (Zenon)
Não sei, ainda não chegou? (Bea)
Não. (Alan)
Algum recado? Sou a pessoa dos recados, esqueceram? (Bea)
Alan e Zenon se entreolham. Zenon olha para Beatrice.
Vamos até o Grupo, informar que estamos treinando Michele. (Zenon)
Mudei de idéia, vocês dão a notícia! (Bea)
Beatrice vira. Zenon segura o braço de Beatrice.
Por favor. (Zenon)
Tá. Mas por quê vão fazer isso? (Bea)
Pra poder segurar ela. (Alan)
Disso Mel vai gostar. (Bea)
Vou com vocês! (Kat)
Kat entra na sala.
Quero falar com Michele. (Kat)
Disso Mel não vai gostar. (Bea)
Kat encara Beatrice. Kat, Zenon e Alan saem.
Casa de Michele. Michele está na cama.
Dormindo? Já? Não era para estar treinando? (Mel)
Michele se levanta.
Kat, Zenon e Alan estão andando. Alguém puxa Kat. Zenon e Alan continuam, sem notar. Kat se debate, a pessoa joga Kat no chão. Kat olha: é Edmont.
Mel comprou uma arma nova. (Edmont)
E o que você tem a ver com isso? (Kat)
Eu nada. Mas Michele tem. Arma nova é um costume atlante pra oponente que você quer muito derrubar. (Edmont)
Por que está fazendo isso? (Kat)
Não é a hora certa de Mel matar a pessoa errada. Ainda. (Edmont)
Kat sai. Corre. Vê Zenon e Alan. Para. Vai por outro lado. Atravessa a ponte entre Hera e Ares. Chega a casa de Michele. Mel e Michele estão no jardim. Michele está com uma espada também, ofegante. Mel gira a espada no ar.
Mel... (Kat)
Kat olha para Mel, então para Michele. Volta a olhar para Mel. Kat pega o celular. Mel ataca com a espada, Michele defende, Mel chuta Michele. A espada cai longe. Michele levanta, Mel coloca a ponta da espada embaixo do queixo de Michele.
Me diz a verdade, achou que esse seu treinamentozinho de bosta, esse cursinho intensivo "aprenda a lutar em uma semana", ia me vencer? Eu também não sou um ser humano, e devia ter lembrado disso antes de me atacar. Acha que só porque foi origem vampir pode me derrubar? (Mel)
Uma corrente arranca a espada de Mel. Mel olha para o lado. Kat está com a corrente.
Andou treinando? (Mel)
De noite. Michele me treina, com o que ensinam. (Kat)
Qual o problema? Acha que não posso te proteger? (Mel)
Não é isso. (Kat)
Droga, será que não entende que eu não quero você lutando?! Se você aprender a lutar, vai querer lutar sempre, proteger outras pessoas e eu não quero você lutando!!! (Mel)
Não vai poder me proteger pra sempre. (Kat)
Vou! Vou sim! Se eu morrer, eu volto pra te proteger! Será que não entende que eu sou mais forte?! O que tá na sua mão direita, tá na minha esquerda, não morro assim tão fácil! Será que ainda não entendeu que você é tudo que eu tenho?! Já perdi cria demais, não quero perder você também!!! (Mel)
Michele engole seco. Kat solta a corrente, vai até Mel e abraça.
Não vai me perder. Não vai. (Kat)
MEAK. Mel e Kat entram. Derik olha para Kat.
Michele vive. (Kat)
Isso é ótimo. (Derik)
Derik olha para Mel.
Não queria que nada acontecesse com você por causa daquela pessoa. (Derik)
Estela vai em direção a Mel e abraça. Derik vai também, abraçando junto. Kat sorri.
Dias depois. Noite. Kat e Estela entram em casa. Sorrisos.
Nossa, como estão... (Mel)
Conseguimos! (Kat)
Eu não duvidava. (Mel)
Segunda a quinta, das 14:00 às 21:00! E com um bom salário! (Estela)
Por que não sexta? (Derik)
Douglas disse que acontecem coisas na sexta e, como não temos treinamento, melhor arranjar outros pra cuidar na sexta e no fim de semana. (Kat)
Zenon e Alan. (Derik)
Zenon e Alan chegam. Alan está com um grande sorriso. Derik olha pro teto.
Um milhão de reais? (Derik)
Zenon franze a sobrancelha.
É, não deu. (Derik)
Arranjou bico pra fazer propaganda de dentista? (Mel)
O grupo aceitou que treinemos Michele. (Alan)
Por quê? (Mel)
Ela não aceitou outros. Podemos ficar de olho nela. (Zenon)
Isso sim é um bom motivo pra sorrir. (Mel)
Zenon e Alan sobem para o quarto. Zenon deita na cama de cima, Alan na de baixo.
Zenon? (Alan)
Sim? (Zenon)
Acha mesmo que não devemos falar com elas sobre Alete? (Alan)
Temos que resolver isso sozinhos. (Zenon)
Casa de Beatrice e Angely. Quarto. Beatrice está na janela. Tira o celular do bolso. Abre um aplicativo de reprodução. Arrasta até um cinco sextos. Coloca para tocar.
É, fiz. Mas está vivo e meu serviço foi limpo. (Michele)
O aplicativo para. Beatrice guarda o celular no bolso. Sorri.
Algum tempo, algum lugar
Xien está no chão, olhando para cima. Uehfo sentou-se próximo, com as pernas dobradas para fora.
Eu deveria tentar usar algo sobre Michele para saber quem sou? (Xien)
Provavelmente deveria usar todo mundo. (Uehfo)
É bem confuso o que sinto. (Xien)
Se for fazer terapia aqui, vou cobrar. (Uehfo)
Michele não tinha muita noção, mexer com Mel. (Xien)
É, não tinha mesmo. (Uehfo)
Parece que assistiu filme de tarde demais, querer fazer esqueminha pra separar Kat e Derik. (Xien)
Xien se senta.
Kat descobre depois que Michele se aproximou só pra ferir Mel? (Xien)
Uehfo encolhe os ombros e solta.
Te mandaram pra me ajudar? (Xien)
Uehfo ri.
Seu ego tá grande demais. (Uehfo)
Uehfo se levanta, vai para trás de Xien e abaixa.
E eu posso estar pior do que você. (Uehfo)
Como... (Xien)
Xien vira para trás. Vazio.
...assim... (Xien)

Resumo do Capítulo

Janaína e Etos falam sobre pegar as ilhas de Sandro, que deve a Etos. Alan e Zenon decidem desistir e sair, Mel dá mais uma noite de chance. Saem, se embebedam, e acabam encontrando Michele e outras pessoas sendo atacadas, mas Michele derruba duas das pessoas que atacavam. Tentam falar sobre Michele ser Lish, mas estão com álcool demais e Michele não quer ouvir, vai embora. Alan e Zenon falam com Angely, Angely diz que vai sinalizar Michele que conhece para verem quem é. Na escola, Michele, Tatiane e Alice conversam e ficam na diretoria após a aula. Sandro tenta agarrar Alete, mas Etos derruba. Etos e Alete reagem ao fator vampir + fênix. Janaína chega na casa, encontra os pais de Michele, Tatiane e Alice, que exigem a saída de Mel da escola. Janaína fala sobre Etos e assusta os três. Zenon e Alan saem da MEAK. Michele encontra e decide empregar para que treinem a si. Fala com Alice sobre se vingar de Mel e tirar Janaína. Zenon e Alan falam com Michele, queimam diários, dizem que ainda vive por sorte. Etos fala com Alete, lamentando o que fizeram, por ter traído a confiança de Janaína. Comemoram o aniversário de Mel, Michele aparece para provocar. Beatrice sugere "dar um susto" em Michele, Estela menciona que é reencarnação de Lish, Mel diz para Beatrice não se arriscar. Michele e Kat conversam. Michele oferece para Kat ir morar consigo, Derik chega e interfere, Michele sai. Alice e Michele falam em tirar Kat de casa, para se vingar de Mel. Michele sonha com seu passado, com o momento da transformação. Zenon avisa que, quando o sonho terminar, todo mundo vai saber. Alice distribue convites de festa, cuja intenção é embebedar Derik e Estela e fazer parecer que estão juntos. Janaína fala com Mel, conta sobre Sandro e diz que pode punir quem quiser por coisas erradas, independente do dinheiro que tenha. Deixa um desenho de Etos, pedindo para que ligue se vir. Zenon acorda ao lado de Alete, Alan fala para que Zenon fique treinando Michele e vai ver o que houve na casa de Sandro. Fala com Janaína, diz que lembra alguém. Kat leva Derik e Estela a festa, fazendo Estela se arrumar. Alan fala de Estela, Zenon chama atenção pro fato de ser menor de idade, Mel diz para não brincar com sentimento alheio. Kat volta para casa no dia seguinte, diz que brigou com Derik. As pessoas saem para procurar Derik. Kat volta a casa de Michele. Encontra Derik e Estela, acha que transaram, mas Derik está passando mal. Estela lembra que desmaiaram. Deduzem que alguém pode atentado contra a vida de Derik. Michele briga com Alice pelo plano, Alice diz que Mel pode tentar assassinato como resposta. Mel fala com Michele na escola. Michele não leva a sério. Beatrice se oferece para fazer algo sobre Michele, Mel diz que não deve arriscar a confiança que ganhou. Mel compra uma arma nova. Beatrice fala com Michele, Michele diz que ninguém acredita de fato em Beatrice, e assume o que fez. Edmont avisa Kat da arma nova, e que é um costume atlante quando a pessoa é muito odiada. Kat encontra Mel e Michele lutando. Mel derruba Michele, Kat arranca a espada com uma corrente. Mel diz que não quer perder Kat. Voltam para casa.

Dara Keon