Lado Certo
MEAK
B14

Lado Certo ler resumo

2006
Madrugada. Ares. Beatrice e Zenon andam, com bestas nas mãos.
Se eu te perguntar uma coisa, promete que não mente? (Bea)
Perguntar o que? (Zenon)
Promete primeiro. (Bea)
Isso seria passar cheque em branco. (Zenon)
Beatrice franze a sobrancelha.
Não confia em mim ou pretende mentir sobre algo? (Bea)
Eu prometo. (Zenon)
Transou com Michele? (Bea)
Não. (Zenon)
Prometeu que diria a verdade. (Bea)
Mas eu tô dizendo! (Zenon)
Pode contar, não vou te recriminar. (Bea)
É sério. (Zenon)
Estão namorando há um ano e não rolou nada? (Bea)
Não. (Zenon)
Cuidado, daqui a pouco Michele procura fora. (Bea)
Acha mesmo que... (Zenon)
Beatrice ri.
Cê cai em qualquer clichê ainda. (Bea)
Vamos pra casa? (Zenon)
Beatrice para de andar. Zenon também.
É, acho que cinco tá bom. (Bea)
MEAK. Uma casa térrea. Entram. A recepção tem uma estante com alguns livros e um telefone, sofás e quatro portas, duas no fundo. Beatrice abre a porta da direita: um banheiro médio, com chuveiro. Vai até a pia e lava as mãos. Depois vai até a porta da esquerda. Um espaço gigantesco. Beatrice vai até Zenon e pendura sua besta. Voltam para a recepção. Beatrice bate em uma porta. Inês abre. Atrás de si, um quarto.
Aconteceu alguma coisa? (Zenon)
Definitivamente absolutamente nada. Além de Alan me perguntar se eu não me sinto como a mosca por crescer assim, é claro. (Inês)
Sempre doce e sutil. (Zenon)
Inês vai até o sofá e solta o corpo.
Expulsei daqui dizendo que Janaína iria ver Estela. Gato escaldado... (Inês)
Último ano de escola! Logo, logo, saímos, e... (Kat)
Não vai fazer faculdade? (Zenon)
Como assim?! (Kat)
Mel vai dar cria se souber. (Zenon)
Quando voltar, eu faço. (Kat)
Hahaha. (Zenon)
Não acha que vai me obrigar a fazer isso, acha? Derik nem os estudos completou. (Kat)
Já justifiquei isso. (Zenon)
Estela não vai fazer faculdade. (Kat)
Vai continuar os estudos com o Grupo. (Zenon)
E eu também. (Michele)
Michele e Zenon se beijam. Continuam se beijando.
Pessoal, atenção, tem voyeur aqui? (Bea)
Zenon afasta Michele e encara Beatrice.
Acho que não. (Bea)
Não devia ter contado, né? (Zenon)
Contado o que? (Michele)
Zenon encara Beatrice durante algum tempo.
Kat, vamos pra casa? (Derik)
Não vim contar do meu sonho? (Kat)
Bea, Inês, Michele e Zenon olham para Kat.
Que sonho? (Zenon)
Nenhum. Só para vocês pararem de se olhar assim. Mas não vão me olhar assim agora, né? (Kat)
Quem tá faltando aqui? (Zenon)
Alan, Estela, Beleno. (Kat)
Isso quer dizer que arranjaram algo melhor pra fazer. (Zenon)
É fácil, a profissão de Beleno é comer e Estela e Alan... (Derik)
Ei, perguntei o que disse pra ela! (Michele)
Inês sai. Beatrice olha para as pessoas. Sai dali também. Asas.
Pousam no jardim de casa.
Carona? (Bea)
Precisava conversar. (Beleno)
Jeito sutil de dizer isso. (Bea)
Desculpe. (Beleno)
Tudo bem. Fale. (Bea)
Alete reapareceu. (Beleno)
Talvez Etos tenha... (Bea)
Não reapareceu pra mim. (Beleno)
Eu sei. Inês. (Bea)
Não sabia que fênixs podiam ser... (Beleno)
Bissexuais? Podem. Mas Inês não é. (Bea)
Peraí, então... (Beleno)
Vampirs. Só saem junto. (Bea)
Transformou minha irmã numa prostituta que nem ela??? (Beleno)
Beleno arregala os olhos.
Ai, desculpa! (Beleno)
Pelo quê? (Bea)
Como assim? (Beleno)
Tá falando sério?! (Bea)
Não tinha motivo para pedir desculpa a primeira vez, né? (Beleno)
Não, não tinha! Nem um pouco! (Bea)
É que você saia com vampiros. (Beleno)
É, isso é bizarro, eu sei disso, por isso não precisava pedir desculpa, entende? Eu mudei, sabia que aquilo tava errado, fala como se ainda fizesse e fosse daquele jeito! (Bea)
Não... Achei que ainda saísse com vampiros. (Beleno)
Claro que não! (Bea)
Tá... Desculpa. Dessa vez tô pedindo certo? (Beleno)
Sim. E não peça mais desculpas quando achar que xingou algo que parece com esse passado. Principalmente se eu não perceber. (Bea)
Não farei mais. (Beleno)
Silêncio.
Chamou Inês de prostituta. (Bea)
Eu sei. (Beleno)
Não é errado ser prostituta. (Bea)
Acha que ela está fazendo por dinheiro? (Beleno)
Não. Mas não é errado. (Bea)
Nem é por dinheiro. (Beleno)
Beleno franze a sobrancelha.
Como sabe disso??? (Beleno)
Você perguntou o que eu acho, não disse que sei. (Bea)
Tá certo. Tô preocupado com Inês. Sabe, sair fazendo... (Beleno)
Vampirs não transmitem doenças e fênixs também não pegam. (Bea)
E se acontecer o que aconteceu com a minha mãe? (Beleno)
Sabe o perigo que corre. Por que acha que andam junto? É mais seguro. (Bea)
Como sabe que Inês não é bissexual? (Beleno)
Ah? (Bea)
A pergunta foi direta. (Beleno)
Me... contou. (Bea)
Contou como? (Beleno)
Não lembro... Talvez tenha sentido pelo cheiro... Sei lá, não me perturba, Beleno! (Bea)
Beatrice sai.
Alan dorme. Estela está olhando.
Oi. (Etos)
Já menstrua? (Estela)
Olha que um dia eu consigo. (Etos)
Aí poderá entrar. Mas vai estar tão puto que não vai lembrar. Agora dá licença que eu vou tentar dormir, assim como o meu namorado tá fazendo. (Estela)
Etos sai da janela. Estela levanta. Fecha a janela em que Etos estava. Deita-se de lado. Alan abraça Estela. Estela sorri.
Tava ouvindo tudo, né? (Estela)
Estava. Adorei a parte em que frisou "meu namorado". (Alan)
Meu. Todinho meu. (Estela)
Derik está na cozinha.
Oi. (Leo)
Derik pega uma faca e aponta para o nada.
Quem tá aí??? (Derik)
Vim pedir desculpas. (Leo)
Essa voz... (Derik)
Não vim brigar. Queria ficar aqui com vocês. (Leo)
Era só o que me faltava! (Derik)
Falando com quem? (Kat)
Leo tá aqui! (Derik)
Leo? (Kat)
Fala baixo! (Derik)
Que Leo??? (Kat)
Fantasma... (Derik)
Não, sumiu... (Kat)
Não, não sumi, não! (Leo)
Droga... (Kat)
Não vim causar problemas... Não consegui ir embora... Queria ajuda. (Leo)
Pra ir? (Derik)
Pra ficar. (Leo)
Se está aqui há tanto tempo, deve saber que matamos Pandora. (Kat)
Quê??? (Leo)
Acho que ainda não sabia. (Derik)
Leo? Você tá aí? Leo??? (Kat)
Acho que se zangou. (Derik)
Dane-se. (Kat)
Não vai poder mais virar fantasma. (Derik)
Por quê??? Acha que tenho medo de Leo??? (Kat)
Não. Você não tem nenhum. E é por isso que eu tenho medo suficiente pra mim e pra você. (Derik)
Kat abraça Derik.
Zenon está com Michele. Zenon começa a descer a mão. Michele afasta Zenon.
A sua casa é a de cima. (Michele)
Quê? (Zenon)
Zenon olha pra trás. Beleno.
Realmente, errou de andar, é a de cima agora. (Zenon)
Preciso conversar. (Beleno)
Michele e Zenon se afastam um pouco. Beleno senta no meio, curvando-se para a frente. Michele e Zenon se olham por trás de Beleno.
Acham que Beatrice gosta de Inês? (Beleno)
Zenon e Michele olham para Beleno.
Não. Por quê? Você gosta de Beatrice? (Zenon)
Acho que sim. Acham que minha irmã... É uma... (Beleno)
Não... (Zenon)
Claro que não... (Michele)
Sai com Alete pra se divertirem... (Zenon)
Como sabem que sai com Alete??? (Beleno)
Eu já vi. Saem para procurar companhia pra noite. (Zenon)
Costumam matar vampiros assim. (Michele)
Beleno levanta e abre as asas, com um sorriso.
Então tá fazendo isso pra caçar vampiros??? (Beleno)
Bom... (Zenon)
Ai, que alívio! Tá fazendo com bons fins! (Beleno)
Beleno... (Michele)
Vocês me ajudaram muito, obrigado! (Beleno)
Beleno sai.
É uma criança realmente estranha. (Zenon)
Que tal voltarmos de onde paramos? (Michele)
Zenon se aproxima de Michele de novo.
Beleno desce em um prédio de Ares. Barulhos de coisas batendo. Vai até uma claraboia. Olha para baixo. Pessoas lutando. Diogo chega com uma pistola. Arregala os olhos, baixando a pistola.
Meu Deus! Estamos condenados... (Diogo)
Beleno vira para trás e revira os olhos.
Não sou um anjo. (Beleno)
Não? (Diogo)
Que está acontecendo lá embaixo? (Beleno)
É um torneio. (Diogo)
Qual o prêmio? (Beleno)
Dinheiro. Muito dinheiro. (Diogo)
Dia seguinte. Tarde. Estela e Derik chegam a um apartamento. Oto abre a porta e dá passagem. Estela e Derik entram, Oto se senta, Estela e Derik se sentam. Silêncio.
Eu disse que não cobrávamos por hora, mas... (Estela)
Minha filha. Tá tentando entrar num torneio. Adotou o nome de Shy. Quero que vão a este endereço. (Oto)
Oto entrega um papel a Estela.
Noite. Zenon entra em um vestiário. Beleno empurra Zenon contra a parede.
Não quero ter que acabar com você lá dentro. (Beleno)
Quê??? (Zenon)
Tá perdido? (Beleno)
Perdido? (Zenon)
É um torneio. Só sobra um. (Beleno)
Tô aqui por dinheiro. (Zenon)
Novidade, todos estão! (Beleno)
Da agência. Tenho que tirar uma garota. (Zenon)
Não tem garotas aqui, não deixam crianças entrarem, tá querendo me enganar? (Beleno)
Tem uma garota inscrita, o pai dela diz que tá fazendo coisa. (Zenon)
Fazendo coisa??? (Beleno)
Zenon empurra Beleno.
Trapaça. (Zenon)
Não pode trapacear aqui. (Beleno)
Todo mundo olha. Zenon coloca a mão nas costas de Beleno e dá um sorrisinho.
Mas eu nem estou inscrito! (Zenon)
Você... (Beleno)
Zenon desfaz o sorriso.
Preciso falar com você sobre seu pai. (Zenon)
Zenon coloca a segunda mão nas costas de Beleno e vai empurrando para fora. Saem. Estão no terraço.
Eu chutei a sua mãe por acaso??? (Zenon)
Você disse que era sobre meu pai! (Beleno)
Dai-me paciência... (Zenon)
Ele voltou? (Beleno)
Tava me referindo ao fato de parecer que queria que me comessem vivo lá dentro... Se bem que acho que é o único que... Esquece. (Zenon)
Que tem o meu pai?! (Beleno)
Foi uma desculpa pra afastar você do resto do pessoal! (Zenon)
Beleno encara Zenon. Vai voltar para o vestiário, Zenon puxa Beleno de volta.
Eu tenho serviço aqui, da MEAK. (Zenon)
Beleno sorri.
Que bom, trabalho! (Beleno)
Zenon franze a sobrancelha.
Meu trabalho! (Zenon)
Fala logo! (Beleno)
Tem uma garota aqui que não era pra estar. Ela tá usando um truque pra ganhar e, se descobrirem, tá ferrada. (Zenon)
As lutas são até a morte. (Beleno)
Só se o vencedor quiser. (Zenon)
Então o plano é vencer ela e dar clemência? (Beleno)
Zenon franze a sobrancelha.
Pretende matar seus oponentes? (Zenon)
Agora que falou, só os vampiros. Estou com fome. (Beleno)
Espero não te enfrentar. (Zenon)
Contou o plano, agora o trabalho é meu. (Beleno)
Zenon cruza os braços.
E como vai me impedir de executar eu mesmo? (Zenon)
Beleno abre as asas. Zenon arregala os olhos.
Madrugada. Beleno está em seu quarto, na cama de cima. Uma pessoa chega. Arruma suas coisas no armário. Deita-se na cama de baixo.
Qual seu nome? (Beleno)
Por que diria? (Shy)
Não é vampira, não corre nenhum risco. (Beleno)
Daí você manda alguém chamar meu nome na platéia, eu me distraio... (Shy)
Tá, vou começar a te chamar de neuro, abreviação de neurótica. (Beleno)
Duvido que saiba o nome de algum dos homens. (Shy)
Shy. (Beleno)
Quê?! (Shy)
Acha que não saberia o nome da minha colega de cama? (Beleno)
Estamos em camas diferentes, apenas no mesmo quarto. (Shy)
Ainda é uma beliche. Por que não gosta que saibam seu nome? (Beleno)
Não gosto de dar informação nenhuma. (Shy)
Prometo que não conto pra ninguém, se você não roncar. (Beleno)
Shy ri.
Olhe a sua volta, está mesmo pensando em dormir? (Shy)
Podemos dormir em turnos. (Beleno)
Não somos uma equipe. (Shy)
Vai matar quem você vencer? (Beleno)
Se não matar, eles te matam lá fora. (Shy)
Se não tivesse gostado de mim, não me falaria isso. (Beleno)
Não tô avisando. Tô dizendo que você já era. (Shy)
Sol a pino. Beleno cai no ringue. Tenta se levantar, mas não consegue. Machucados por todo o corpo. A platéia grita "Morte!". Shy, com uma espada na mão, vai até Beleno. Joga a espada.
712. (Shy)
As pessoas se calam. Diogo pega um livro em uma gaveta. Abre. Folheia. Para. Lê.
Clemência??? Quem fez esta regra??? (Diogo)
Não importa quem fez, tá no torneio, posso usar. (Shy)
Diogo arranca a página do livro. Olha para Shy.
Entrou na luta sabendo que poderia fazer isso. Pra essa luta isso vai valer. As batalhas estão suspensas por hoje. Haverá uma reunião à noite, onde ditaremos as novas regras. Quem quiser sair depois da reunião, tá livre. Reiniciaremos o torneio amanhã de manhã. (Diogo)
Diogo sai. Shy estende a mão para Beleno. Beleno apoia e se levanta. Shy coloca o braço de Beleno por cima de seu ombro.
Por que fez isso? Vão jogar os piores em cima de você agora. (Beleno)
Você não é um desses piores. (Shy)
Noite. Beleno chega na MEAK. Inês olha para Beleno.
Anotou a placa? (Inês)
Não se preocupem mais com o caso da garota do torneio. Derruba qualquer um. (Beleno)
Não era Zenon que tava cuidando disso? (Inês)
Era, disse bem. Mais alguma coisa? (Beleno)
Nada. (Inês)
Beleno sai. Chega em casa. Beatrice dá um passo para trás.
Amanhã vou procurar no jornal se algum avião caiu por causa de pássaro na turbina. (Bea)
Beleno encosta Beatrice na parede e beija. Beatrice afasta Beleno.
Essa mania é genética então? (Bea)
Meu pai fazia isso? (Beleno)
Angely pelo menos falava comigo antes e tinha mais delicadeza. Tem consciência de que não sou uma boneca de sex shop? (Bea)
Às vezes simplesmente me dá vontade de te beijar. (Beleno)
Então siga o exemplo certo. (Bea)
Beatrice sai da sala.
Ou daqui a pouco vai estar olhando pros seus amigos, "também quero isso aqui", e mata. (Beatrice)
Beleno franze a testa e se senta no sofá.
Estou esquecendo de alguma coisa. (Beleno)
Ringue. Shy está na entrada. César, com capuz, olha para Shy.
Você é humana. (César)
Sou. (Shy)
César tira um bracelete do pulso de Shy. Shy toma de volta e recoloca.
Que tá fazendo?! (Shy)
Apenas achei bonito. Queria ver. E queria que me tocasse. (César)
Shy balança a cabeça para os lados.
Pervertido. (Shy)
Shy olha para o ringue.
Vai ser bom te derrubar. (Shy)
César sai. Algum tempo depois, Shy cai no ringue. César olha para Shy.
Vou dar clemência. Deu a Beleno, deve preferir viver. (César)
Não pode. Tiramos esta regra. (Diogo)
Tá usando poderes! (Shy)
Silêncio geral.
Posso usar. São meus mesmo e minha raça tá certa na minha ficha. E os seus, de onde vêm? (César)
Não tenho poderes. (Shy)
Não naturalmente. Eu também li o regulamento. (César)
César se aproxima de Shy e abaixa.
Não era perversão, minha criança. Talvez eu possa te ensinar algo quando te ganhar. (César)
Dois dias depois, noite. O telefone toca. Inês atende.
MEAK, no que posso ajudar? ### Não fizemos o trabalho??? ### Sua filha sumiu??? ### Beleno! (Inês)
Beleno sai do banheiro de toalha.
Fala. (Beleno)
Primeiro, já mandei não tomar banho aí que alguém pode chegar e você entope o ralo com as penas. Segundo, não disse que tinha resolvido o caso da garota do ringue??? (Inês)
Não, eu disse que ela sabia se defender. (Beleno)
Sabe tanto que sumiu! Vai achar e, se for só um corpo, vou te colocar num vestido com uma boneca na mão e entregar pro pai dela! (Inês)
Inês volta ao telefone.
Já estamos resolvendo o problema. ### Claro, sua filha vai voltar inteira. (Inês)
Inês encara Beleno. Beleno sai.
Vamos resolver sim... (Inês)
O celular de Beleno toca. Beleno pousa em uma árvore na beira da ilha. Atende.
Alô? ### Sim, foi Shy quem me derrubou. ### Posso vol... (Beleno)
O galho quebra. Beleno cai na água. Beleno chega ao vestiário. Jane ri.
Já vi ratos ficarem menos feios. (Jane)
É, mas eu não sou seu jantar. (Beleno)
Não teria tanta certeza se fosse você. (Jane)
Mas não é, e por isso que eu não vou perder. (Beleno)
Beleno vai para seu quarto.
Não acredito que... (Beleno)
Não me inscrevi. Disse que te treino. (Inês)
Tem só duas camas, uma pra mim, outra pra... (Beleno)
Concorrente. Durmo na sua cama. (Inês)
Fiquei sabendo que... (Beleno)
Shy virou prêmio. Por isso vim te vigiar. Pra ver se não faz nenhuma merda. (Inês)
Vou ter que matar meus oponentes. (Beleno)
Ainda tem uma brecha. Podem se render. (Inês)
Ninguém faz isso. (Beleno)
Se não fizer, é sinal de que prefere morrer. Aí a escolha é pessoal. (Inês)
Madrugada.
Beleno... (Inês)
Beleno abre os olhos e cai da cama. Cruci se senta na cama.
Que tá acontecendo??? (Cruci)
Nada, volta a dormir. (Beleno)
Beleno sobe na cama de novo.
Que foi? (Beleno)
Um sonho. Um pesadelo. Acho que foi lembrança de antes de nascer... (Inês)
Edmont? (Beleno)
Sim. Por isso parecia. Mas era em outro lugar. (Inês)
Tava do meu lado e teve um pesadelo... (Beleno)
Não é culpa sua! (Inês)
Manhã. MEAK. Kat, Derik, Estela e Alan estão na recepção. Inês entra.
Beleno não me deixou ficar lá. Acha que tive pesadelos porque dormi do lado. (Inês)
Zenon não estava com o problema? (Estela)
Entregamos o caso pra Zenon. (Derik)
Beleno pegou. (Inês)
E onde foi parar Zenon? (Kat)
Beatrice e Michele saíram pra procurar. (Alan)
Não junto, né? Por que uma é ex, a outra é atual... (Inês)
Sabe ou não onde Zenon tá? (Kat)
Eu não tinha pensado nisso até agora mas vocês acabaram de me deixar nervosa Beleno chegou com machucados e não tocou no nome do Zenon... (Inês)
Inês vai até a recepção e pega o telefone. Disca. Espera.
Cadê o zenon? ### Como assim, não queria te dar o trabalho??? ### Beleno??? (Inês)
Inês bate o telefone. Todo mundo fica olhando.
Inês, você se apaixonou por Zenon? (Estela)
Beleno não mataria Zenon por dinheiro, mataria? (Inês)
Matou Xisto sem ter feito nada, Zenon também é um vampiro, talvez tenha ficado com fome e... (Alan)
Estela encara Alan.
Beleno não faria isso. Eu acho. (Estela)
E se herdou o temperamento de Edmont? (Inês)
Teria amarrado Zenon em algum lugar. Não como Angely, pra assumir o caso, mas por sadismo mesmo. (Derik)
O que Derik quis dizer é que pode sossegar, Zenon não morreu. (Kat)
Ainda. (Alan)
Kat encara Alan.
Você vai ter algum sonho se for pra impedir, não vai? (Inês)
Tecnicamente... (Kat)
Inês vai a um quarto e volta com cobertor e travesseiro. Kat pega e vai para o quarto.
Dias depois. Noite. Final do torneio. Beleno e César. Ninguém começa a luta. Horas passam. Beleno respira fundo. Levanta voo. Mergulha. César acerta Beleno com um bastão. Beleno acerta a parede. Grita. Levanta. Tenta abrir as asas. Grita novamente. Corre na direção de César. César acerta novamente com o bastão. Sucessivas vezes, Beleno acerta a parede. Beleno não consegue mais se levantar. Fica no chão. César passa a mão no bastão e torna-se uma espada. César vai até Beleno.
Não... Por f... vor... (Beleno)
Está pedindo para eu não te matar? (César)
Beleno acena com a cabeça para baixo. César olha para Diogo.
Isso vocês não tiraram das regras. (César)
É, não tiramos. Não é necessário. Não poderá participar mais do torneio. E você venceu. (Diogo)
César olha nos olhos de Beleno. Beleno volta o rosto na direção aos olhos de César. Fecha os olhos e solta o corpo.
Madrugada. Beleno abre os olhos. Está em um quarto. Shy olha pra Beleno.
Tem como nos tirar daqui? (Shy)
Onde estamos? (Beleno)
Acabou o torneio, estamos na casa de César. (Shy)
Sabe o que tem do outro lado da porta? (Beleno)
Não faço idéia. Pode ser até o inferno. (Shy)
Então não entramos por ali. (Beleno)
Também acordei aqui. Tá estourado, hein? (Shy)
Tava trapaceando? (Beleno)
Beleno se senta na cama.
Me venceu trapaceando?! (Beleno)
Como se você fosse todo certinho! (Shy)
Por que acha que não sou? (Beleno)
Acha que não te vi se livrar do seu amigo pra ele não entrar no torneio?! (Shy)
É mesmo, Zenon... Esqueci de contar pra eles. (Beleno)
Então me ajude a sair daqui. Não sei como vai se livrar dessa encrenca com seus amigos, é bem grave o que fez, mas vamos ter que sair primeiro. (Shy)
E se eu não saísse? Não brigariam comigo e ele tá melhor agora do que... (Beleno)
O que tá dizendo é ainda menos ético do que o que fez. Vamos sair ou não? (Shy)
Beleno levanta da cama. Corre em direção a porta. A porta se abre para dentro. César encosta e deixa Beleno cair do lado de fora. Beleno se levanta.
As asas estão melhor? (César)
Não vai nos prender aqui! (Beleno)
Nos prender? Que coisa mais feia, Daniela... (César)
É Shy! (Shy)
Que seja. Quem eu ganhei foi ela, que se dispôs a isso. Tá no regulamento. Você eu apenas cuidei. E não foi pra se estourar tentando derrubar minha porta. Pode ir pra casa agora. Você se recupera fácil. (César)
César fecha a porta.
Beleno chega em casa. Beatrice está no sofá.
Não tem trabalho? (Beleno)
Ninguém sai de domingo a noite, todo mundo trabalha de manhã. (Bea)
Mas temos um problema. A garota foi ganha por outro cara. A luta era até a morte, mas eu pedi pra não me matar, pra poder salvar ela depois. (Beleno)
Ahã... Quer me convencer que não pensou nem um instante na sua vida quando pediu clemência? (Bea)
É claro que não! (Beleno)
Quero saber onde tá Zenon. (Bea)
Primeiro temos que ajudar essa garota. Tá presa num... (Beleno)
Alan entra com uma espada.
Cadê Zenon? (Alan)
Beleno franze a sobrancelha.
Alan, cê tá mesmo com uma arma? (Beleno)
Minha resposta depende da sua. (Alan)
Vou ter mesmo que resolver isso sem ajuda. (Beleno)
Beleno sai pela janela e voa.
Alan... (Bea)
Zenon era meu amigo... Me bateu umas vezes aí, tivemos uma brigas, mas... Era meu amigo, droga! (Alan)
Beatrice levanta, vai até Alan e abraça. Alan afasta.
Eu quero matar Beleno. (Alan)
Tem essa pessoa que temos que ajudar. Depois vamos atrás. Deve ter tido um motivo pra fazer isso. Pras crianças, Zenon sumiu e Beleno também. Por enquanto, tá? (Bea)
Tá. (Alan)
Sol a pino. César entra no quarto de Shy.
Não tomou um banho, não se trocou? (César)
Trocar com o que? (Shy)
Tem roupas no guarda-roupas. (César)
Pra quê? (Shy)
Está pensando em deixar a higiene de lado porque não está mais livre? (César)
Talvez. Vai continuar comigo? (Shy)
Acha que quero você pra quê? Escrava sexual? Já passei por guerras, acha que sou novo? Alguém que não gosta de banhos não me é novidade. (César)
Shy bufa, levanta da cama e vai até o armário. Fica com a boca entreaberta. Mexe nos cabides.
Mas... (Shy)
Entrei no torneio porque você entrou. (César)
Shy olha para César.
Então é pior do que pensei. (Shy)
Não. É melhor. O que quer ser? Bruxa? Eu faço. Lutadora? Também posso. Dou o que quiser, mas depois vai ter que fazer algo por mim. (César)
E se eu não quiser fazer esse acordo? (Shy)
Quantos torneios ganhou com aquela trapaça? (César)
Não é trapaça. Usei algo meu pra descobrir, usei minha inteligência. (Shy)
Muitos, não é? Dinheiro... Seu pai ficou feliz. (César)
Toda vez que eu entrava, reclamava. Quando saía, era uma festa. (Shy)
Contratou gente pra te tirar deste. (César)
Ah? (Shy)
Chame de intuição. Vai poder visitar ele de vez em quando. Há tempos tento impedir que você morra, mas é sempre a mesma coisa. Ele está aqui para assegurar que o destino se repita. (César)
Shy dá um passo atrás.
Meu pai não quer que eu morra. (Shy)
Não. Ele quer que os vampiros nascidos continuem pedras. (César)
Aí você viajou loucamente. Vampiro não se reproduz. (Shy)
Não os que você conhece. Esses que falo, de vampiros só tem a hematofagia, os dentes e um pouco do problema com o Sol. Na verdade, os dentes não saem... Bom, detalhes técnicos, não vamos falar disso agora. Você tem que se livrar desse destino, para que possam voltar. (César)
Meu pai jamais... (Shy)
Se achasse que monstros horríveis voltariam a terra, preferiria seu filho? (César)
Quem me garante que não são monstros horríveis? (Shy)
Vai lembrar. Quando lembrar, eles têm que te matar. (César)
Quer que eu não morra porque? (Shy)
Eu fiz o feitiço. Enquanto você morrer, eu continuo vivo. (César)
César sai do quarto.
E tantos procurando a vida eterna... (Shy)
Mas quando ela perde a graça, eles podem se matar. (César)
Começo de tarde. Derik está no quarto. Kat chega.
Que cara é essa? (Kat)
Atlantes não podem agarrar alguém a força. (Derik)
Que bom. Eu sei disso. (Kat)
Como Beleno nasceu? (Derik)
Sua informação tá errada. (Kat)
Não, ouvi Melody e Angely comentando isso. Agora eu lembrei que Beleno só poderia ter vindo se fosse assim. (Derik)
E se a alteração de corpos pode causar algo? (Kat)
Angely não estava na biblioteca com vocês? (Derik)
É mesmo, foi quando Mel engravidou... (Kat)
Então foi Edmont mesmo. (Derik)
Ou Inês e Beleno mentiram. (Kat)
Não fariam isso. Vou pesquisar sobre pégasos de novo. Ver se não tem uma brecha. (Derik)
Beleno entra no quarto de Shy. Shy está saindo do banho. Cruza os braços.
Ainda bem que me vesti lá dentro. (Shy)
Vim te tirar daqui. (Beleno)
Não quero mais sair. (Shy)
Te drogou? (Beleno)
Não. (Shy)
O dinheiro... (Beleno)
Que acha que sou??? (Shy)
Estava no torneio por dinheiro. (Beleno)
Isso é diferente. (Shy)
É trapaça de qualquer jeito. (Beleno)
Quer parar de me chamar de trapaceira?! (Shy)
Mas porque não quer mais ser salva? (Beleno)
Shy olha para baixo.
Eu fui salva. Meu pai ia deixar me matarem. Talvez ele mesmo fizesse. (Shy)
Ah?! (Beleno)
Shy olha para Beleno.
César me disse que estou reencarnando há tempos, que ele fez um feitiço pra que uma espécie ficasse como pedra, enquanto me matassem. (Shy)
Bom, mas morrer todo mundo morre, então nunca vai acontecer. (Beleno)
Tem um hora certa, em que eu lembro de tudo. (Shy)
Deve estar mentindo. (Beleno)
Eu acredito. Meu pai sempre me tratou como se ele tivesse feito alguma coisa muito errada, achei que fosse em relação a minha mãe. Mas agora eu sei que não é passado, é futuro. (Shy)
MEAK. Noite.
É perfeito. (Derik)
Como assim? (Beleno)
Se César diz que vão assassinar Shy quando lembrar de tudo, César fica com Shy até quando quiser, porque, afinal, Shy nunca vai lembrar. (Derik)
Ela disse também que ele tá treinando ela. (Beleno)
E daí? Duvido que ensine como vencer a si. (Kat)
E, se ele é imortal, ela nem vai tentar isso. (Estela)
Vamos lá e acabamos com tudo. (Michele)
Precisamos descobrir como fazer isso. Mas você ainda não contou o que aconteceu com Zenon. (Derik)
Perdi dele. Tô cuidando do caso, não tô? (Beleno)
Como se parece? (Derik)
Zenon? (Beleno)
Derik revira os olhos.
César. (Derik)
Ah, tá... Não sei. (Beleno)
Como não sabe??? (Michele)
Beleno não enxerga, Michele. (Kat)
Não lê a mente das pessoas? (Estela)
Não pensei em fazer isso com Shy, mas tentei com César no ringue e caí. (Beleno)
Sabe que tipo de poderes tem? Podemos começar com isso. (Kat)
Biblioteca? (Beleno)
Primeiro vai me dizer tudo que lembra. (Derik)
Bom, a gente vai até lá então, ver se descobrimos mais alguma coisa. (Kat)
Kat sai. Michele segue.
Você vai descrever, vamos anotar e eu e Estela vamos pra biblioteca. (Derik)
Cadê Inês? (Beleno)
Saiu. Não precisamos de Inês. (Estela)
Aliás, tem gente demais por aqui, a gente podia se separar e fazer muito mais coisas. (Derik)
Kat e Michele chegam ao apartamento de César.
Nem pra você apareceu? (Kat)
Não. (Michele)
Fez isso algumas vezes lá, mas achei que tivesse parado. Não fez isso nenhuma vez aqui. E tinha prometido pra Mel que cuidaria de tudo. (Kat)
A gente já cresceu, e temos treino agora. (Michele)
Tem razão. (Kat)
Ele dava algum sinal que ia sumir? Mudava o jeito, algo assim? (Michele)
Nadinha. (Kat)
Michele balança a cabeça para os lados.
Não podia ter feito isso comigo. (Michele)
Bom, não desapareceu tantas vezes assim. Teve uma vez depois que fizeram um feitiço. Era uma pessoa que queria vampir pra... Ficar junto, sei lá. (Kat)
Nossa, existe disso? (Michele)
Nem todo mundo conhece de verdade. (Kat)
Kat e Michele batem na porta. César atende. Olha para Kat e Michele.
Uma meio-atlante e a criadora da primeira linhagem na minha casa... Entrem, sintam-se a vontade. (César)
César dá passagem. Kat e Michele entram.
A que devo a visita? (César)
Somos amigas de Shy. (Michele)
Ah, sim, a garota loira! (César)
Ela mesma. (Michele)
Kat suspira.
Shy não tem cabelo loiro, né? (Kat)
Michele arregala os olhos.
Kat! (Michele)
Não, os cabelos são pretos de nascença e nunca viram tinta. São amigas sim do garoto alado, não? (César)
Sim. (Kat)
Digam a ele que um amigo não pode ser um rival. E não estou falando de... (César)
Viemos saber o que quer com Shy. (Kat)
Podia não ser tão direta. (Michele)
César levanta um dedo. Sai. Volta com um pacote. Entrega a Kat. Kat abre. São fotos de uma pedra com inscrições.
Podia ter scanneado ou tirado as fotos com uma câmera digital... (Michele)
Para qualquer hacker ter acesso? Destruí os negativos. Nasceu na Terra? (César)
Praticamente. Pode nos dizer ao menos o nome dessa língua? (Kat)
Levem isso para alguém que saiba traduzir. Ah, não é só porque os vampiros são velhos que eles conhecem tudo. Minhas estátuas talvez soubessem ler... (César)
Por que não nos entrega a tradução? (Michele)
Acreditariam em mim? (César)
MEAK. Anoitecer.
Voltaram meio rápido, Derik e Estela acabaram de sair. (Beleno)
Não foi tão pouco tempo, teríamos nos encontrado na ponte. (Michele)
Que isso... (Beleno)
Beleno pega o pacote das mãos de Kat.
Delicadeza não paga imposto. (Kat)
Beleno abre o pacote. Folheia. Vai a um armário, pega durex. Senta no chão. Olha para Michele e Kat. Michele e Kat sentam também, do outro lado. Olhando nos olhos de Michele e Kat, Beleno vai organizando as fotos no chão e colando. Termina.
Como sabia a ordem? (Kat)
Por que não era uma parede lisa pintada, pedras tem diferenças de tons. (Beleno)
Você não é cego? (Michele)
Mas vocês não. (Beleno)
Demos quatro olhos a Beleno. (Kat)
Isso é invasivo. (Michele)
Não li nada, me concentrei na visão. (Beleno)
Conhece essa língua? (Kat)
Já vi uma vez algumas dessas letras. Não lembro quem olhava. Vocês tiraram as fotos? (Beleno)
Não, César nos entregou. (Michele)
Kat coloca a mão no rosto.
Que foi? (Beleno)
Kat tira a mão e olha para Beleno.
César pode ter criado isso num programa de computador e mandado revelar como fotos ou até pode ter feito a pedra com as próprias mãos. (Kat)
Não pensamos nisso. (Michele)
Melhor irmos lá e procurarmos a pedra. (Beleno)
Kat levanta e sai, Michele e Beleno seguindo.
Alan, Inês e Beatrice chegam a MEAK.
Beleno jamais faria isso... Será que Zenon não morreu no ringue? (Inês)
Então porque fugiu? (Alan)
De repente não quisesse contar, sinta culpa... (Inês)
Talvez seja mesmo culpa de Beleno. Deveria ter nos contado. (Bea)
Vamos fazer o seguinte, vamos procurar Zenon. De repente Beleno jogou Zenon no continente, algo assim. Mas, por favor, eu quero analisar outras hipóteses! (Inês)
Tá. Vamos pro continente. Não espere que procuremos toda vida, ok? (Bea)
Tudo bem. Além do que, se matou Zenon, você também está em risco. (Inês)
Beatrice baixa a cabeça. Olha de novo para Inês.
Vamos logo. (Bea)
É melhor você ficar, Inês, não é bom ir ao continente. (Alan)
Mas... (Inês)
Alan tem razão. Eu corro perigo aqui, você pode ter problemas lá. (Bea)
Do lado de Beatrice eu não corro, nem ela do meu lado. (Inês)
Nunca tinha conhecido pégaso. Acho que só Edmont tem poder o suficiente pra desafiar o mundo desse jeito. E quem é inexperiente a cria deve pegar fácil. Você fica. (Bea)
Deixa eu ir com vocês até o porto então. (Inês)
Só até lá. (Alan)
Noite. Derik e Estela estão na biblioteca.
Acho que achei algo... (Estela)
Estela vai até Derik.
Pensei que estávamos procurando sobre César. (Estela)
Derik olha pra Estela.
É que eu descobri que o nascimento de Beleno é impossível. (Derik)
Eu sei que conheceu Edmont de antes, mas... (Estela)
Atlantes não podem agarrar alguém a força. E não se trata de princípios, é biológico, é mágico, sei lá. (Derik)
Ele virou vampiro, talvez algumas características tenham se alterado. (Estela)
Então devo procurar sobre vampirs, não pégasos. (Derik)
Mas não achamos nada sobre atlantes aqui, um humano normal não tem esse tipo de coisa, não dá pra prever se alteraria ou não. (Estela)
Leve o que achou para Beleno, vou ficar aqui, procurando. Por via das dúvidas, vou ver sobre vampirs, pégasos e fênixs. (Derik)
Estela sai.
Madrugada. Estela está dormindo. Inês toca o ombro de Estela. Estela olha para Inês e senta-se na cama.
A quanto tempo está aqui? (Estela)
Tinha saído pra levar Alan e Beatrice até o porto, trabalho no continente. (Inês)
Ah... Descobri umas coisas sobre quem ficou com Shy. Parece que é um bruxo muito antigo, mas o que cita nos livros é que era bom, não ruim. Depois do tal feitiço que ele fez para prender umas criaturas aí, não tem mais nada. (Estela)
Casa de César. Kat e Michele estão em uma sala cheia de objetos antigos.
Não tô vendo nenhuma pedra. (Kat)
Talvez ele guarde as pedras em outra sala. (Michele)
Talvez. (Kat)
Kat e Michele se viram. César está olhando para Kat e Michele.
Tratei vocês tão bem, porque invadem a minha casa assim? (César)
Beleno pula em cima de César. César joga Beleno na parede da sala central da casa. Michele corre na direção, César joga Michele também. César aponta a sala. Kat vai. César fecha a porta da sala onde estavam. Michele e Beleno levantam.
Se vamos brigar, que não seja em cima de antiguidades tão valiosas. (César)
Então isso é sobre dinheiro? (Kat)
Eu disse valiosas, valor tem que ser sempre dinheiro? (César)
Então o que é? (Kat)
Se trata de descanso. (César)
Descanso? (Michele)
Ele não vai morrer se eu não morrer. (Shy)
Ninguém quer morrer! (Michele)
Então porque não nos mostra a pedra? (Beleno)
Que pedra? (Shy)
Não posso. (César)
Ele diz que tem uma pedra contando tudo isso. (Michele)
Não precisaria se foi você quem fez o feitiço. (Shy)
Não posso te mostrar. Terá que acreditar em mim. (César)
Podemos te mostrar as fotos. (Beleno)
César suspira e sai.
Vamos pra casa. Entregamos as fotos e então você poderá ir para a sua. (Kat)
Ok. Mas não vou prometer que não volte. (Shy)
MEAK. Kat, Michele, Shy e Beleno chegam. Estela e Inês estão com amarras. Kat desamarra Estela, Beleno desamarra Inês.
Que aconteceu??? (Beleno)
Um cara apareceu, disse que queria umas fotos que estavam por aqui, desconfiamos, ele disse umas coisas e acordamos assim! (Estela)
Beleno fareja o ar. Sai. Atrás da MEAK, uma lata pegando fogo. Entra, pega um balde de água, sai e joga a água. Kat, Estela, Inês e Michele saem. Beleno vira o latão, devagar. Sai a água, cinza. Alguns pedaços de papel ficam na grama.
Era isso? (Shy)
Desculpe. Eu devia ter guardado em outro lugar, eu... (Beleno)
Não foi culpa sua. (Kat)
Não, eu acabei com o caso! (Beleno)
Sou um caso? (Shy)
Desculpe, não foi isso que eu quis dizer, mas é que eu deveria... (Beleno)
Salvar Shy. E salvou. (Kat)
Beleno fica em pé.
É mesmo... Salvamos. (Beleno)
César ainda pode te sequestrar. (Estela)
César não me mantinha a força. (Shy)
Kat olha para Shy.
Tínhamos as fotos aqui. César quem deu. Viu quando falamos das fotos e César saiu. Aí apareceu aqui e queimou tudo para a gente não te mostrar. (Kat)
Shy olha para o chão.
Melhor você ir pra casa. (Inês)
Shy olha para Beleno.
Vou sentir saudade das roupas e dos treinos. (Shy)
Por isso não, pode treinar com a gente. (Kat)
Como vocês se sustentam? (Shy)
Com a agência. Fica difícil a situação de vez em quando, mas... (Estela)
Oto deve estar em aflição. (Inês)
Tá. (Shy)
Eu te levo! Pode ser perigoso... (Beleno)
Beleno e Shy saem. Passam pela ponte. Inês acompanha Beleno e Shy com os olhos.
Está com medo de Shy fazer algo com Beleno? (Kat)
Calma, ela não vai engolir seu irmão... (Estela)
Hahaha. (Inês)
Não vai me dizer que tá mesmo com ciúmes, vai? (Estela)
Alete sumiu, Zenon também, Alan e Beatrice viajaram e não quiseram me levar, me deixem em paz, tá??? (Inês)
Inês entra na MEAK, entra em um quarto, bate a porta e se tranca.
Peraí, Alan viajou e não me disse nada?! (Estela)
Bem vinda ao clube. (Michele)
Cadê Derik? (Kat)
Na biblioteca, vendo algo que cismou. (Estela)
Sobre Beleno? (Kat)
Sim. (Estela)
Beleno? O que tem Beleno? (Michele)
Sobre o nascimento. Derik sabe explicar melhor. (Kat)
Desculpe, tenho trauma de biblioteca, não entro lá nem a porrada! A última vez que me propus e ficar na frente de um livro, eu quase enlouqueci! (Michele)
Tudo bem, eu tento te explicar, vamos indo. (Estela)
Eu fico aqui, duvido que Inês vá atender telefones nesse estado. (Kat)
Não, deixa eu ficar então, vocês não me parecem estar bem. (Estela)
Então eu explico do jeito que der. Se Derik ligar, você avisa... (Kat)
Que está em casa. (Estela)
E Zenon... (Michele)
Também. Depois, é lógico, de Zenon fazer um relatório sobre onde esteve. (Estela)
Manhã. Toca o telefone. Estela vai pegar, Inês sai correndo do quarto e pega antes.
MEAK, bom dia. (Inês)
Inês revira os olhos e bate o telefone.
Quem era? (Estela)
Um babaca que disse que tinha uma coisa indefesa entre as pernas que poderíamos ajudar! (Inês)
Eu preciso falar com você... Conversou bastante com Alete, talvez você saiba algo sobre pégasos... (Estela)
Alete não saberia, não chamou um irmão. Mas eu chamei o meu, então... (Inês)
Como assim, chamou? (Estela)
Nós é que chamamos. (Inês)
Então, quando você se sente ameaçada... (Estela)
Não chegou a concluir em nenhuma das duas vezes, se quer saber. (Inês)
Por que não falou isso? (Estela)
Vocês não perguntaram! Eu devia ter feito um relatório quando nasci por acaso??? (Inês)
Tá, tá, mas porque continuou perto depois da primeira vez? (Estela)
Não continuei, sumiu, tinha brigado com a família... Ainda não era vampiro... (Inês)
Ô, ô, pé no freio, como ainda não era vampiro??? (Estela)
Tô confundindo tudo, isso foi antes de eu estar nesse corpo... (Inês)
Conheceu Edmont... em outra... encarnação? (Estela)
Não sei... Tô confusa... Parece que me lembro de algumas coisas de outra encarnação... (Inês)
Sério??? (Derik)
Inês e Estela viram, travam o corpo e vão para trás. Estela respira fundo.
Quer nos matar??? (Estela)
E o que aconteceu pra você lembrar? (Derik)
Não sei. (Inês)
Conheceu Edmont, e diz que tentou atacar lá também, e que foram apenas tentativas, nas duas vezes. (Estela)
Então talvez tenha chamado mais por medo que por ameaça real... (Derik)
Você já sabia que fênix é que chama? (Estela)
Descobri agora pouco. (Derik)
Ang me protegeu da outra vez. (Inês)
Peraí, você não chamava assim, chamava de pai... (Derik)
Inês olha para Estela e depois para Derik.
Todo mundo chama Ang de Ang. (Inês)
Bom, que Edmont tenha tentado assustar alguém depois que se transformou eu não duvido... (Derik)
Não, da primeira vez ele era humano. Foi a última vez que o vi quando era humano. (Inês)
Estela olha para Derik.
Achei que Edmont fosse da agência antes... (Estela)
Você conhecia Edmont de perto? (Derik)
Sim. Acho que a gente namorava... (Inês)
Inês franze o rosto.
Eu namorei meu pai! (Inês)
Namorar mesmo Edmont só namorou Agatha... Não, também... Lembra do seu nome de antes? (Derik)
Não. (Inês)
Handhara? (Estela)
Não sei. (Inês)
Katerine conhecia Handhara, melhor vermos isso depois. Primeiro temos que achar Zenon. (Derik)
Beleno já não devia ter voltado? (Estela)
Acho que sim. (Inês)
Ah, Derik, Kat disse que estaria em casa. (Estela)
Tá, vou indo, preciso dormir. (Derik)
Derik sai.
E eu vou pra casa ver o... Ah, me esqueci, meu namorado viajou sem me avisar! (Estela)
Bom, então fica lá dormindo. (Inês)
Próximo a virada do dia. Casa de Shy. Shy acorda. Vai até o quarto de Oto. Oto está chorando, na cama, sentou-se.
Que foi?... (Shy)
Eu não posso fazer isso... Não posso te matar... (Oto)
Como assim, me matar??? (Shy)
Eles disseram que, se você ficar viva... (Oto)
Uma espécie horrível vai voltar à vida. (Shy)
Oto levanta.
Contaram pra você? (Oto)
Shy vai até Oto e senta na cama.
Eu estava com o homem que fez o feitiço para prender eles. (Shy)
Eles te salvaram de morrer então? Era isso que ele ia fazer? (Oto)
Não, ele tava me treinando. Queria que eu não morresse, para eles acordarem, assim ele morreria. (Shy)
Como assim??? (Oto)
Ele disse que não são tão maus assim. (Shy)
Estamos falando dos nascidos agora. Pode ser que não sejam maus, apenas selvagens. (Soraia)
Soraia é uma caçadora de vampiros. (Oto)
A lenda diz que são muito mais perigosos que os que conhecemos. (Soraia)
Acredita em lendas? (Shy)
Eu sei que não deve gostar muito disso, que agora talvez não mereça... (Soraia)
Shy levanta.
Talvez?! O que foi que eu fiz??? (Shy)
Você foi a única que fugiu do feitiço. Tentou matar o bruxo. Atiraram em você antes. Você reencarnou, então tentou matar ele de novo. Percebemos então que queria matar ele para que o feitiço acabasse. Ele não pode morrer, se não for por um vampiro nascido. (Soraia)
E como sabem, se nunca aconteceu? (Shy)
Por que o bruxo que fez isso contou. (Soraia)
Estava com ele. (Shy)
Talvez ele só estivesse querendo assegurar que você morresse. (Soraia)
Eu sou humana agora. (Shy)
Vai voltar ao que era. (Soraia)
Ele tava me treinando! (Shy)
Te dando o que você sempre quis. Como eu tentei fazer toda a sua vida. (Oto)
Shy senta na cama novamente e solta o corpo para trás.
Acho que é por isso que não queria que eu visse a pedra. (Shy)
Shy respira fundo.
Quando eu tenho que morrer? (Shy)
Oto sai, chorando.
Daqui há alguns dias. (Soraia)
Isso é tão injusto... (Shy)
Lish, a primeira vampira, reencarna até hoje, e vai reencarnar até que todos os vampiros de primeira linhagem morram. (Soraia)
Mas ela não tem que morrer. (Shy)
Na verdade, ela costuma morrer bem nova, em todas as encarnações, por estar matando eles. Todo mundo morre um dia. Olha... (Soraia)
Soraia se senta ao lado de Shy.
Podemos tentar fazer um feitiço para que você se lembre sempre, quando reencarnar, assim seria uma continuidade a sua vida. (Shy)
Como se nunca morresse? (Shy)
Sim. (Soraia)
César me disse que a eternidade cansa. (Shy)
Daí nos desfazemos o feitiço e refazemos quando quiser... Podemos procurar algo do tipo. (Soraia)
Shy encolhe e solta os ombros.
Tá. (Shy)
Manhã. Kat acorda, arregalando os olhos. Senta-se. Derik se senta também.
Que foi?! (Derik)
Shy... Vão matar! (Kat)
Sabia que ainda ia atrás! (Derik)
Não, César tava mesmo tentando proteger! (Kat)
Quê?! Matamos Shy então??? (Derik)
Kat pega um papel. Desenha algo. Escreve números embaixo. Entrega a Derik. Derik olha. Vai até o computador. Digita os números.
Peraí, acho que isso é onde César mora. (Derik)
Não, esse desenho... (Kat)
A coordenada, Katerine. (Derik)
E o desenho? (Kat)
Parece com os símbolos da pedra da fotografia. (Derik)
Vamos ao apartamento, então. (Kat)
Não é... (Derik)
Perigoso, mas necessário. (Kat)
Kat sai. Sobe as escadas, para a casa de cima. Bate na porta. Derik segue. Estela abre. Entram. Michele está na sala.
Que isso, vai dar um susto em Alan por ter ido sem avisar? (Kat)
Os dois somem, bem que mereciam. (Estela)
Sonhei com um negócio na casa de César. Acho melhor irmos nós quatro, porque Estela e Derik têm conhecimento técnico e nós prático. (Kat)
Tá. (Michele)
Apartamento de César. Kat fecha os olhos. Segue andando.
Que tá fazendo? (Estela)
Lembrando do que sonhou. (Michele)
Estela, Derik e Michele seguem. Chegam a uma parede. Kat abre os olhos.
Tem alguma coisa errada. (Kat)
A tinta é nova. (Derik)
Se a gente tirar, tira a de baixo. (Estela)
Não, o que eu quero não era pintado. (Kat)
Michele tira um punhal e entrega a Kat.
Vai demorar com isso. (Kat)
Esperava que eu carregasse uma espátula? Sou caçadora, não pintora. (Michele)
Estela pega o punhal. Começa a raspar a tinta. Kat arqueia as sobrancelhas.
Pintei casa tanta vez de mudar com Alan... A gente parava em qualquer lugar, eu tinha que fazer parecer um pouco mais com uma casa. (Estela)
Estela consegue descobrir uma lista de símbolos. Derik se aproxima, com o papel na mão.
Está tudo aqui. (Derik)
Derik toca três símbolos. A parede se ilumina, as pessoas de afastam.
Noite. Beatrice está andando. Lara esbarra em Beatrice. Beatrice puxa Lara. Um caminhão passa do lado.
Que foi??? (Bea)
Vampiro... (Lara)
Beatrice chega em um apartamento. Alan está no sofá.
Acho que não vamos encontrar Zenon aqui. (Bea)
Alan olha para baixo.
Sabe que eu até me agarrei a esperança de que ele estivesse vivo? (Alan)
Eu vou ficar por aqui mais um pouco, acho que você deveria voltar. Procure saber se foi Beleno quem matou, nem que precise amarrar Beleno até falar. (Bea)
Tá. (Alan)
Ilhas. Michele, Derik, Estela e Kat estão em um lugar sem janelas nem portas, com paredes em pedra e dezenas de estátuas de pessoas. A luz é de tochas. Michele, Kat e Estela sentaram-se no chão. Derik está pulando no meio.
Não vai alcançar o teto. (Michele)
Pode nos contar e nós tentaremos... (Kat)
Não sou um tampinha também, tá?! (Derik)
...fazer uma pirâmide. (Kat)
Se entramos por ali, tem que ter como sairmos por ali. (Derik)
Mas o portal se fechou. (Estela)
É, mas... (Derik)
A pedra em cima se move. César olha para baixo.
Que fazem aqui? (César)
Estamos jogando cartas. (Estela)
Posso jogar junto? (César)
César sai. Volta com uma escada. Desce a escada. Kat, Estela, Michele e Derik sobem.
Onde estamos? (Derik)
Na área preservada das Ilhas. (César)
E o que é aquilo lá embaixo? (Estela)
Nada que precisem saber. (César)
Viemos porque descobrimos que realmente estava tentando proteger Shy. (Kat)
Podemos te ajudar, mas vai ter que nos contar o que é aquilo. (Michele)
César olha para o céu. Olha para Kat.
Viram as estátuas? (César)
Todas estão de boca fechada. (Kat)
Sempre ficavam, para que não lhe vissem os dentes. Vampiros nascidos. Foram petrificados. Eu petrifiquei eles. (César)
Como se desfaz isso? (Kat)
São vampiros!!! Não ouviu??? (Michele)
Eu senti alguma coisa... (Kat)
A bifurcação que separa atlantes e vampiros é mais recente que a que separa do homo sapiens. São mais próximos de você que os humanos. (César)
Se humanos fossem primos dos atlantes... (Estela)
Os nascidos seriam irmãos. (César)
Não são ferozes, como CVs de sangue acham, são? (Kat)
Nem um pouco. (César)
E o que temos que fazer? (Estela)
Impedir que matem Shy e trazer aqui. (César)
Sol a pino. Shy está em casa, terminando um prato de comida. Raspa ao prato. Lambe. Estende o prato para Soraia. Soraia arca a sobrancelha.
Quero mais. (Shy)
Tem certeza que cabe mais? (Soraia)
Ainda tô com fome! É meu último dia de vida, não é??? Eu quero mais comida! (Shy)
Talvez seja nervoso... (Soraia)
Soraia franze a sobrancelha.
Ou gravidez... (Soraia)
Não, eu sou virgem, tô com fome! (Shy)
Soraia pega o prato e enche de comida de novo. Shy volta a comer. Tocam a campainha. Soraia atende.
Soraia. (Estela)
Estela. Entre. (Soraia)
Estela entra. Derik entra também.
Então, tem visto Alan? (Estela)
Soraia cruza os braços.
Como assim, não sabe onde ele tá? (Soraia)
Olha aqui... (Estela)
Clítia ainda tá viva e você não sabe onde ele tá??? (Soraia)
Droga, eu tinha pensado que fosse você quem tivesse... (Estela)
Soraia sai da casa. Barulho de carro arrancando.
Bela tática. (Kat)
Que tática??? (Estela)
Esquece. Vamos levar Shy. (Kat)
Shy aparece com uma besta, apontada para Kat, mastigando. As pessoas dão passos para trás.
Pra onde? (Shy)
Pra agência. Precisamos da sua ajuda. (Derik)
Não dá, tenho que morrer em algumas horas. (Shy)
Tudo bem, tem relógio lá, te matamos na horinha. (Derik)
Estela arregala os olhos.
Derik! (Estela)
MEAK. Kat, Estela, Michele e Derik entram. César está no centro da sala. Shy entra. Olha para Shy.
Tô com fome. (Shy)
Sei o que vai matar sua fome. (César)
Soraia entra, com uma besta.
Não vai, mesmo! (Soraia)
Shy olha para Soraia. Vê várias pessoas com bestas. Outro momento, com armas. Se vê dentro de jaulas. Roupas diferentes. César sai correndo. Soraia, franze a sobrancelha e aponta para César, saindo. Shy joga Soraia no chão. Corre.
Tarde. Kat, Estela, Michele e Derik chegam ao lugar de onde tinham saído. Kat e Michele movem a pedra. Kat desce a escada, todo mundo desce pela escada. Dezenas de pessoas, se afastam e vão para os cantos.
Meu Deus... (Derik)
Onde tá César? (Kat)
Não vive mais. (Shy)
Você... (Estela)
Sim. César queria isso. Era o jeito de tirar o feitiço. (Shy)
Por que César prendeu todo mundo? (Derik)
Achava mesmo que a gente era um perigo. Quando trouxeram todo mundo, pessoa por pessoa, percebeu que não era assim. (Shy)
Você é rainha deles ou algo do gênero? (Michele)
Não, sou quem sobreviveu. (Shy)
Então porque não falam com a gente? (Kat)
Não devia ter perguntado isso. (Michele)
Por quê? (Kat)
Já pensou que podemos parecer um apetitoso jantar depois de tanto tempo sem poderem nem se mexer? (Estela)
Não vão matar vocês. Vamos sair quando o sol se for. (Shy)
Vocês bebem sangue, não bebem? (Michele)
Precisa derrubar uma laranjeira para fazer uma laranjada? (Shy)
Zenon e Beatrice não fazem isso, Michele. (Kat)
Kat sobe a escada. Estela e Derik vão atrás. Michele olha ao redor. Sobe a escada também. Vai até a pedra.
Não vai fazer isso. (Kat)
Por que não? São vampiros! (Michele)
Sabe que não é a mesma coisa. (Kat)
Não, você sabe. (Michele)
Isso quer dizer que não confia em mim? (Kat)
Michele baixa a cabeça. Kat segue andando. Estela balança a cabeça para os lados. Segue Kat. Derik ainda olha para Michele. Michele olha para Derik. Segue Kat. Derik também.
MEAK. Kat, Estela, Michele e Derik entram.
Oi, gente... (Beleno)
Cadê Zenon? (Michele)
É exatamente sobre isso que quero falar, mas falando assim acho que perco a coragem. Inês foi buscar Alan, explico quando todos chegarem. (Beleno)
Inês e Alan chegam.
Não se aproximem dele!!! (Alan)
Alan, que foi?! (Derik)
Ele matou Zenon!!! (Alan)
Inês olha para Beleno.
Diz que não é verdade... (Inês)
E não é! (Beleno)
Kat dá um passo para trás.
Foi isso que César quis dizer... Quando falou pra te dizer que amizades não são rivais... (Kat)
Estela franze a sobrancelha.
Matou pra pegar o trabalho?! (Estela)
Você confessou!!! (Alan)
Como pôde fazer isso??? (Michele)
Agora que não tem como fugir, vai negar??? (Alan)
Não confessei nada, eu disse que tinha tirado ele do caminho, mas... (Beleno)
Olha aqui, seu folgado, você disse que ia ser só um tempinho! Eu não tenho vocação para babá de marmanjo, e ficar escutando a música do elefantinho já é demais! (Alete)
As pessoas olham para Alete. Então para Beleno. Alete entrega uma chave para Beleno.
Sabe onde tá. Deve estar com fome, se recusou a se alimentar do que eu trouxe... E olha que nem era de gente! (Alete)
Alete sai.
Alete tava falando de Zenon? (Kat)
Eu disse que não tinha matado! Não quiseram acreditar! (Beleno)
Pois eu só acredito vendo! (Alan)
Alan abraça Zenon.
Vivo... Você tá vivo... (Alan)
Nem dá pra acreditar que queria me matar há um tempo atrás. (Zenon)
Zenon se afasta.
Ele até chorou, sabia? (Inês)
Sério?! (Zenon)
Mentira! (Alan)
Bom saber que não virou nem ossos, nem cinzas. (Kat)
Michele vai até Zenon e beija.
É muito bom saber que está bem. (Michele)
Só não se aproximem muito que tô com fome. Mas acho que já sei até o que vai matar isso. (Zenon)
Zenon olha para Beleno. Inês põe o braço na frente de Zenon.
Chega de matança entre amigos. (Inês)
Matança? (Zenon)
Zenon olha ao redor e arregala os olhos.
Cadê Beatrice??? (Zenon)
Viajando. Era em relação a você mesmo... Achamos que Beleno tinha... (Estela)
Zenon sorri.
Ele não seria capaz disso... (Zenon)
Zenon fecha a expressão.
Seria? (Zenon)
Não seria, não! (Inês)
Vamos para casa agora? (Derik)
Claro. (Zenon)
Zenon segue para a porta. Tenta segurar Beleno, Beleno se solta, e pula pela janela. Zenon vai até a janela.
Eu ainda aprendo a voar e vou te dar uma surra! (Zenon)
Zenon olha para as pessoas. Todo mundo está olhando para Zenon.
Eu tava brincando. Perdoei. (Zenon)
Estela e Alan saem. Então Kat e Derik. Michele olha para Zenon. Sai. Inês sai também.
É sério! Não acreditam em mim? (Zenon)
Noite. Beleno entra na sala de Zenon e Michele. Zenon está no sofá. Levanta e encara Beleno.
Eu sei que não está muito feliz comigo... (Beleno)
Não estou muito feliz??? Estou extremamente... (Zenon)
Acho que dormir comigo dá pesadelo. (Beleno)
Eu teria. (Zenon)
Tô falando sério! (Beleno)
Não devia mais ser seu amigo. (Zenon)
Zenon respira fundo. Se senta.
Por que acha isso? (Zenon)
Beatrice tem... (Beleno)
Quebrou um juramento. (Zenon)
Ah? (Beleno)
Se ela me fez jurar que não contaria a ninguém sobre os pesadelos, fez você com certeza. (Zenon)
Também quebrou então! (Beleno)
Não, porque eu sabia que você já sabia. (Zenon)
Não é só Bea. Inês também teve pesadelo. (Beleno)
Coincidência. (Zenon)
As duas são sobre a vida delas. Beatrice sobre as vítimas e Inês sobre sua vida passada. (Beleno)
Só se eu causo pesadelos de dormir junto também! (Zenon)
Michele chega na porta.
Posso chamar Inês pra... (Zenon)
De jeito nenhum! Acha que minha irmã é o que??? (Beleno)
Beleno sai.
Mas eu não tava falando disso... (Zenon)
Ah, não tava não? (Michele)
Michele sai.
É claro que não! Michele! Eu vi Inês crescer! Michele! (Zenon)
Algum tempo, algum lugar
Tá. Se viraram bem. (Xien)
Tentaram. Acho que Mel teria derrubado César. (Uehfo)
Ou talvez convencesse César a falar. (Xien)
Kat tem bastante em comum com Mel. (Uehfo)
Beleno está mais para o lado de Edmont? (Xien)
Bom, só prendeu Zenon porque queria o caso. (Uehfo)
E eu? (Xien)
Uehfo se aproxima de Xien. Chega perto do ouvido.
Se você não sabe, como eu vou saber? (Uehfo)
Xien baixa a cabeça. Olha para Uehfo. Estende a mão.
Acho que do único jeito que parece possível. (Xien)
Uehfo pega a mão de Xien.

Resumo do Capítulo

Anos depois. Zenon e Beatrice conversam. Zenon diz não ter feito nada com Michele, apesar de estarem namorando. Chegam a MEAK, que é uma casa térrea, com a dimensão armário e um quarto apenas. Beleno leva Beatrice e diz que Alete e Inês andam saindo. Beatrice diz que Inês não é bissexual, que saem junto apenas. Não explica como sabe que Inês não é bissexual. Etos fala com Estela. Estela não deixa Etos entrar. Está dormindo com Alan, estão namorando também. Leo aparece, pedindo ajuda para ficar, porque não conseguiu ir embora, pede desculpas. Derik fala que mataram Pandora, Leo some. Beleno fala com Zenon e Michele, pergunta se acham que Beatrice gosta de Inês, pergunta de Inês, assume que Inês saindo com Alete para caçar vampirs, fica feliz e vai embora. Acha um torneio de lutas por dinheiro. Oto pede a MEAK que tirem Shy de um torneio. Zenon vai até o lugar. Encontra Beleno, conta sobre, e que Shy estaria trapaceando. Beleno resolve que vai ficar com o trabalho. Zenon diz que não. Beleno abre as asas, Zenon se assusta. A noite, Beleno perde de Shy e Shy usa uma regra para não matar Beleno. Tiram a regra do torneio. Shy diz que poupou Beleno por Beleno não ser ruim. Beleno vai para casa, beija Beatrice, Beatrice diz que Beleno deve seguir o exemplo certo, ou vai começar a matar amizades por nada. Beleno pensa estar esquecendo de algo, mas não sabe o que. César derrota Shy no ringue. Conta que sabe que Shy trapaceou. Oto liga na MEAK e fala que Shy sumiu. Inês manda Beleno resolver. Chamam Beleno de volta, por ter perdido para Shy, que estava trapaceando. Inês vai para o lugar, diz que treina Beleno, e fica junto, para vigiar. Beleno diz que vai ter que matar quem for oponente e que ninguém pede clemência. Tem um pesadelo, Beleno decide que dormir do seu lado dá pesadelos e manda Inês para a MEAK de volta. Perguntam a Inês de Zenon, e Inês só consegue lembrar que Beleno chegou com machucados e não citou Zenon. Fala com Beleno, Beleno só diz que Zenon não queria lhe dar o trabalho. Kat tenta dormir para ver se sonha com algo. No torneio, Beleno e César se enfrentam no final. Beleno perde e pede para não morrer. Desmaia tentando ler a mente de César. Acorda perto de Shy. Shy diz que viu Beleno se livrar de Zenon. Beleno lembra que era isso que tinha esquecido de falar com as pessoas da MEAK. Shy pede ajuda para sair dali. César chega e diz que Beleno está livre, apenas cuidou, que apenas Shy deve ficar ali. Beleno volta para a MEAK. Beatrice pergunta de Zenon. Beleno fala que precisam ajudar Shy. Alan aparece com arma. Beleno vai embora. Alan lamenta a morte de Zenon. Beatrice fala para Alan manter em segredo, para ajudarem Shy. César conta a Shy que há tempos tenta impedir que morra, e que Oto está tentando se assegurar que isso aconteça (a morte). O motivo seria vampirs de nascimento continuarem como pedras. Que não seriam ruins e que Shy lembrará disso, e que deve morrer nesse momento para as coisas continuarem iguais. Diz que continuará em vida enquanto isso acontecer de novo, e não quer viver mais. Derik se dá conta de que Beleno não deveria existir, pois Edmont não poderia ter atacado Inês criança, sendo atlante. Shy conta a Beleno sobre o que César disse. Beleno conta a Derik, Kat, Michele e Estela. Acham que é mentira. Perguntam de Zenon, Beleno diz que se perderam. Vão investigar. Kat e Michele vão ao apartamento de César. César tenta pedir para falarem com Beleno sobre Zenon, mas não entendem e insistem em perguntar sobre Shy. César entrega fotos de uma pedra. Diz que talvez suas estátuas soubessem traduzir. Levam para casa e colam as fotos. Kat se dá conta que pode ser tudo falso. Decidem voltar ao apartamento. Beatrice e Alan vão ao continente ver se encontram Zenon. Estela acha algo sobre César. Derik decide continuar procurando sobre a existência de Beleno. Kat e Michele tentam achar a pedra. César não quer mostrar. Beleno chega também. Levam Shy para mostrar as fotos, mas César queima antes de chegarem. Mas Shy resolve voltar para casa. Inês não fica bem, mas não conta às pessoas porque. Inês diz que chamou Beleno, mas Edmont apenas tinha ameaçado. Confunde com lembranças de outra encarnação. Derik imagina que Inês seja reencarnação de Dara. Soraia conta a Shy que foi a única pessoa a sobreviver ao feitiço e que, desde então, tenta matar César para terminar o feitiço. Kat sonha que vão matar Shy, e que César falava a verdade. Vão Kat, Estela, Derik e Michele para o apartamento de César. Acham uma parede com símbolos que Kat desenhara. Tocam símbolos e a parede ilumina. Beatrice salva Lara do atropelamento de caminhão. Fala para Alan para voltar para as ilhas e arrancar de Beleno se foi quem matou Zenon. Kat, Estela, Derik e Michele estão em um lugar escondido em Ares, com todas as estátuas. Se oferecem para ajudar César. César pede que tragam Shy. Shy com Soraia, comendo como se estivesse há dias sem comer. Kat, Estela, Derik e Michele chegam. Estela fala que não sabe onde está Alan, Soraia sai. Shy vai para a MEAK, com as pessoas. Vê César e começa a ter visões. Soraia chega, César corre, Soraia se distrai, Shy derruba Soraia e corre atrás de César. Kat, Estela, Derik e Michele chegam ao lugar que tinha as estátuas, viraram pessoas. Michele tenta prender, mas Kat diz para não fazer isso. Na MEAK, Kat, Estela, Derik e Michele encontram Beleno. Perguntam de Zenon. Inês e Alan chegam. Alan diz que Beleno matou Zenon. Beleno nega. Kat lembra do que César dissera. Alete chega, dizendo que não vai mais ser babá. Vão até o lugar. Soltam Zenon. Mais tarde, Beleno conta que Beatrice e Inês tiveram pesadelos consigo. Zenon diz que Beatrice fez jurar que não contaria dos pesadelos e que acha que é coincidência.

Dara Keon