Se arrependimento matasse
MEAK
C12

Se arrependimento matasse ler resumo

Zenon e Alan estão andando por uma estrada. Zenon está com uma mochila grande nas costas, que está pesada. Para. Olha para o mato.
Aqui tá bom. (Zenon)
Como assim? (Alan)
Zenon sai da estrada, anda um pouco. Deixa a mochila no chão. Alan vai até Zenon.
Vamos acampar? (Alan)
Quero que cumpra o que tinha me prometido. (Zenon)
Como assim? (Alan)
Eu sei que você tem uma aí. Sempre tem. (Zenon)
Alan franze a sobrancelha. Abre mais os olhos, engole seco. Tira uma estaca da cintura. Zenon abre os braços e fecha os olhos.
A gente ainda não terminou. (Alan)
Zenon abre os olhos.
Como não? Você não percebeu? (Zenon)
Ainda tem Clítia... (Alan)
Que não vai mais ter coragem de se fingir de boazinha por um tempo agora. Conheço Clítia. Você só precisa dizer isso para as pessoas. Juliana já foi, Renata também. (Zenon)
Mas e as pessoas? Elas tão... (Alan)
Sua prima foi purificada pelo feitiço. Agora é seu trabalho mostrar isso às outras pessoas. Elas já estão no caminho do bem, já caçam monstros como eu, não vai ser impossível. (Zenon)
Zenon se aproxima e coloca as mãos nos ombros de Alan.
Você tá fazendo o trabalho de deus. Hein? (Zenon)
Alan balança a cabeça para cima e para baixo. Zenon se afasta novamente. Abre os braços, fecha os olhos.
Agora vai. (Zenon)
Eu vou. (Alan)
Você pode. Vai estar me salvando. (Zenon)
Isso. Eu vou salvar você. (Alan)
Alan levanta a estaca. Respira fundo. Baixa a estaca.
Alan? (Zenon)
Você poderia salvar mais gente. (Alan)
Não funciona assim, Alan. Outro espírito pode me possuir. (Zenon)
Alan levanta a estaca.
Vou te salvar disso. (Alan)
Isso. É o que tem que fazer. (Zenon)
Alan respira fundo. Dá um passo. Baixa o braço.
Não posso. (Alan)
Zenon abre os olhos.
Desculpa. Eu sou fraco. (Alan)
Alan baixa a cabeça. Zenon começa a rir. Alan franze a sobrancelha e olha para Zenon. Zenon ri cada vez mais.
Fraco só começa a descrever. (Zenon)
Há 42 momentos atrás
Um raio. Zenon voa longe. Angely, Edmont e Mel chegam correndo. Edmont pega Djanira no colo. Zenon olha de longe. Coloca a mão na cabeça, aperta os olhos, dá dois passos para trás. Olha para Djanira novamente. Abre mais os olhos, balança a cabeça para os lados. Dá mais passos para trás. Corre em outra direção. Corre quanto pode. Tropeça. Cai. Se senta no chão. Coloca a mão no rosto. Sangue no nariz. Olha para o lado. Uma pessoa em uma cadeira de rodas.
Veio me matar também? (Zenon)
Sente alguma culpa pelo que fez comigo? (Alan)
Zenon baixa a cabeça.
Eu não sei o que acabou de acontecer. Eu senti alguma coisa pela moça, mas parece que sumiu depois do raio. (Zenon)
Zenon olha para Alan.
E agora, do nada... (Zenon)
Pareço mais seu amigo que alguém que torturaria. (Alan)
Parece a última pessoa com quem eu devia ter feito isso. (Zenon)
Sua personalidade é estranha. Sempre foi estranha assim, não? (Alan)
Acho que sim. Mas esse nível de... (Zenon)
Talvez você tenha salvação. Talvez só precise de âncoras pra te guiar. (Alan)
E logo você vai ser isso? (Zenon)
Vai ser bom ficar olhando pra sua cara de culpa. (Alan)
Há 39 momentos atrás
Escritório. Zenon se levanta.
Eu deixei a tradução no computador. Se quiserem verificar em algum momento, fiquem a vontade. Com os textos lado a lado, devem perceber que não disse nada errado. (Zenon)
Zenon sai da MEAK. Vai até um carro. Entra. Alan está no volante.
Contou tudo? (Alan)
Cara, que história escabrosa... (Zenon)
Não vai dizer que é fã do cara? (Alan)
Zenon franze a sobrancelha.
Ótimo. (Alan)
Alan arranca com o carro.
Há 34 momentos atrás
Zenon se afasta da casa de Tereza. Chega a rua onde Rust estava. O monte de cinzas ainda está no chão. Zenon franze a sobrancelha. Balança a cabeça para os lados. Pega uma bolsa de pano do bolso. Abaixa. Junta as cinzas com as mãos. Coloca dentro da bolsa, aos poucos. Fecha a bolsa, levanta. Olha ao redor.
Não sei porque diabos você não saiu voando, mas tenho a leve impressão de que não quero descobrir. (Zenon)
Mais tarde. Zenon anda de um lado a outro. Para.
Tem certeza que isso não é sinal de nada? Não tô ficando ruim de novo? (Zenon)
Eu li o feitiço. Você só focou nela. Não atacou ninguém que não fosse para proteger ela. (Alan)
Zenon se senta.
Então as pessoas tão seguras perto de mim. (Zenon)
Sim. E é bom que forme um elo com alguém imortal. (Alan)
Zenon franze a sobrancelha.
Esquece. Cê vai entender outra hora. (Alan)
Pera, cê me apresentou sua filha, achei que poderia... (Zenon)
Ficar perto da minha família? Não vou me opor a isso, inclusive porque seria bom de repente ela olhar pra um homem, tô ficando desconfiado. Mas Melody e Angely têm bem mais chance de continuar vivos. (Alan)
Alan sai de trás da mesa com a cadeira de rodas.
Vou indo então... (Zenon)
Fica pro jantar. Encontrei uma coisa que pode te ajudar com a alimentação. E a mais nova pediu pra treinar com você de novo. (Alan)
Alan olha para Zenon.
Ela é criança ainda, sei que lá quando você nasceu essa idade já era mulher... (Alan)
Porque cê tá fazendo isso? (Zenon)
Alan suspira.
Soraia não tá mais aqui pra proteger as meninas. E eu sou basicamente inútil. (Alan)
Zenon se aproxima de Alan e abaixa.
Você me ajudou. Muito. Isso é incrível, principalmente depois do que eu fiz. Eu vou proteger suas filhas. Sempre. (Zenon)
Alan sorri.
Mas não vai escapar de provar o que achei. (Alan)
Há 33 momentos atrás
Quarto na casa de Angely e Mel. Zenon abre os olhos. Senta. Franze forte os olhos e bota a mão na cabeça. Pega o telefone. Digita. Coloca na orelha e espera.
Alô? (Alan)
Ela vai ter uma criança e a criança vai ser o pior mal do mundo por causa de um vampiro! (Zenon)
O irmão dela não virou vampiro? (Alan)
Virou, mas... (Zenon)
E você tinha se afastado dela. Mesmo eu insistindo que deveria ficar perto. (Alan)
Ia dar merda. E, aliás, agora... (Zenon)
Tem um monte de vampiros no mundo e você acha que você é o escolhido pra criar a pior criatura que existe? (Alan)
Poderia ser... (Zenon)
E não tem nenhuma chance de você na verdade ser quem deveria impedir isso? (Alan)
Tá. Vou desligar, tem gente chegando. (Zenon)
Há 32 momentos atrás
Beatrice entra em uma sala. Se aproxima de uma pessoa amarrada. Franze a sobrancelha. Empurra com o pé. Zenon olha para Beatrice.
Tá junto com Virgine agora? (Zenon)
Tô procurando Edmont. (Beatrice)
De repente Edmont tá com Virgine. (Zenon)
Não acho que foi de livre e espontânea... (Beatrice)
Por algum motivo, Virgine queria matar Angely e Edmont. Enfeitiçou Angely. Você precisa avisar as pessoas. (Zenon)
Beatrice trava a boca um instante. Começa a rir.
É sério! (Zenon)
Não tem como ser. Não pode ser sério você achando que as pessoas vão me ouvir! (Beatrice)
Tem isso. (Zenon)
Velho, na boa... (Beatrice)
Angely tá sob feitiço! (Zenon)
Eu posso tentar resolver isso. (Beatrice)
Acha que isso é mais fácil que as pessoas acreditarem em você? (Zenon)
É mais fácil eu parir um dinossauro do que as pessoas acreditarem em mim. (Beatrice)
Derik vira cachorro, vira um pássaro, quem sabe... (Zenon)
Se eu encostasse em Derik, Katerine ia parir um dinossauro pra me caçar. (Beatrice)
A gente vai continuar viajando em absurdos? (Zenon)
Quem começou foi você. (Beatrice)
Eu também sou vampiro, e as pessoas deixaram eu... (Zenon)
Por causa da tal coisa que você não explica pra ninguém? (Beatrice)
Zenon encara Beatrice. Beatrice cruza os braços.
É sério, pelo menos tenta! (Zenon)
Eu devia te mandar a merda. (Beatrice)
Beatrice descruza os braços.
Mas é Angely. E vai que Virgine consegue matar só Angely, e eu tenho que... (Beatrice)
Você não gosta de Edmont? (Zenon)
Beatrice suspira.
Convencer as pessoas de que eu quero ajudar vai ser mais simples que tentar explicar isso. (Beatrice)
Beatrice sai. Zenon tira os braços das correntes. Sai. Olha ao redor. Anda pelo corredor.
Não desconfiou de tudo vazio? (Mel)
Zenon olha para Mel. Mel segura uma sacola.
Não. Virgine já sabia que Beatrice tava atacando. Não sei porque não revidou. (Zenon)
Deve ter achado que Virgine recuou. (Mel)
Há quem diga que Rust é quem protegia Virgine. (Zenon)
Enquanto lutava comigo, Virgine falou que estava de olho em alguém pra colocar no lugar de Rust. (Mel)
Zenon franze a sobrancelha.
Beatrice? (Zenon)
Virgine lutava bem demais pra precisar de alguém pra proteger. (Mel)
Mas você matou ela. (Zenon)
Posso te mostrar como, se me encher o saco. (Mel)
Mel sai andando. Zenon vai na direção contrária. Mel continua pelo corredor. Chega a uma cela. Clara levanta. Mel estende a sacola. Clara pega. Senta no chão. Abre. Tira um sanduíche.
Meu preferido. (Clara)
Não tenho motivo pra te tratar mal. (Mel)
Clara pousa no chão.
Minha irmã adorava você. (Clara)
Não me conhecia. (Mel)
Na banda. Acho que tinha até uma paixonite por você. (Clara)
Mel encolhe os ombros e solta.
Meu pai disse que Zenon precisa de um vínculo. (Clara)
Mel franze a sobrancelha. Clara tira uma corrente do pescoço. É de bronze, sem pingentes.
Não sei pra onde você vai, mas Zenon deve ir com você. Eu quase joguei essa merda no fogo. Mas depois do que você disse... Zenon não matou eles mesmo? (Clara)
Não. (Mel)
Clara estende a Mel. Mel pega.
Não precisa manter no pescoço. Só achei mais fácil. (Clara)
Tem uma pessoa que é vidente, que sonhou com Zenon. (Mel)
Talvez fosse pra você pegar isso. Não acho que eu tava um vínculo muito bom pra Zenon. (Clara)
Mel coloca a corrente no bolso. Segue andando. Clara senta no chão novamente e começa a comer.
Há 31 momentos atrás
Noite. Angely está olhando para o lago.
Gosta daqui? (Kash)
Bastante. Acalma. (Ang)
Vocês têm um grupo bem complicado. Ninguém é muito normal, nem na própria espécie. (Kash)
Angely franze a sobrancelha e olha para Kash.
Ainda não sabe algumas coisas. (Kash)
Que coisas? (Ang)
Zenon. Melody recebeu um token. Que ajuda Zenon a ficar com vocês, a ajudar pessoas. (Kash)
Como? (Ang)
Zenon tem um tipo de mediunidade diferente. Não sabe que tem, não é claro quando tem algo ali. (Kash)
Ang se levanta.
Mas o que esse token faz? (Ang)
Mantém o problema solucionado, depois entro em mais detalhes. (Kash)
Kash senta. Ang senta em frente.
Tem mais coisa? (Ang)
Sim. Pra começar, você e Edmont não são o único caso. (Kash)
Há 29 momentos atrás
Ang encontra uma criança.
É você, não é? (Ang)
Eu o que? (Diamante)
A criança de Lish com Aléxis. (Ang)
Concepção quando Lish achou que Aléxis também tivesse se arrependido de criar o que criou. Me chamam de Diamante. (Diamante)
Sabe do caso de Zenon? (Ang)
Sei de tudo que se passa entre caçadores e vampirs no mundo. Falando nisso, você não é ser humano. (Diamante)
Conhece Kash, Yads e Wige? (Ang)
Sabem muitas coisas que não dizem a ninguém. (Diamante)
Não exatamente. (Ang)
Então sabe algo sobre Zenon. (Diamante)
Sei porque Mel sente que Zenon pode ajudar. Se tirarmos de lá antes do sol aparecer. (Ang)
Diga. (Diamante)
Zenon não fez tudo que foi dito no tribunal. (Ang)
E porque Mel não disse isso? (Diamante)
Mel não sabe exatamente porque, mas sabe que Zenon pode ser uma boa pessoa. Sabe que carrega um objeto de ajuda nisso. Mas não sabe o efeito do objeto. (Ang)
Que efeito? (Diamante)
Zenon tem mediunidade, mas não consegue perceber quando tem espírito diferente no corpo. (Ang)
E o objeto ajuda contra isso? (Diamante)
Sim. (Ang)
Está bem. Vamos lá. (Diamante)
Por algum motivo, me disseram que Zenon não deveria saber disso. (Ang)
E não explicaram o motivo. (Diamante)
Angely balança a cabeça para os lados.
Odeio quando KYW dá informação pela metade. Vamos lá salvar Zenon. (Diamante)
Há 28 momentos atrás
Lorena está no chão. Tem uma vela de cada lado, uma azul, outra verde. No chão, uma tigela com camisa social branca dentro.
Tá. Johnatan, meu amor. Eu vou te trazer de volta. (Lorena)
Lorena acende as velas com um fósforo. Pega a camisa, cheira.
Ainda tem seu cheiro, mestre. (Lorena)
Coloca a camisa dentro da tigela novamente. Pega as duas velas e pinga na camisa. Pega dois potes. Abre um, despeja cinzas na camisa. Abre outro, coloca um pouco de sangue sobre as cinzas. Raspa o pote com o dedo, para tirar o resto para cima das cinzas. Pousa o pote, coloca o dedo na boca.
Não tem seu gosto, mas vai servir. (Lorena)
Pega uma arma nas costas. Dá um tiro no teto. A luz do sol entra, atingindo o chão à esquerda de Lorena. Lorena revira os olhos. Pousa a arma, pega a tigela e coloca na luz. Começa a pegar fogo. Lorena suspira e fica olhando. Aos poucos, o fogo diminue. Sobra um líquido no fundo do pote. Lorena sorri. Pega um frasco no bolso, pega a tigela, coloca o líquido dentro.
Pronto. Agora é só rezar pra funcionar. É só eu estar por perto pra avisar, depois que ele encostar. Se calhar, a gente fica até todo mundo junto. Renata é tão bonita quanto a mãe, meu mestre vai ficar feliz. Acho que ela vai gostar de mim. Sou uma boa serva. Espero que transformar não conte como morte. (Lorena)
Há 20 momentos atrás
Beatrice acorda. Mel está em uma cadeira, olhando para Beatrice. Beatrice se senta na cama.
Faz muito tempo que tá aí? (Beatrice)
Não. Meia-hora, mais ou menos. (Mel)
Isso é bastante tempo pra eu não ter acordado. (Beatrice)
Preciso da sua ajuda. (Mel)
Pra que? (Beatrice)
Mel tira a corrente de bronze do bolso. Estende a Beatrice.
Preciso que fique com isso por um tempo. (Mel)
Beatrice estende a mão e pega a corrente. Mexe na mão e olha.
É de Zenon? (Beatrice)
Mel franze a sobrancelha. Beatrice olha para Mel.
Não faço ideia de como sei disso. (Beatrice)
Do jeito que quem me entregou falou, o efeito é parecido com o de tua pedra. (Mel)
Então não deveria andar com Zenon? (Beatrice)
O efeito, não a forma. Pelo que entendi, precisa ficar com alguém a quem Zenon tenha algum apego. (Mel)
Beatrice olha para a corrente e continua mexendo.
E pra onde você tá indo? (Beatrice)
Vou procurar uma pessoa. E treinar Fábio. (Mel)
Kat vai me botar pra fora em pouco tempo. (Beatrice)
Mel vai até Beatrice e levanta o queixo. Os olhos de Beatrice estão marejados.
Não precisa disso. (Mel)
Foi bom o tempo que passamos junto. Mesmo pulando de um lado a outro. Até a gárgula foi divertido. (Beatrice)
Como diz isso? Causou nossa maior perda! Aquele baralho era quase família! (Mel)
Beatrice sorri.
Cê não é muito de fazer piada. (Beatrice)
Beatrice olha para baixo.
Achei que as coisas poderiam estar voltando a como eram antes de eu fazer a cagada de ir atrás de Edmont de novo. (Beatrice)
Mel se senta na cama, ao lado de Beatrice. Beatrice olha para Mel.
Tenho impressão que Angely e Edmont irão comigo. (Mel)
Beatrice olha para baixo. Mel levanta o queixo de Beatrice.
Cê não precisa de ninguém. (Mel)
Queria ser forte que nem você. (Beatrice)
A gente não teve a vida mais fácil do mundo. Você só precisa olhar um pouco pra dentro de você. Vai encontrar sua força. (Mel)
Beatrice baixa a cabeça. Mel levanta novamente o queixo de Beatrice. Limpa as lágrimas. Beija Beatrice. Beatrice corresponde. Mel levanta, vai até a porta, fecha e tranca.
Há 19 momentos atrás
Guilherme está no alto da cachoeira em Hera. Etos se senta ao lado.
Não disse que não gostava de hétero? (Guilherme)
Lica tinha razão? Conviveu tanto com gente que não queria mais viver que perdeu a vontade também? (Etos)
Por que isso seria da sua conta? (Guilherme)
Curiosidade. (Etos)
Você é responsável também pelo que aconteceu. (Guilherme)
Na verdade, Beleno quem é responsável. (Etos)
Se não tivesse incitado... (Guilherme)
Lica teria saído com qualquer pessoa que aparecesse. Não sei porque sua fixação que não podia ser comigo. Essa possessividade, não faz sentido nem quando vocês transam com a pessoa, que dirá se considerava como família. (Etos)
Eu devia matar Beleno? (Guilherme)
Sabe o que eu queria? Entender a pessoinha que gosta de Alan. (Etos)
Como assim? (Guilherme)
Eu saio com qualquer pessoa que demonstre atração por mim, mas tem alguma coisa ali. Algo que não é igual a mesma coisa que vejo em toda pessoa por aí. (Etos)
E o que eu tenho a ver com isso? (Guilherme)
Zenon não parece quem você conheceu, parece? Essa pessoa tá carente. Seria um jeito de se aproximar. (Etos)
Por que diabos tá me dizendo isso? (Guilherme)
É divertido acompanhar o que acontece aqui. (Etos)
E por que você não tenta?! (Guilherme)
Etos ri.
Tá de sacanagem, né? É uma criança. Tipo você. (Etos)
Guilherme franze a sobrancelha. Etos levanta e pula na cachoeira. Guilherme olha um instante para o horizonte. O sol está nascendo. Guilherme balança a cabeça para os lados. Pula na cachoeira também.
Há 14 momentos atrás
Davi acorda. Olha para Clítia.
Não deviam ter me enterrado? (Davi)
Iam cremar. Achei mais seguro roubar seu corpo no caminho. (Clítia)
O mundo parece diferente. (Davi)
E é. Antes você tinha dois brinquedos, agora você é meu brinquedo. (Clítia)
Nem me fala das duas vadias. (Davi)
Devia ser mais grato. Pagaram tua cremação. E estavam chorando. (Clítia)
Eu devia ficar feliz porque quase morri de verdade? (Davi)
Se não gostassem de você, tinha deixado fazer qualquer coisa com o corpo. (Clítia)
Queriam fazer teatro! (Davi)
Elas já tinham tudo no nome delas, porque fariam isso? (Clítia)
Sei lá, não dá pra entender mulher! (Davi)
Davi levanta e sai.
Depois é mulher que faz drama. Mas vai valer a pena... (Clítia)
Clítia tira uma foto do bolso. É Ísis.
Né, Alan? (Clítia)
Há 12 momentos atrás
Mel ouve batidas na porta. Sai do cobertor, cobrindo Glória, dá um beijo na cabeça. Sai do quarto, atravessa a sala, abre a porta. Beatrice entra.
Que cara é essa? (Mel)
Eu... Descobri... Não importa. (Bea)
Mel franze a sobrancelha e cruza os braços. Beatrice tira a corrente de bronze do bolso. Estende a Mel.
Aconteceu alguma coisa de errado com isso? (Mel)
Não. Tá tudo certo, aparentemente. (Bea)
Pra que tá me devolvendo? (Mel)
Bom, agora você voltou... (Bea)
Tá escrito na sua testa que tem um problema. (Mel)
Tem. Comigo. (Bea)
Beatrice baixa a cabeça. Olha de novo para Mel.
Não me pede pra explicar. (Bea)
Mel descruza os braços.
Não vou. Se você não quer contar, tem direito a escolher isso. Mas sabe que pode, se quiser, né? (Mel)
Eu preciso ir. (Bea)
Mel estende a mão e pega a corrente. Coloca no bolso.
Pode voltar quando quiser. (Mel)
Beatrice abraça Mel. Mel abraça de volta. Uma lágrima cai dos olhos de Beatrice. Beatrice se afasta. Mel dá um beijo em sua testa.
Só não vai atrás de Edmont. (Mel)
Edmont não vai me achar mais. (Bea)
Há 10 momentos atrás
Mel e Beleno descem na praia. Beleno senta na areia. Respira fundo.
Eu já levanto de novo. (Beleno)
Tem certeza que aguenta voar até Hera comigo? (Mel)
Sim. Só preciso de mais uns segundos. (Beleno)
Mel tira a corrente de bronze do bolso.
Preciso que entregue isso a Beatrice. (Mel)
Pra quê? (Beleno)
Se acontecer alguma coisa comigo. (Mel)
Beleno levanta. Mira os olhos de Mel. Pega a corrente das mãos de Mel e coloca no bolso.
Acha que Padoi te derruba? (Beleno)
É só precaução. (Mel)
Beatrice sumiu. (Beleno)
Vai aparecer se acontecer alguma coisa comigo. Sabe o que é essa corrente. (Mel)
Tá. Vamos? (Beleno)
Mel respira fundo. Beleno voa. Asas. Mel some.
Há 9 momentos atrás
Naian abre os olhos. Senta em sua cama. Franze a sobrancelha, olhando para um vulto.
O que tá fazendo aqui? (Naian)
Ué, cadê toda aquela simpatia? (Zenon)
Tá diferente... (Naian)
Tô sim. (Zenon)
Zenon dá um soco na parede.
Tô puto. Mel se foi. Beatrice se foi... (Zenon)
Zenon senta no chão, de cabeça baixa.
Por que entrou pela janela? (Naian)
Não sei. Eu nem ia... Te acordar... Sei lá... (Zenon)
Naian se aproxima e abraça Zenon.
Eu posso te pedir uma coisa? (Zenon)
O que? (Naian)
Sangue. (Zenon)
Naian franze a sobrancelha e afasta.
Pra que? (Naian)
É estranho. Não sei explicar. Seu sangue é como o delas. Queria saber como é. Ter alguma coisinha circulando em mim, sabe? (Zenon)
Naian inclina o pescoço. Zenon se aproxima. Morde. Naian vai perdendo as forças. Segura em Zenon, mas já sem conseguir empurrar. Zenon drena Naian. Solta, o corpo cai. Zenon levanta bruscamente. Pula a janela.
Há 7 momentos atrás
Soraia franze a sobrancelha. Clítia levanta a mão esquerda. Soraia desmaia.
Feitiçaria. Você sempre gostou disso. (Zenon)
Clítia olha para Soraia.
Não vou matar ela. Ela tem uma coisa no momento que eu sempre quis ter. (Clítia)
Clítia abaixa rápido, pega a estaca, atira contra Zenon. Zenon desvia.
Hora da diversão então, girassol? (Zenon)
Clítia corre e dá um soco em Zenon. Zenon cai no chão. Levanta antes que Clítia lhe enfie uma estaca. Chuta o rosto de Clítia, que cai. A estaca voa longe. Clítia levanta e vai na direção da porta. Zenon puxa Clítia e joga no chão. Sobe em cima de Clítia e lhe segura os braços.
Curiosa pra saber o que tá rolando lá fora? (Zenon)
Clítia tenta puxar os braços. Zenon lhe tampa a boca e morde. Bebe parte do sangue. Solta os braços. Clítia tenta se virar, mas Zenon joga de volta.
Eu sou mais forte que você... Sempre fui... (Clítia)
Não mais, girassol. Mas quem sabe não fica de novo? (Zenon)
Do que... (Clítia)
Vou te fazer o favor que me fez algumas vezes. Tirar sua fraqueza. (Zenon)
Clítia tenta se virar de novo, Zenon puxa de volta e dá um soco. Clítia desacorda. Zenon levanta, agacha perto de Clítia, pega no colo e sobe escadas. Pousa Clítia no chão. Pega algumas correntes, amarra Clítia. Olha para a porta. Revira os olhos.
Tá, te dou seu remedinho outra hora. Vai gostar. Sangue de vampiro comum parece água depois. (Zenon)
Zenon levanta. Desce as escadas. Franze a sobrancelha. Volta. As correntes estão vazias. Balança a cabeça para os lados. Desce.
Zenon anda pela cidade. Vê Clítia, andando, se escorando na parede. Sorri. Se aproxima. Clítia fecha os olhos e para. Zenon passa e fica na sua frente.
Desistiu? (Zenon)
Juliana fugiu e vieram atrás de mim de novo? (Clítia)
Zenon franze a sobrancelha.
Que Juliana? (Zenon)
Zenon abre mais os olhos.
Tá falando do monte de pó que tava do lado do armazém? (Zenon)
Clítia abre mais os olhos. Senta no chão.
Vamo lá, essa vidinha de bondade não era pra você! (Zenon)
Clítia olha para Zenon. O olhar está vazio.
Vai me entregar pro grupo agora? (Clítia)
Pra você me dedurar e eu não poder brincar mais? Por que não brinca comigo? (Zenon)
Zenon abaixa e se aproxima do ouvido de Clítia.
Não fui eu. Foi Alan. E sei que era sua escolha de vítima original. Sei que tava cercando, eu te conheço. Desistiu por causa de Juliana? (Zenon)
Zenon fica em frente ao rosto de Clítia.
Pena que Juliana não tá mais aqui. Mas não fui eu o imbecil que quis a sua ira. Te provoquei, mas eu não faria uma bosta dessas. (Zenon)
Zenon beija Clítia.
Que tal a gente se divertir? Como nos velhos tempos. (Zenon)
Clítia acena para baixo com a cabeça.
Tenho uma coisa ótima. Você vai adorar minha nova descoberta. (Zenon)
Há 6 momentos atrás
Clítia desce as escadas, segurando uma chave em uma mão e uma espada de madeira em outra. Suas roupas estão sujas de sangue. Vem até a cela. Zenon levanta.
Até que enfim. (Zenon)
Zenon aponta a porta.
E aí? (Zenon)
Clítia olha para a porta. Abre. Zenon sorri. Clítia joga Zenon contra a parede. Zenon revira os olhos. Levanta. Clítia vai com a espada de madeira em direção a Zenon. Zenon desvia e joga Clítia no chão. Pega a espada. Crava pelas costas em Clítia, na altura do estômago. Tira a espada. Arrasta Clítia pela cela.
Nunca te perguntei se meu sangue tem um gosto bom. (Zenon)
Zenon tira o capuz. Abre a caixa em suas mãos. Suspira. Joga para trás, caindo dentro do lago. Segue pelas ilhas. Entra na mansão de Janaína. Olha para Zeiro. Para. Zeiro fareja o ar. Revira os olhos. Vai em direção a escada. Desce. Zenon entra na sala de onde Zeiro saíra. Vê o bolo de mapas na mesa. Abre os mapas. Olha cada um. Vai ao jardim. Se aproxima da fonte, entra. Toca a parte de cima. A fonte se transforma no elevador, como depois faria com Janaína. Zenon aperta o botão do terceiro subsolo. Desce o elevador. Zenon sai. Segue até a sala de Padoi. Olha para o caixão.
Então foi aqui que te colocaram. (Zenon)
Zenon se aproxima do caixão.
Achei que ia ficar sem meu novo brinquedo. Que tal a gente bater um papo? (Zenon)
Zenon está no chão. Se levanta. Veste o capuz.
As coisas não funcionam assim. (Zenon)
Mas a gente precisa acordar ela! Você não entende! (Padoi)
Padoi se vira para a porta. Zenon olha para a porta. Padoi olha na direção de Zenon, mas não está mais.
Mas onde diabos você foi agora?! (Padoi)
Padoi sai. Vê Zenon soltar o corpo de Janaína.
Podia ter me dado um pouco. (Padoi)
Hora de voltar ao caixão. (Zenon)
Padoi revira os olhos. Volta para dentro da sala. Zenon pega o corpo de Janaína no colo. Vai para a sala também.
Há 5 momentos atrás
Praça central de Zorana. Zenon crava uma espada no peito de Shy. Shy cai de joelhos. Zenon arranca a espada. Levanta Shy e vai morder, mas solta Shy, arranca um punhal da mão de Dhauire e crava em Dhauire. Dhauire cai. Levanta, corre, pega a espada e corta a cabeça de Shy. Lágrimas caem de seus olhos. Zenon ri. As pessoas vêm em direção a Zenon. Zenon morde uma pessoa, outras tentam bater em Zenon. Zenon solta. Morde outra pessoa. A pessoa que caiu no chão se levanta e morde outra pessoa. Dhauire balança a cabeça para os lados. Corre.
Beleno está a beira do lago. Kat está a seu lado.
Não queria estar aqui de novo pra isso. (Beleno)
Beatrice era atlante também. (Kat)
Poderíamos procurar mais como a gente. (Beleno)
A gente precisa resolver as coisas antes de trazer mais gente pra perto. (Kat)
Kat levanta.
Vamos dormir por aqui hoje. Sairemos amanhã. Pode vir no barco com a gente. (Kat)
Kat se vira e começa a andar para longe do lago. Beleno respira fundo. Pega a corrente de bronze no bolso.
Consegui falhar com vocês. (Beleno)
Beleno mexe na corrente na mão.
Isso com certeza não tem mais importância nenhuma agora. (Beleno)
Beleno beija a corrente. Atira a corrente no lago. A corrente afunda.
Há 4 momentos atrás
Zenon está mancando e com machucados. Entra por um buraco de uma ponte. Segue. Chega a uma sala. Michele aponta uma besta. Zenon levanta as mãos para o alto.
Não é o outro espírito, sou eu! Clítia tem alguma coisa a ver com isso, vocês têm razão! (Zenon)
Como eu vou saber? (Michele)
Preciso que me prenda onde está Padoi. (Zenon)
Não dá pra você entrar lá... (Michele)
Eu fico tendo esses blackouts, sei lá o que tá acontecendo! Sou tão ou mais perigoso que ele! (Zenon)
Michele baixa a arma. Vai até Zenon. Arranca um pedaço da blusa de Zenon. Tira um punhal da cintura, corta o braço. Passa o pano no braço. Entrega a Zenon.
Coloca dentro da boca, mas não posso garantir que vai funcionar. Quando chegar lá embaixo, você me devolve. (Michele)
Michele se vira para o elevador. Sente um dardo. Vai virar, uma barra de ferro na base de suas costas. Michele cai. Tenta levantar. Não consegue. Olha para as pernas, bate em uma delas. Zenon sorri.
Cara, se estupidez ganhasse troféu, vocês estariam com certeza citados em algum lugar importante! (Zenon)
Michele olha para Zenon.
Claro, eu não posso deixar você aqui falante. (Zenon)
Zenon guarda o pano no bolso de trás da calça.
E não preciso disso, já que posso pegar o quanto quiser agora... (Zenon)
Zenon tira um frasco pequeno do bolso da frente da camisa.
Se importa se eu colocar uma coisinha a mais? Já te dei um pouco, e você vai curtir o barato, pode até ser que não sinta tanto quando eu der um jeito em você! (Zenon)
Galpão. Onde lutaram com Renata. Onde mataram Juliana. Zenon abre os olhos. Franze o rosto. Olha ao redor. Olha para seu corpo.
O que diabos... Será que tem alguma coisa a ver com Daxlidan? (Zenon)
Zenon olha para a janela. Na parte de baixo, Alan entra no galpão.
Zenon?! Zenon! (Alan)
Alan anda. Clítia encosta Alan na parede. Morde. Alan grita. Tenta empurrar. Perde as forças. Clítia tira os dentes do pescoço de Alan, vira para trás e segura uma barra de ferro. Alan abre os olhos. Zenon está com hematoma no rosto, cortes pelo corpo. Clítia atira Alan contra a parede com uma mão apenas. Alan desmaia.
Não vai proteger seu amor de novo. (Clítia)
Do que você... (Zenon)
Clítia puxa a barra e acerta contra o rosto de Zenon. Zenon cai. Olha Clítia se aproximar de Alan. Vê Padoi se aproximar de Clítia. Fecha os olhos. Abre. Está na parte de cima do galpão novamente. Levanta. Apenas Padoi, que dorme no chão, no centro do galpão, parte de baixo. Sai pela janela.
Zenon está no carro. Olha para o prédio. Olha para o relógio. Barulho de vidro e um estrondo no chão. Franze os olhos. O rosto. Coloca as mãos na cabeça. Olha de novo para o prédio. Sai do carro. Entra no galpão. Olha para Clítia, inconsciente. Se aproxima. Pega um capuz preto que está ao lado de Clítia. Veste. Vai até uma caixa, pega arco e flecha. Se aproxima da porta. Vê Derik correr até Aléxis. Arma a flecha no arco. Sorri. Olha Etos vir. Desmancha o sorriso. Atira em Etos. Etos cai. Derik olha para Zenon. Zenon entra no prédio. Joga o arco e flecha ao lado de Clítia. Arranca o capuz, joga no chão. Corre para fora. Entra no carro. Mexe no relógio. Outra dor de cabeça. Zenon olha para os lados. Olha o relógio.
Tá, sem blackout dessa vez. (Zenon)
Há 3 momentos atrás
Argo entra na cozinha. Vai até a geladeira. Pega uma garrafa de tequila. Senta na mesa. Coloca tequila em um copo na mesa. Olha para baixo. Olha para a garrafa. Pega a garrafa, coloca a boca em sua boca. Bebe toda a garrafa.
Aceita uma bebida? (Argo)
Uma pessoa de capuz está na porta. Vem até Argo.
Está bem. (Argo)
Argo vira o copo.
Sabe que isso não vai durar muito tempo, não sabe? (Argo)
Silêncio. Argo levanta. Inclina o pescoço. A pessoa se aproxima. Morde. Alguns segundos, segura o corpo de Argo.
Lynn... (Argo)
Argo fecha os olhos. Mais alguns segundos. O corpo de Argo cai no chão. A pessoa sai. Cambaleia, se segura no sofá. Tira o capuz.
Caralho, como que isso subiu desse jeito?! (Zenon)
Zenon olha para a cozinha.
Tudo bem. No máximo, vou ficar mais feliz hoje. Deve ter feito de propósito, mas os filhotes dele tão bem longe, se acha que o pessoal... (Zenon)
Zenon começa a rir. Para.
Melhor eu sair daqui rápido. (Zenon)
Há 2 momentos atrás
Valesca aproxima o pulso da boca de Edmont. Seu pulso é segurado. Valesca olha para a pessoa. Puxa o braço. Levanta. Mostra os dentes. Toma um chute no meio do peito. Cai para trás. Levanta. Olha ao redor. Não acha. Arregala os olhos. Olha para baixo. Uma estaca, cravada pouco abaixo do coração. Valesca arranca. Vira. Arregala os olhos novamente. No mesmo lugar, uma lança é enfiada. Valesca grita. A pessoa arranca a lança. Valesca cai no chão. Olha para Edmont. Sai sangue de sua boca. A pessoa abaixa e beija Valesca. Morde seu pescoço. Impede o braço de Valesca com uma estaca. Crava a estaca na ferida de Valesca, que abre a boca, mas não solta som. Volta a morder Valesca.
Etos... (Valesca)
Valesca fecha os olhos. Zenon para e tira o capuz. Lambe os lábios. Pega um frasco. Corta o pulso de Valesca e deixa cair sangue no frasco. Solta o pulso, fecha o frasco, guarda.
Bem que podia desfazer em pó pra eu saber, né? Tudo bem, assim que o sol... (Zenon)
Zenon olha para o céu. Veste o capuz, corre e pula no mar. Zeiro pousa ao lado de Valesca.
Há 1 momento atrás
Alto de um telhado. Alan levanta uma besta e aponta para uma pessoa de capuz. A pessoa chuta a besta. Alan coloca a mão na cintura para pegar a estaca. A pessoa encosta um taser em Alan. Alan estremece, a pessoa tira o taser, Alan cai. Zenon tira o capuz.
Cê tá me cansando já. (Zenon)
Zenon mostra os dentes, abaixa. Coloca a mão na cabeça.
Ah, não... Cê não vai assumir agora... (Zenon)
Zenon se levanta e se afasta alguns passos.
Não... Não... (Zenon)
Zenon franze forte os olhos. Arranca o capuz e joga prédio abaixo. Coloca as mãos na cabeça de novo. Solta os braços e cai no chão.
Derik e Murilo se levantam. O corpo de Murilo cede, Kat corre e segura. Os olhos de Zenon começam a brilhar. Por baixo das pálpebras, os de Clítia brilham também. As roupas e amarras de Clítia e Zenon se desfazem, assim como a garrafa. No lago, a corrente de bronze brilha. Clítia continua no chão, mas Zenon levanta.
Vocês não podem fazer isso!!! Para!!! (Zenon)
Zenon abana os braços. Tenta passar a barreira do círculo, mas bate, como se fosse sólida. Bate com as mãos fechadas na barreira. No lago, o brilho da corrente aumenta.
Para com essa merda!!! Isso vai dar errado, pra todo mundo aqui!!! (Zenon)
As velas começam a se consumir rapidamente. Os olhos de Murilo começam a brilhar. Derik vai até Murilo. Etos vai também. Murilo diz algo. Etos se abaixa. Beija a testa de Murilo. Os olhos de Murilo se fecham, o brilho se apaga. Zenon não para de bater. Derik vai até uma mochila, pega uma garrafa, tenta jogar água em uma das velas, mas parece bater na parede sólida de fogo e escorrer, e Zenon voa contra a parede oposta e cai, sem se mexer mais. No lago, a corrente se desfaz em pedaços, parando de brilhar.
Neste momento
Alan levanta o braço. Zenon dá um chute na estaca, jogando longe, e outro no peito de Alan, que cai no chão. Se aproxima e dá um pisão na altura do estômago de Alan, que contorce o rosto. Vira Alan de costas. Vai até a mochila. Tira uma barra de ferro. Se vira de volta, Alan vinha em sua direção com a estaca, Zenon vai acertar o rosto, Alan bloqueia. Acerta o estômago com a ponta da barra. Alan solta a estaca e se curva. Zenon acerta a barra na cabeça de Alan, Alan cai no chão novamente. Vira Alan de costas.
Teria evitado mais dor se tivesse ficado quietinho onde botei. (Zenon)
Zenon levanta os braços.
Senhoras e senhores. É com grande orgulho que apresentamos hoje o espetáculo: "O maior idiota do mundo!". (Zenon)
Zenon faz um cumprimento. Se vira para Alan.
Lamentamos que na última apresentação, tivemos uma performance melhor do nosso saco de pancadas. Mas não podemos culpá-lo, já que eu fiquei melhor nisso. Já que estive do lado para aprender cada movimento. (Zenon)
Zenon chuta Alan.
E agora, o ápice da nossa apresentação. Rufem os tambores! (Zenon)
Zenon para ao lado de Alan. Abaixa. Levanta a barra de ferro no alto com as duas mãos.
A plateia está pronta? (Zenon)
Zenon bate com a barra de ferro na base da coluna de Alan. Alan grita.
E o público vai a loucura! (Zenon)
Zenon se levanta e faz cumprimentos. Alan se arrasta, na direção da estaca. Zenon olha para Alan.
Tem razão. Eu devia ter era quebrado tudo de uma vez. (Zenon)
Zenon levanta Alan, que geme.
Devia ter te deixado sem os braços também. Quem sabe assim você não teria enfiado aquela aberraçãozinha em mim! (Zenon)
Zenon joga Alan contra uma árvore.
Falando dela, quem sabe não vou visitar ela em outras Realidades, agora que sei que isso existe? Posso me divertir com ela como me diverti na anterior! Posso matar minha versão lá e ficar com a diversão só pra mim! (Zenon)
Zenon abre mais os olhos e sorri.
Ou melhor, a gente pode se divertir juntos! (Zenon)
Zenon pega Alan novamente.
Mas você nunca mais vai colocar a aberração da sua priminha pra tomar meu corpo. (Zenon)
Murilo. (Alan)
Zenon vira o ouvido, aproximando da boca de Alan.
Como é? (Zenon)
O nome dele é Murilo. (Alan)
Zenon desvira e sorri. Alan tosse.
Isso faria de você viado. (Zenon)
Com o maior orgulho do mundo. (Alan)
Bom, cê sabe o que dizem, viado bom, é viado morto. (Zenon)
A frase é sobre bandido. (Alan)
Tanto faz. Pra bastante gente. Porque acha que adoro esse mundo? (Zenon)
Zenon mostra os caninos. Morde Alan. Alan geme. Zenon bebe o sangue. Alan fecha os olhos, solta o corpo. Zenon solta o corpo de Alan.
Alguns minutos depois, Zenon joga uma última pá de terra. Vai até a mochila, pega uma garrafa, volta, despeja na terra. Tudo a um metro da cova murcha e morre. Zenon vai até a mochila, tira uma pedra de dentro, coloca sobre a cova. Nela, a inscrição entalhada: o maior idiota do mundo.
E ainda queria ser viado. Mas nem pra isso você teve competência. (Zenon)
Zenon balança a cabeça para os lados, rindo. Segue andando pela estrada.

Resumo do Capítulo

Alan está andando com Zenon e Zenon pede que cumpra a promessa e lhe mate. Alan não tem coragem. Zenon ri. Passado. No dia em que Djanira tomou o raio, Alan encontra Zenon e diz que Zenon precisa de uma âncora para ser boa pessoa (A10). Quando traduziu o diário de Nilrem, Alan quem lhe deu carona para ir embora (A13). Depois que deixou Tereza em casa (A18), Zenon foi ao lugar onde Rust tomou a estaca e descobriu que as cinzas continuavam ali. Decidiu guardar. Após a morte de Tereza, Zenon confirmou com Alan que aquilo era apenas um feitiço, que não lhe deixou mal de fato, apenas com foco somente em Tereza. Alan diz para Zenon que deve formar um elo com Angely ou Mel. Quando Mel engravidou (A19), Zenon achou que poderia ser a influência ruim, mas Alan disse que era mais fácil que estivesse ali para ajudar a mudar a profecia. Quando Zenon some por causa de Virgine (A20), Beatrice encontra e Zenon diz que acha que Virgine enfeitiçou Angely, pedindo a Beatrice que fale com as pessoas. Se solta e fala com Mel, estava ali de livre e espontânea vontade, para ajudar Mel. Mel fala com Clara, em uma cela. Clara entrega uma corrente de bronze e diz que Zenon precisa de um vínculo. Mel fala dos sonhos de Kat, Clara diz que acha que foram para alertar do vínculo. Kash fala com Angely pouco após a chegada na segunda Realidade (B01), fala que Zenon tem uma mediunidade diferente, que não percebe a diferença de espírito. Diz também que Edmont e Angely não são o único caso. No dia do julgamento de Zenon (B03), Angely fala com Diamante. Conta sobre o token que ajuda Zenon, que Mel não sabe o efeito, e que Zenon não pode saber sobre. Depois de Zenon matar Johnatan (B04), Lorena colocou o espírito de Johnatan no corpo de Zenon. Quando Mel decide voltar a primeira Realidade (B12), deixa a corrente de bronze com Beatrice. Beatrice fica mal por Mel ir, Mel dorme com Beatrice. Na época em que Guilherme esteve nas ilhas (B13), Etos quem falou para Guilherme ir atrás de Murilo, como forma de entender o que tinha de diferente em Zenon. Quando Clítia transformou Davi (B18), na verdade o alvo de Clítia era Alan ainda, queria usar Davi para chegar a Juliana e Ísis. Depois de sair da casa de Angely, quando Edmont foi até Valesca (B20), Beatrice entrega a corrente de bronze a Mel, sem explicar porque. Diz que Edmont não irá mais lhe achar. Antes de enfrentar Padoi (C02), Mel entrega a corrente a Beleno e diz que entregue a Beatrice, que vai reaparecer caso algo lhe aconteça, porque sabe da corrente. Quando Naian morreu (C03), Zenon apareceu e pediu um pouco de seu sangue, dizendo que era como o de Beatrice e Mel, mas drenou todo. Quando atraíram Clítia e Juliana (C05), Zenon na verdade derrubou Clítia e pretendia dar algo, e Clítia fugiu. Depois de falar com Alan, encontra Clítia e conta sobre Juliana. Propõe que fiquem juntos de novo. Quando Zenon sumiu da cela (B06), Clítia foi até lá tentar derrubar Zenon. Zenon derrubou Clítia e espalhou o sangue pela cela. O cheiro de seu sangue foi porque fizera Clítia beber seu sangue antes. Zenon quem jogou cinzas no lago (B06), para quebrar o feitiço em Padoi, depois foi a mansão de Janaína. Zeiro percebeu Zenon, mas ignorou porque reconheceu. Zenon acordou Padoi e, após horas falando, percebeu Janaína e matou. Depois devolveu Padoi ao caixão. O ataque a Zorana foi Zenon (C07), que matou Shy, e infectou o resto das pessoas. Após jogarem as cinzas de Beatrice no lago (C07), Beleno atira a corrente de bronze no lago também. Quando Michele estava guardando o corpo de Padoi junto com feitiços (C08), Zenon enganou, dizendo que Michele tinha que lhe prender com Padoi, por segurança. Envenenou e bateu em Michele. Zenon acorda em galpão, sem memória, e protege Alan de Clítia. Clítia lhe derruba, Padoi aparece. Quando acorda de novo, apenas Padoi está ali, dormindo. Sai. Mais tarde, na tentativa de Aléxis de matar Padoi (C08), Zenon tem uma dor de cabeça, e é quem atira para derrubar Etos. Volta ao carro e mexe no relógio. Tem outra dor de cabeça, olha o relógio e acha que não houve blackout. Quando Argo estava curando Michele (C09), Zenon matou Argo. Por causa da Tequila, saiu cambaleando. Quando Valesca tentou tirar Edmont do lago (C10), Zenon quem impediu que terminasse a transformação. Matou Valesca, pegou parte do sangue, e fugiu quando percebeu Zeiro se aproximar. Alan apanhou de Zenon no topo do telhado, quando foram a uma coordenada onde Padoi poderia estar (C11). Mas uma dor de cabeça impediu que matasse Alan. Quando fizeram o feitiço para tirar o espírito a mais em Zenon (C11), Zenon tentou avisar que havia um problema. A corrente de bronze se desfez durante o feitiço. No presente, Alan tenta atirar em Zenon. Zenon derruba Alan. Quebra a coluna de Alan. Grita com Alan, por Alan ter colocado o espírito de Murilo para dominar seu corpo. Alan corrige Zenon ao chamar Murilo pelo gênero errado. Zenon bebe todo o sangue de Alan. Enterra o corpo sob uma lápide de "o maior idiota do mundo", jogando um líquido que mata tudo que há ao redor do túmulo.

Dara Keon