Monstruosidade
MEAK
C13

Monstruosidade

Kat desce as escadas. Rust está olhando para Clítia.
Não acordou ainda. (Kat)
Não sei. Pode estar só fingindo. (Rust)
Se estiver, melhor. Significa que o efeito passou. (Kat)
Deviam me deixar aqui só. (Rust)
Acha que vão vir buscar Clítia? (Kat)
Tenho certeza. (Rust)
Não faz mais sentido você ir atrás de Zenon? (Kat)
Rust franze a sobrancelha e olha para Kat.
Não sei se vão tentar de novo aqui, mas não seria nada estranho você atrás de Zenon. (Kat)
Talvez o feitiço não tenha funcionado, com a inclusão de Clítia. (Rust)
Derik desce as escadas, com um pequeno vidro nas mãos. Abre a cela. Kat cruza os braços. Derik levanta o queixo de Clítia, pinga um pouco na boca, Clítia abre os olhos. Kat descruza os braços, Rust puxa Derik de uma vez de dentro da cela. Clítia olha para os lados. Olha para as correntes. Olha para Kat.
Normalmente eu faria uma piada sobre isso parecer uma masmorra sadomasoquista. (Clítia)
Pode fazer a piada que quiser, ninguém aqui se importa. (Rust)
Nem eu. (Clítia)
Você sabe que Zenon e Alan mataram Juliana? (Kat)
Que Zenon manipulou Alan pra matar Juliana? (Clítia)
Do que tá falando? (Kat)
Eu lembro remotamente de brigar com você, como se tivesse bebido alguma coisa antes de fazer isso. Aliás, minha cabeça parece de alguém que passou bastante tempo em estado alcóolico. (Clítia)
Achamos que Padoi fez algum feitiço em você, talvez em Zenon também. (Kat)
Por Zenon ser legal com vocês? (Clítia)
Rust cruza os braços.
Você sempre soube alguma coisa que nunca contou. (Rust)
Eu odeio Zenon. (Clítia)
Isso realmente seria um segredo grande, considerando que disfarçou tão bem por séculos. (Kat)
É porque matou Juliana? (Rust)
Zenon de verdade. Você odeia Zenon real. (Derik)
Kat e Rust olham para Derik, Rust descruza os braços.
A gente fez um feitiço, para tirar o espírito que tava no corpo de Zenon. E para que não conseguissem entrar mais. Como era um feitiço de purificação, colocamos você junto, imaginei que ia tirar o que fizeram com você. (Derik)
Sabe o que fizeram? (Rust)
Zenon me deu sangue dele para beber. Mas tava estranho. (Clítia)
Os resquícios de Padoi. Isso enlouqueceu as pessoas nas ilhas e em Zorana. (Kat)
Também tinha gosto forte de Tequila. (Clítia)
Rust trava a boca e cerra os punhos. Derik olha para Rust. Kat olha para Rust, então para Derik.
Zenon matou Argo. (Kat)
Não fica no sangue se você beber direto. Só se vier de sangue fica forte. (Rust)
Não sei porque o espírito tinha ficado tão estável em Zenon, eles não costumam ficar muito tempo. Aliás, falando nisso... (Clítia)
Clítia olha para a porta. Todo mundo olha. Fábio desce as escadas.
Veio me matar? (Clítia)
A falta do tom de deboche me diz que você queria que eu fizesse isso. (Fábio)
Seria uma boa ideia. (Clítia)
Quero que ajude a gente a pegar Zenon e resolver o problema. (Fábio)
Clítia ri.
Você disse que odeia Zenon. (Derik)
E você bem disse. Odeio o Zenon real. Como vocês ainda não entenderam? (Clítia)
Não tem o que resolver, tem? (Fábio)
Sua irmã era legal. Eu queria levar ela com a gente. Mas aí o espírito que tava em Zenon perdeu as forças... (Clítia)
Fábio olha para baixo.
Achei que tava resolvido. Era divertido até cutucar ele. Passou tanto tempo no corpo que achei que não ia sair mais. (Clítia)
Tem como a gente saber quem era? (Derik)
Se veio da outra Realidade, pelo que conheço de feitiços, caso o espírito existisse aqui, afetariam também. (Clítia)
Derik arregala os olhos. Sobe correndo. Kat franze a sobrancelha, acompanha com os olhos. Olha para Fábio. Fábio franze os olhos. Arregala os olhos, olha para Clítia.
Alguma vez alguém que vocês mataram possuiu Zenon? (Fábio)
Era o que mais acontecia. (Clítia)
Murilo. (Kat)
Morreu durante o feitiço? (Clítia)
Kat sobe correndo. Derik está remexendo uma gaveta. Olha para Kat.
A gente tinha colocado a chave da biblioteca em algum lugar por aqui, não? (Derik)
O que vai fazer? (Kat)
Trazer o espírito de volta. (Derik)
Murilo foi embora, Derik. (Kat)
Você não sabe... (Derik)
Sei. E vocês selaram Zenon. (Kat)
Não pode ser... (Derik)
Derik continua revirando a gaveta. Kat vira Derik para si.
Para. (Kat)
Eu posso sair do corpo e ver se... (Derik)
Se Murilo de alguma forma ficou, vai falar com a gente. Mas não acho que seja o caso. (Kat)
Por quê? (Derik)
Por que Murilo se despediu. (Kat)
Os olhos de Derik marejam.
Fui eu quem fez isso... (Derik)
Murilo tava vivendo em um corpo, refém de homicida e achando que tinha culpa pelos crimes. Você ajudou a se libertar. (Kat)
Mas e aqui? Se eu soubesse, tinha ido para outra Realidade fazer... Ou mesmo tinha feito lá... (Derik)
A gente não tinha como saber. (Kat)
Talvez a gente nunca devesse ter vindo. (Derik)
E Murilo nunca teria descoberto quem era, como Trinity disse. (Kat)
Derik abraça Kat. Kat abraça de volta.
Etos está em uma cama. Trinity entra no quarto.
Um terço. (Etos)
Quê? (Trinity)
Um terço do motivo que você me deu pra ficar. (Etos)
Quando Valesca morreu? (Trinity)
Etos se senta.
Do jeito que se apegou a todas as pessoas aqui... (Trinity)
Não é a mesma coisa. (Etos)
Trinity cruza os braços.
Vai cortar um terço do seu corpo fora então? (Trinity)
Não. Mas já foram três quintos do meu coração. (Etos)
Você já perdeu pessoas antes. Perdeu Lish. (Trinity)
Achei que Valesca ia viver pra sempre. Ou ao menos mais que eu. (Etos)
Trinity senta na cama.
E eu achei que eu ia morrer de velhice. (Trinity)
Lembro o quanto não queria isso. (Etos)
Você já me salvou. Deixa eu salvar você. (Trinity)
Por quê? Essas pessoas seriam companhias melhores pra você. (Etos)
Eu não sei. Só quero você por perto. (Trinity)
Trinity olha para a janela.
Você foi o mais perto que tive de família. (Trinity)
Etos suspira.
Então melhor eu passar a agir assim, né? (Etos)
Trinity olha para Etos. Etos levanta.
Achando as pessoas certas para caçar: as que merecem. Aula 1. (Etos)
Etos sai do quarto. Trinity segue.
Derik está na cama. Dorme. Kat sai do quarto. Rust está na sala, no sofá.
Fábio ficou de vigia? (Kat)
Não sei se conta alguma coisa. Talvez a gente nem devesse deixar mais a cela trancada. (Rust)
Tiramos as correntes já. (Kat)
Não é pena. É que acho que Clítia não vai fugir. (Rust)
Talvez tenha razão. (Kat)
O que Derik usou pra acordar? (Rust)
Parece que é um composto de Daxlidan. Etos quem deixou com Derik, usou pra acordar Derik já. (Kat)
Será que não funciona com Michele? (Rust)
Kat cruza os braços.
Parece uma boa ideia tentar. (Kat)
Confia em mim o suficiente pra isso? (Rust)
Kat entra no quarto. Rust levanta do sofá. Kat volta. Entrega o pequeno vidro a Rust.
Tava com Etos, mesmo que eu não confiasse, que diferença faria? (Kat)
Tá na MEAK? (Rust)
Michele? (Kat)
Sim. (Rust)
Segundo a instrução de Argo, eu devia estar lá também. (Kat)
Quer ir junto? (Rust)
Essa casa é do grupo. Melhor a gente tirar Clítia inclusive daqui. (Kat)
Vai todo mundo dormir na agência? (Rust)
Tem uma cama, dois sofás. Você anda por aí. Trinity e Etos também. Beleno dorme em telhado. Aqua nem sei se dorme. Leonardo sumiu. Dionísio e Soraia estão longe. Inês e Andrea estão também, com as crianças. Sobra eu, Derik, Michele e Fábio. (Kat)
Clítia? (Rust)
Kat suspira.
A gente arranja mais uns colchões. (Kat)
Kat entra no quarto. Rust vai ao porão. Abre a cela. Sobe as escadas de volta. Fábio e Clítia acompanham Rust com o olhar. Clítia olha para Fábio. Fábio suspira. Sobe as escadas. Clítia segue. Derik vem até a sala, bocejando. Franze a sobrancelha e para. Kat vem da cozinha, Derik olha para Kat.
Clítia vem com a gente. (Kat)
A gente tá indo de vez então? (Derik)
Sim. (Kat)
Derik entra no quarto. Sai com uma mala grande. Vai para a cozinha. Kat entra no quarto. Pega capas pretas. Sai. Entrega uma a Rust e outra a Clítia. Rust cheira a capa.
Era de Zenon. (Kat)
Quando chegarmos, é bom entregar para Beleno achar. (Rust)
Beleno conhece o cheiro de Zenon. (Fábio)
Com a mistura que virou? Duvido. (Clítia)
A gente pode pedir para Kassandra fazer aquilo de novo? (Kat)
Rust franze a sobrancelha.
Se o feitiço limpou Clítia, não pode ter limpado Zenon? (Rust)
A essa hora ele já resolveu isso. (Clítia)
Derik vem da cozinha, arrastando a mala. Kat pega a mala e coloca no ombro.
Mais alguma coisa? (Kat)
Avisar que liberamos a casa. (Fábio)
Derik pega o celular. Kat pega um molho de muitas chaves dentro de uma gaveta. Sai. Fábio segue. Derik também.
Porque nunca deixou Virgine matar Zenon? (Rust)
Porque Virgine nunca achou Zenon. (Clítia)
Clítia veste a capa e sai. Rust veste a capa. Olha ao redor. Segue.
MEAK. Kat entra, vai com a mala no ombro para a cozinha. Derik entra, segue Kat. Rust entra e senta-se no sofá. Clítia vem e senta ao lado. Fábio vai até o quarto. Aqua levanta.
Tem mais gente aí. (Aqua)
Rust e Clítia, além de Kat e Derik. (Fábio)
Aqua franze a sobrancelha.
Clítia vai ajudar a gente. A pessoa que a gente conheceu não era Zenon de verdade. A gente libertou Zenon de verdade, de quem Clítia não gosta. (Fábio)
Por que matou Juliana? (Aqua)
Nunca gostou. (Fábio)
Quem era? (Aqua)
Aparentemente Murilo. (Fábio)
E agora? (Aqua)
Tem um negócio que Etos deu, que pode ser que acorde Michele. (Fábio)
Aqua olha para a porta do quarto, onde está Rust. Fábio olha também.
Posso tentar? (Rust)
Aqua estende a mão. Rust tira o pequeno vidro do bolso, vai até Aqua e entrega. Aqua abre e cheira. Olha para Rust. Para Fábio. Abaixa ao lado da cama, onde está Michele. Aproxima o vidro do rosto de Michele. Michele abre os olhos, Aqua tira o vidro, Michele senta na cama de uma vez.
Etos! (Michele)
Foi quem deu esse... (Rust)
Michele olha ao redor.
Cadê Etos? (Michele)
Fábio franze a sobrancelha.
Michele, você... (Aqua)
Lish. (Lish)
Lish olha para Aqua.
Me chama de Lish agora. (Lish)
Fábio desfranze a sobrancelha e pisca.
Você lembrou de tudo? (Rust)
Bota tudo nisso. (Lish)
Lish levanta da cama.
Aléxis tá por aqui? (Lish)
Rust engole seco, Fábio baixa a cabeça.
Morreu. (Aqua)
Lish olha para o chão. Olha para Fábio.
Zenon? (Lish)
A gente queria que tivesse morrido. (Fábio)
Fábio olha para Lish.
E você vai querer também, quando souber. (Fábio)
Lish franze a sobrancelha, olhando para baixo. Abre mais os olhos e olha para Fábio.
Também tenho coisa pra contar. (Lish)
Sala. Clítia está no sofá, ao lado de Derik. Lish e Aqua no outro sofá, com Fábio. Kat está atrás do balcão. Rust está olhando pela janela. Se afasta da janela. Beleno pousa, com os pés na janela e as mãos segurando na armação da janela do lado de fora. Fecha as asas e entra. Rust vira para Kat. Kat olha para Lish.
Já me contaram tudo no quarto. (Lish)
Lish olha para baixo.
Inclusive de Murilo. (Lish)
Lish levanta e olha para frente.
Mas tem uma coisa que vocês não sabem ainda. Zenon quem pegou Padoi. Fingiu que queria que Michele prendesse junto com Padoi, por causa do perigo. (Lish)
Ué, mas você tem o cheiro de Michele, achei que... (Beleno)
É a mesma pessoa, Beleno. (Derik)
Não tenho tanta certeza. Lembrar de tudo assim, e, lembrando de tudo, não lembro de isso ter acontecido outras vezes. (Lish)
Seu castigo, mãe. (Diamante)
As pessoas olham para a porta do quarto. Diamante sai.
A única coisa que causou diretamente foi Valesca. Parte é responsabilidade de Valesca. Cada criatura que transformou alguém é responsável por esse alguém. (Diamante)
Ótimo. Me arranja uma estaca e eu resolvo todo o problema que criei. (Clítia)
Lish olha fixamente para Diamante. Diamante abre os braços. Lish vai até Diamante, abraça e levanta no colo. Segura um tempo.
Me parecia que era um castigo lembrar de tudo, mas esquecer foi muito pior. (Lish)
Lish se afasta. Coloca Diamante no chão e fica de joelhos em frente.
Pode nos ajudar? (Lish)
Não. Eu queria poder ajudar mais, mas tem coisas que eu simplesmente não posso fazer. (Diamante)
Como dizer ao grupo para intervir com Zenon. (Fábio)
Diamante olha para Fábio.
Eu ainda lembro do que te disse. Se arrependeu de não cravar uma estaca agora? (Diamante)
Não sei. (Fábio)
Murilo salvou pessoas no corpo de Zenon. (Diamante)
Padoi tratou de matar essas pessoas. Não sobrou ninguém nas ilhas. (Fábio)
Fábio olha para Lish.
Desculpa. (Fábio)
Não que eu não me importe, mas agora é tanta memória de tanta gente que morreu... (Lish)
Lish levanta e vira, as pessoas olham para Lish.
Eu nem sei o que sentir. Só consigo pensar que queria ver Etos. (Lish)
Derik olha para trás de Lish. Franze a sobrancelha. Lish vira. Diamante não está mais. Lish respira fundo. Olha de novo para as pessoas.
Não acho que Diamante consiga ajudar em algo. (Lish)
Kat olha para Derik. Derik levanta e vai para o quarto. Clítia tira o casaco que trazia e entrega a Beleno. Beleno pega e cheira.
Sente algo além do meu cheiro? (Clítia)
Sim. (Beleno)
Rust levanta.
Beleno procura por cima, o sol tá se pondo já, Rust vai por baixo. (Kat)
Vou junto. (Clítia)
Rust e Clítia saem. Beleno larga o casaco e sai pela janela.
Lish e Aqua? (Kat)
Lish e Aqua saem. Kat olha para Fábio.
Terceiro grupo de buscas? (Kat)
E Derik? (Fábio)
Kat fecha os olhos. Abre.
Esqueceu que Murilo não tá mais aqui. (Fábio)
A gente devia começar a usar a fortaleza. (Kat)
Zenon deve ter entrado lá. Não tem outra explicação para o que houve com Janaína. (Fábio)
Precisamos avisar que Zenon não tá mais no acordo. Pode ir até lá enquanto eu cuido de Derik? (Kat)
Ok. (Fábio)
Fábio sai. Kat entra no quarto.
Inês sentou-se na janela, com as pernas para fora. Andrea entra na sala.
A gente devia falar para as pessoas. (Inês)
Não vão concordar. Lembra da sua reação? Vai ser difícil parar aquela quantidade de gente. (Andrea)
Inês olha para baixo.
Nem é mais tanta gente. (Inês)
Tá com medo de pegarem Beleno? (Andrea)
Inês desce da janela.
Vivi bastante com aquelas pessoas pra todo mundo parecer família. (Inês)
Por isso quer ficar perto das pessoas. (Andrea)
Posso contar pra todo mundo. Você não precisa estar junto. (Inês)
Quer mesmo fazer isso? (Andrea)
Eu sei que fez isso para proteger as crianças e que o custo é sua própria vida. Vão entender. (Inês)
Inês passa por Andrea, vai para o quarto.
O mais estranho é que nunca atacou aqui. (Andrea)
Andrea pega o celular. Clica algumas vezes. Franze a sobrancelha. Arregala os olhos.
Inês, arruma as malas! (Andrea)
Inês e Andrea entram no saguão de malas. Esperam perto de uma esteira.
Devíamos ter despachado por navio. (Andrea)
Com a herança que Trinity recebeu de Janaína dava pra pagar embarque da população de São Paulo. (Inês)
Mas aqui é mais suspeito. (Andrea)
Não vão despachar aqui na... Merda. (Inês)
Andrea olha para a direção que Inês está olhando. Algumas caixas grandes estão sendo colocadas na esteira do lado de fora.
Ainda bem que eu sou forte. (Andrea)
Beleno pousa em um prédio. Pega o telefone.
Ligar Katerine. (Beleno)
O telefone faz barulho de ligação. Beleno coloca no ouvido. Espera.
Tá estranho. Não foi difícil. (Beleno)
É bem possível que esteja esperando que a gente vá. (Kat)
Vou ficar de olho de qualquer jeito. (Beleno)
Ótimo. Vou avisar as outras pessoas. A gente encurrala e acaba com isso. (Kat)
Kat desliga o telefone. Está na cama. Passa a mão nos cabelos de Derik, que dorme.
A gente devia tirar esse poder de você. (Kat)
Derik abre os olhos.
Parece que nem funciona direito em mim. (Derik)
Derik se senta na cama. Kat levanta.
Acharam alguma coisa de Zenon? (Derik)
Kat olha na direção do travesseiro. Olha para Derik. Derik se vira. Revira os olhos. Deita de novo, voltando ao corpo. Senta, dessa vez com o corpo também. Olha para trás.
Tem gente que esquece guarda-chuvas. Eu esqueço meu corpo. (Derik)
Derik franze a sobrancelha e olha para Kat.
Você me viu. (Derik)
Era isso que eu tava tentando entender, mas não sei se vale a pena pensar nisso agora. (Kat)
Zenon? (Derik)
Beleno achou. (Kat)
A gente vai atacar? (Derik)
Beleno tá seguindo. Manda mensagem pras outras pessoas? (Kat)
Derik pega o celular na mesa de cabeceira. Kat sai. Vai até a cozinha. Pega um copo de água. Bebe. Entra no banheiro. Olha no espelho.
Não sei como Mel não se incomodava com essas lentes. (Kat)
Zenon está andando pela cidade. Olha para cima. Balança a cabeça para os lados.
Vou te fazer descer daí, galinha de macumba. (Zenon)
Zenon entra em um bar. Olha ao redor. Uma banda tocando, pessoas dançam na frente do palco, música muito alta. Se aproxima de Janice, que está dançando. Janice franze o rosto e se afasta.
Desculpa. (Zenon)
Zenon baixa a cabeça e vai para o bar. Janice fica olhando. Zenon cruza os braços e coloca a cabeça no bar. Janice franze a sobrancelha. Revira os olhos. Vai até Zenon.
Tá passando bem? (Janice)
Zenon levanta de uma vez.
Ah... Desculpa... Eu... (Zenon)
Zenon olha para baixo.
Meu irmão mais novo diz que eu tenho que ter mais jeito com mulheres... (Zenon)
Zenon olha para Janice.
Ele disse pra eu chegar junto assim, eu não sei, eu... (Zenon)
Zenon fecha os olhos.
Ficar dizendo que meu irmão mais novo tem que me ajudar com isso não deve estar sendo a coisa mais atraente que você já viu, né? (Zenon)
Janice ri. Zenon abre os olhos.
Você é bem atrapalhado. (Janice)
Se você puder me dar umas dicas... (Zenon)
Zenon arregala os olhos.
Juro que não tô te chamando de lésbica porque não me quer. (Zenon)
Você ainda nem pode deduzir que eu quero ou não você. (Janice)
Zenon sorri.
Rust está em um beco. Clítia larga Marco. Marco olha com medo para Rust. Levanta e corre.
Não esquece que a gente sabe onde você mora! (Rust)
Sabe, eu pensei em reclamar que você não me deixou terminar, mas a cara dele de medo é realmente impagável. (Clítia)
Isso aí nunca mais chama alguém de viado. (Rust)
Ou vai tentar juntar amigos pra pegar os demônios lgbt. (Clítia)
Virgine também sabe onde mora agora. (Rust)
Clítia sorri.
Pensando em aceitar a proposta? (Rust)
Zenon daria uma bela iniciação. (Clítia)
Zenon que tava aqui, tava com algum espírito também? (Rust)
Uma garota rica que pegamos na Argentina. Era bem mimada. Mas não era Zenon. (Clítia)
Lish e Aqua estão andando.
E Aléxis disse para Murilo que deixou o anel com você para Padoi não pegar. (Aqua)
Então tava tentando proteger você e eu. (Lish)
E o mundo. Se eu tivesse que proteger Padoi, não ia ter mesmo como derrubarem. (Aqua)
Kat tem alguma coisa de Mel, pode ser que... (Lish)
Lish para de andar. Aqua olha para Lish.
Preciso que Etos ache os livros de Loz. (Lish)
Por que? (Aqua)
Izikaum. Foi o que Rust disse. Já ouvi isso. (Lish)
Manda mensagem. (Aqua)
Lish pega o celular. Digita por alguns segundos. Clica em voltar. Franze a sobrancelha.
Acharam Zenon. (Lish)
Etos está olhando para uma pilha de fotos. Trinity chega. Joga alguns CDs na pilha.
É só isso? (Etos)
Pra que quis juntar aqui? Vai pegar fogo em tudo mesmo. (Trinity)
Quero que essa nojeira pegue fogo primeiro. E ajuda pras crianças não correrem risco de sofrerem exposição. (Etos)
Faz sentido. (Trinity)
Aliás, a que estava no porão... (Etos)
Polícia. O desaparecimento era recente, mas é de outro estado. (Trinity)
É bom se o ambiente for diferente, vai ter menos coisa pra associar. (Etos)
Foi assim que achou Jana? (Trinity)
Matei quem ia comprar. (Etos)
Etos tira uma caixa de fósforos do bolso. Tira um palito, acende na lateral. Deixa cair em cima da pilha. A pilha começa a pegar fogo. Pega outro, risca, anda um pouco, deixa cair no lençol de uma cama. Trinity sai do quarto. Olha para dentro de outro quarto, três corpos jogados. Desce a escada. Karine lhe aponta uma arma.
O que tá fazendo aqui? Você quem levou a criança. (Karine)
Foi daqui que eu tirei. (Trinity)
Mas aqui é a casa do professor de ginástica da minha filha... (Karine)
Karine olha para baixo. Olha para Trinity.
Não faço ideia. Mas é uma boa ideia levar para terapia, por via das dúvidas. (Trinity)
Karine baixa a arma. Guarda. Sai da casa. Etos desce a escada.
Preciso viajar. (Etos)
Pra onde vamos? (Trinity)
Eu vou para a Escócia. Você vai ficar aqui e se vingar de Zenon. Por Janaína. (Etos)
Lish chega em frente ao bar que Zenon entrara, com Aqua. Olha para o outro lado da rua. Um ponto de ônibus. Rust está no banco, Clítia anda de um lado a outro. Atravessam a rua.
Tá lá dentro ainda? (Lish)
Rust aponta o céu. Lish olha, Beleno faz círculos sobre o lugar.
E se tentar a saída dos fundos, Andrea tá esperando. (Clítia)
Seria uma boa ideia a gente distribuir então. (Lish)
Você parece diferente mesmo agora. (Clítia)
Lish olha para Clítia.
Não tenho interesse nessas coisas no momento. (Lish)
Lish olha para o bar.
A gente tem mais o que fazer. (Lish)
Lish olha para Aqua.
Pode dar cobertura a Andrea? (Clítia)
Se alguma coisa acontecer com você, tenho que voltar aqui e Andrea fica só. (Aqua)
Eu vou. (Rust)
Rust atravessa a rua e segue pela calçada para a esquerda. Entra na esquina. Lish pega o celular novamente. Digita.
Trinity tá vindo. Kat tá com Derik. Fábio foi avisar nas ilhas sobre Zenon. (Lish)
Não vai ser necessário. De hoje não passa. (Clítia)
Você tem alguma coisa do dom de Kassandra? (Lish)
Clítia sorri.
Sou da linhagem de Dilan. (Clítia)
Mas sabe alguma coisa de bruxaria. (Lish)
Virgine pega pessoas rejeitadas pela sociedade, Argo pega quem perdeu toda a família. Rust não transforma ninguém. Kassandra e Dilan não fazem muita questão de pensar no que tão fazendo. (Clítia)
Clítia olha para o lado e franze a sobrancelha. Dilan vem vindo.
Rust falou pra encontrar aqui. (Dilan)
Por que pediu ajuda sua? (Clítia)
Tá. Eu te segui. (Dilan)
Clítia cruza os braços.
Eu não entendi aquele dia até agora! (Dilan)
Bom, se quiser ajudar, Rust deu a volta no bar aí na frente, Zenon tá dentro. (Clítia)
A gente quer matar Zenon? (Dilan)
Algum problema? (Clítia)
Só pra ter certeza. (Dilan)
Beleno para no ar, pairando.
Foco. É pra pegar Zenon. Você já comeu hoje. (Beleno)
Beleno volta a dar voltas. Dilan olha pra cima.
Eu realmente preferia quando me sentia no topo da cadeia alimentar. (Dilan)
Clítia ri. Dilan atravessa a rua. Segue para a esquerda.
Zenon sai do bar com Janice. Se beijam na entrada. Zenon segura a mão de Janice e segue andando. Olha para o ponto de ônibus por um segundo e volta a olhar para frente, sorrindo. Continuam. Zenon para no cruzamento, Janice para também. Franze a sobrancelha. Trinity está a frente.
É minha ex. (Zenon)
Tá falando sério? (Janice)
Ela é meio louca... (Zenon)
Janice franze a sobrancelha e faz Zenon soltar sua mão, dando um passo de costas na direção oposta.
Você realmente continua um clichê ambulante. (Rust)
Zenon olha para a direita. Rust e Dilan.
Trouxe o namorado dessa vez? (Zenon)
Tem uma tatuagem de espelho de vênus com uma mão no meio no braço esquerdo. Sabe o que significa? (Rust)
Em tese, ela não vai sair acreditando que sua ex é louca. Porque esse é o discurso de todo machinho moderno. (Clítia)
Zenon olha para trás, para Clítia.
Deve ser porque vocês são todas loucas. (Zenon)
Deve ser por conviver com pedaços de bosta que nem você. (Andrea)
Zenon olha para Andrea.
Não tava nos fundos do bar? (Zenon)
Por isso que não saiu por lá? (Andrea)
Acha que tenho medo de você? (Zenon)
Eu dei a volta. É uma cidade. Tipo várias ruas ligando umas às outras. (Andrea)
Zenon ri.
Acham mesmo que eu tenho medo de algum de vocês? Ou da galinha de macumba voando aí em cima? (Zenon)
Macumba é um instrumento musical, seu bosta. (Janice)
A guia. Já é a segunda ofensa com a pessoa. (Rust)
Zenon vai com a mão na direção da guia de Janice, asas levam Janice. Beleno pousa mais a frente, deixando Janice no chão. Janice arregala os olhos e se afasta.
Não sou o perigo, mas é bom você sair daqui. (Beleno)
Leva pra casa, Beleno. Se a pessoa concordar. (Rust)
Eu não gosto de gente preconceituosa, mas justiça com as próprias mãos é... (Janice)
Zenon ri.
Ainda é pacifista, meu tipo sanguíneo preferido! (Zenon)
Janice arregala os olhos.
Acredita em mim, você quer muito sair daqui. (Beleno)
Tá... (Janice)
Te encontro outro dia, amor. Naquela lanchonete que você me diz que adora, na esquina da sua casa. (Zenon)
Janice engole seco. Abraça Beleno. Beleno começa a levantar do chão, Janice agarra em Beleno com as pernas também, Beleno levanta voo e vai embora. Zenon segue com os olhos.
Agora eu fiquei com inveja. Se ele tiver ejaculação precoce, vai ter umas três nesse voo. Onde a gente tava mesmo? (Zenon)
Zenon sorri e olha para Clítia.
Ah, é, girassol. Vocês acham que eu tenho medo de vocês. (Zenon)
Ninguém acha isso. Todo mundo já entendeu o tamanho do seu ego. (Trinity)
E eu nem vou fazer piada sobre serem cinco contra um. (Zenon)
Zenon olha para Trinity.
Olha só, ela fala. Você não consegue dar conta de mim nem dentro de uma cela. Sabem o que vou fazer? (Zenon)
Zenon olha para Rust e Dilan.
Matar vocês dois... (Zenon)
Sem a ajuda de ninguém adolescente? (Rust)
Zenon olha para Andrea.
E me divertir fazendo o que eu quiser com você... (Zenon)
Zenon olha para Trinity.
E você... (Zenon)
Zenon olha para Clítia.
Com sua ajuda. Porque a gente sempre foi bom nisso. (Zenon)
Lish vem, da mesma direção de Clítia.
E comigo? (Lish)
Posso me divertir também. Eu sei que você tem ciúmes, mas agora já deu pra Aléxis... Ah, pera, eu matei ele, né? Vai lá, te deixo escolher uma cria dele pra você brincar. Mas não pode ser Argo, porque também já era. E ainda me deixou bêbado o filho da puta. (Zenon)
As pessoas ficam paradas.
Que foi? Não vão fazer nada? (Zenon)
Silêncio.
Já sei, estão esperando o apoio de Andrea e Trinity. Notei que tava desequilibrado. De Trinity deve ser Etos. E de Andrea... Não pode ser Hugo, afinal, ele já era. (Zenon)
Silêncio.
Por que não mandaram Beleno me pegar? (Zenon)
Seu sangue tá estragado. (Clítia)
Ah... (Zenon)
Zenon sorri.
Não me atacaram ainda porque sabem o que vai acontecer se eu botar meus dentes em vocês. (Zenon)
Zenon mostra os dentes.
Tudo bem. Eu vou começar então. (Zenon)
Zenon vai na direção de Rust. Rust dá um chute no peito que faz Zenon ir para trás. Zenon sorri. Clítia segura Zenon pelo pescoço por trás, Zenon joga Clítia longe. Zenon segura o braço de Lish, que trazia uma estaca, e atira Lish contra Dilan. Trinity atira com uma besta no estômago de Zenon. Zenon vai na direção de Trinity, desarma. Dá um soco em Trinity. Andrea chuta Zenon. Zenon arranca a estaca e crava em Andrea, também no estômago.
Não vou te mandar embora assim tão rápido, a gente ainda tem que brincar. (Zenon)
Andrea cai no chão. Zenon vai até Clítia, que se levantara, segura e morde. Lish acerta Zenon com um placa de rua, derrubando Clítia e Zenon. Clítia se afasta. Zenon levanta. Rust atravessa Zenon no coração com o poste do ponto de ônibus. Dilan levanta e vai até Clítia.
O feitiço não vai deixar a coisa pegar em mim de novo. (Clítia)
Por que agora você é pura? (Zenon)
Zenon ri.
Purificação, não era isso? Um feitiço de purificação! (Zenon)
Zenon ri novamente. Arranca o poste.
Ceis não tão meio vândalos, não? (Zenon)
Dilan chuta Zenon, que cai no chão. Zenon ri.
Eu sou muito mais forte que vocês imaginam. (Zenon)
Zenon levanta. Trinity volta para onde estava originalmente.
Vem então. (Trinity)
Zenon vai na direção de Trinity. Bate em alguma coisa.
Já bateu em uma pessoa de cada lado? (Rust)
Dilan levanta e vai para onde estava, lado direito. Clítia atrás. Lish ajuda Andrea, que volta ao lado esquerdo.
Jurei que era eu que você ia acertar. (Rust)
Que merda é essa? (Zenon)
Zenon vai para o lado de Rust, bate. Vai para Andrea, bate de novo. Vai em direção a Clítia. Bate. Soca a parede invisível com a parte de dentro dos dois punhos, cerrando os dentes.
O que vocês fizeram? (Zenon)
Tá com medo agora, deusinho? (Clítia)
O sangue de Padoi vai me proteger. (Zenon)
Dilan ri.
Caralho, velho, se você soubesse o quanto isso soa religioso... (Dilan)
E patético. (Rust)
Não viram? Enfiaram a estaca no meu peito, e olha aqui! (Zenon)
Zenon bate no próprio peito.
Eu tô inteiro! (Zenon)
Zenon sorri.
Isso porque estaca não tá no meio da lenda de Padoi. (Trinity)
Mas sol, esse só quem é de nascimento. (Rust)
Zenon desfaz o sorriso. Olha para o horizonte. Olha para Clítia.
A gente já ficou muito tempo junto, não lembra? (Zenon)
Clítia coloca as mãos no tórax.
Desculpa, não é você... (Clítia)
Clítia fecha um pouco os olhos e olha para cima.
Pera, nesse caso, é! (Clítia)
Clítia veste um capuz. Zenon olha para Andrea.
Vai perder o momento. (Andrea)
Andrea veste o capuz. Zenon olha para Rust e Dilan, já estão com o capuz. Olha para Trinity.
Eu entrego Padoi pra vocês. (Zenon)
Vixi, tá achando que tá em Brasília! (Dilan)
Não brinca não, que aparece alguém pra chamar de mito. (Trinity)
Trinity veste o capuz. Lish olha para Trinity.
Fica aqui com Andrea, o sol vem de lá, vai acabar se queimando. (Lish)
Trinity vai até Andrea. Lish vai para onde Trinity estava. Zenon vai na direção de Lish, bate de novo.
Sério? Não é a nossa posição, deusinho, olha o sangue no chão, você que ajudou a derrubar. (Clítia)
Zenon olha para o chão, para as marcas de sangue ao redor. Olha para Dilan. Dilan mostra a mão sangrando.
Cortei na calçada. Uma pena, nunca soube cair. (Dilan)
Lish pega o celular do bolso. Está quebrado. Rust assovia, Lish olha, Rust joga o celular.
Vou adorar ter isso no meu álbum. (Rust)
Lish pega o celular, aponta para Zenon e abre a câmera. Zenon ainda tenta bater na parede invisível. Lish clica para filmar. O sol aponta no horizonte. Os cabelos de Zenon começam a desfazer, e a pele das costas das mãos. Zenon vira. Grita. Seu rosto começa a virar cinzas. Zenon coloca as mãos em frente ao rosto, cai de joelhos, Lish acompanha com o celular. Então sua carne, da cabeça e das mãos, cinzas. O corpo cai, Lish continua com o celular apontado. Os ossos das mãos, dos punhos, até onde a roupa mostra, assim como da cabeça, pescoço e começo do tronco, e seu cérebro, tudo se tornando cinzas. Um clarão sobe, do círculo invisível que havia ao redor de Zenon. A roupa murcha por dentro, derrubando cinzas para fora. Soraia assiste o vídeo no celular. Coloca a mão na barriga. Está em um corredor com portas. Dionísio chega.
Era de Alan mesmo. Acharam perto de uma estrada. (Dionísio)
Soraia baixa a cabeça. Olha para Dionísio. Seus olhos estão marejados.
A gente precisa avisar Branca. (Soraia)
Soraia limpa os olhos. Olha para o celular.
E preciso entregar um vídeo ao Grupo. (Soraia)

Dara Keon